Fábulas Recontadas “Halloween Edition” – Pinóquiocalipse

Por Rodrigo “de Madeira” Broilo

Nas fábulas de hoje… Gepeto “conhece seu filho”… Um “reconto” de fadas especial, preparando para o seu Halloween…

“Gepeto estava terminando de construir sua maior criação. Ele, criador de bonecos de marionete, iria criar um menino, um menino de madeira, com aquela madeira diferente que ele havia encontrado no meio da floresta.

Gepeto passara a tarde esculpindo o menino, com sapatos, uma linda roupa, e fazendo desse menino o filho que ele sempre quis ter. Era tarde da noite quando Gepeto terminou de esculpir aquele boneco que ele chamou de Pinóquio, seu menino de madeira. Ele deixaria para prender as cordas e levar Pinóquio para expor na praça na manhã seguinte.

Gepeto deitou-se em sua cama e dormiu o sono dos justos. Porém, durante a noite, Gepeto ouviu um barulho e, assustado, levantou-se da cama. Seguindo o som que ouvira, ele foi até sua oficina, de onde vinha uma brilhante luz azul. Mesmo com medo, Gepeto avançou até a oficina e viu, maravilhado, a linda fada azul.

“Gepeto, meu bom homem” – disse a Fada – “Este pequeno boneco, que com tanto carinho criou, e deu a ele o que nunca pode dar a nenhum menino, será seu filho.”

E tocando o nariz do boneco, a Fada Azul deu vida a Pinóquio, um lindo menino, que ainda era de madeira.

“Que porra é essa?” – gritou aquele pequeno menino endiabrado. “Quer dizer que eu vou continuar a droga de um boneco de madeira? Porque você super-fada azul dos infernos não me fez de carne e osso, hein, sua bruxa de asas?”

Gepeto ficou assustado com a atitude daquele boneco, que parecia estar tomado por um espírito demoníaco. A Fada Azul ficou bege com a atitude daquele diabrete. Mas, resignada, disse:

“Você será um menino de madeira até provar que pode ser digno de ser um menino de verdade”.

Pinóquio começou a zoar com a Fada remedando suas falas e movimentos com um debochado “blá, blá, blá”.

“E tem mais” continuou a Fada. “Se você for uma criança levada e mentir, seu nariz crescerá e saberemos que você é uma criança má.”

“Que nariz o que!?” Retrucou Pinóquio. “Você bem queria que outra coisa crescesse”. Ao que Gepeto e a Fada Azul ficaram extremamente constrangidos e apavorados.

“Quer ver como eu acabo com essa sua brincadeirinha de controle de mentiras, sua Megera Azulada?” disse sarcasticamente o pequeno pau-falante.

“MEU NARIZ VAI CRESCER AGORA” gritou ele. Ora, meus amiguinhos, se o nariz de Pinóquio só cresce quando ele mente, ele precisaria estar mentindo para que o nariz crescesse, o que era uma mentira mesmo, pois o nariz dele não cresceria por sua vontade. Mas se o nariz crescesse, sua frase seria verdadeira, e o nariz não poderia crescer, pois ele só cresce com mentira. Pinóquio havia criado um paradoxo mágico…

“Garoto Maldito!” gritou desesperada a Fada. Gepeto sem entender, sentiu o chão tremer sobre seus pés. O paradoxo criado por Pinóquio estava destruindo o mundo…

As louças no Castelo da Fera estavam se suicidando do armário de porcelanas. Mulan perdia a guerra devido a avalanches. O Espelho Mágico saia de sua prisão de vidro, direto para o pescoço da Rainha Má, gritando “seven days”. O Príncipe Azul e o Príncipe Encantado saiam correndo de trás da casa dos Sete Anões, recolhendo o que podiam de suas roupas, sem nem um beijo de despedida. Ariel via a cidade de Atlântida afundar ainda mais. A casa de doces caia sobre as cabeças de João e Maria. E os corvos passavam gritando pelos céus “Nunca Mais”. O mundo estava chegando ao seu Apocalipse.

Pinóquio soltou então uma diabólica gargalhada enquanto seus olhos iam ficando vermelhos e brilhantes e ele EXPLODIA… Gepeto gritou…

E de um salto levantou de sua cama… Havia sido tudo um sonho… “Puxa vida, que sonho” disse o velho, respirando fundo enquanto voltava a se ajeitar na cama…

“Mas o que é isso?”. Havia uma luz entrando por baixo da porta de seu quarto… Uma luz azul.

Gepeto pulou da cama, escancarou a porta do quarto e foi até sua oficina, do outro lado da sala, e quando abriu a porta viu a Fada Azul transformando o boneco de madeira em menino.

“Ah, Olá Gepeto!” disse a Fada com o doce menino no colo. “Venha conhecer seu filho!”

Um terrível pânico perpassou seu peito quando viu o menino de seu sonho no colo daquela mulher vestida de Azul, lhe dando um sorriso indecifrável e um cínico “oi, papai!”.

Gepeto fez o que podia… Pôs fogo em toda a casa…

No dia seguinte, contava-se pela vila que o velho louco, finalmente resolvera se matar, depois de anos de tantas sandices…

Nada sobrara de sua casa, exceto um boneco de madeira, em forma de menino…”

About these ads

Sobre Santuário O Santuário

EU SOU A FONTE!

Publicado em 30/10/2011, em Sem categoria e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 6 Comentários.

  1. Isso não é spoiIer porque já foi publicado pela Panini: Mas depois de ler esse conto, ficou fácil entender porque o Gepeto SE TORNOU O ADVERSÁRIO DAS FÁBULAS DA VERTIGO!!!!!

  2. HAHAHAHA, muito boa essa.

  3. Henry Garrit

    Isso é puro Halloween! Terror nonsense e desconcertante. “Paradoxo mágico”? Meu amigo, você está revertendo a subversão da Disney e trazendo as fábulas ao seu estado natural. Parabéns!!!

  4. Só faltou ser “Pinóquio, o boneco assassino”…Deus me livre.
    Você conta essa história uma hora destas? Vou dormir de luz acessa.
    Se alguém ai vir meu prédio pegando fogo, fui eu!
    Credo!

  5. Leticia Fiuza

    Eu não gostei disso não :(

    Quero os contos de fadas como são… =/

    Dica, leia Branca de Neve do Gaiman: Neve, Vidros e Maçã. ;)

  1. Pingback: Retrospectiva 2011 do Santuário! |

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: