A MAIOR REVISTA EM QUADRINHOS DA HISTÓRIA: TEX WILLER – Bang Bang nos quadrinhos !!!!

Por Venerável Victor “Tratador procurado vivo ou morto” Vaughan

O título da matéria é provocador mesmo e é dessa forma que os fãs e muitos criadores da indústria da Nona Arte se referem a essa revista fantástica em todos os sentidos. O ano era 1948, o Estado de Israel se tornava independente, surgia o primeiro disco de vinil, Dennis Gabor, Nobel de física, concebia a holografia (afinal sem ela como o povo em STAR WARS iria se comunicar???) e a  Assembléia Geral das Nações Unidas aprovava a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Em setembro de 1948 a primeira edição do cowboy Tex chegou às bancas italianas e rapidamente se tornou uma mania nacional, um vício, uma lenda, passando a ser referência no mundo dos quadrinhos. O formato da revista criada por Gian Luigi Bonelli nos textos e Aurelio Galleppini nos desenhos era o mesmo de um talão de cheques! Contendo, pasmem,  32 páginas de três desenhos cada, em episódios conclusivos e continuados, podendo ter ou não ligação entre si e de periodicidade semanal. As revistinhas formavam séries, que iam recebendo nomenclaturas do oeste.

Tex Willer foi apresentado como um cavaleiro solitário que fazia justiça com as próprias mãos e por isso era taxado de fora-da-lei. Mas logo com a evolução do personagem entrou para a corporação dos Rangers do Texas – uma espécie de polícia especial dos Estados Unidos – e tornou-se um temido defensor da lei e da ordem oficial. Assim conheceu Kit Carson, um outro Ranger competente e amigo, com quem travou uma amizade firme que se prolongou por toda a sua vida. Carson que também é muito conhecido e querido por sua impagável característica: um mau humor e pessimismo intermináveis, ele é o fiel escudeiro de Tex na maioria das centenas de aventuras que já foram publicadas.

Já na primeira aventura como Ranger, Tex contracena com os índios Navajos e acaba casando com a filha do chefe, Lilith, que queria a paz com os brancos. E pouco depois ganha o apelido de Águia da Noite, que o acompanhará por toda a vida. Sua esposa morreu, deixando-lhe um filho, Kit Willer, que também se tornará um parceiro. Tex conheceu depois  o índio Jack Tigre, fechando assim o time de justiceiros que cobre o território selvagem. Apesar de que sempre que pode, prefere agir sozinho, com seus amigos apenas dando cobertura.

Nessa incrível saga, Águia da Noite ganhou notáveis inimigos. Nosso  herói passou momentos difíceis devido às ações de antagonistas do calibre do terrível Mefisto (não o vermelho e chifrudo da Marvel, calma), Jack Thunder, O Mestre, Tigre Negro, Ruby Scott, Yama, O Dragão, Macredy, James Parker, Cruzado, Cobra , entre outros.

Juntos: Kit Willer, Kit Carson, Jack Tigre e Tex

Em outubro de 1958, a revista passou do formato talão de cheques para o atual, medindo 21 x 16 cm e trazendo a aventura “A Mão Vermelha”. Com o tempo, devido ao aumento de folhas e tamanho das histórias, a editora teve novos colaboradores, tanto para as aventuras, como para a arte final e os desenhos. Essas histórias até hoje foram contadas por mais de 40 profissionais. A Sergio Bonelli Editore (nome do filho do criador) tornou-se a maior editora de quadrinhos de aventura do mundo e ainda continua firme, 64 anos depois de sua fundação.

Tex e seu cavalo Dinamite

Apesar de inúmeras injustiças e corrupções que se apresentam no velho oeste, Tex sempre faz prevalecer a justiça. O domínio tanto da pistola quanto do rifle, somado à força do seu braço e sua habilidade com a faca e o laço são as ferramentas utilizadas pelo cowboy para alcançar seus objetivos. O bacana dos quadrinhos Tex é o conhecimento que as contextualizadas histórias oferecem ao leitor. A ação tem como plano de fundo a cultura indígena, episódios marcantes da história dos EUA, os hábitos de uma época. Com a intenção de alcançar um resultado verossímil, pesquisas minuciosas foram feitas para compor com fidelidade as histórias e desenhos que transportam o leitor para o ambiente do personagem. O resultado é um quadrinho que incorpora cultura e diversão, o que explica seu sucesso. Então o que está fazendo aí parado meu caro? Suba em seu cavalo e venha comigo em mais uma aventura!

♦ Essa foi uma pequena homenagem do Santuário para esse grande personagem. ♦

TEXBR.COM

Aqui em cima temos o maior site sobre Tex em língua portuguesa, vale a pena dar uma conferida no trabalho espetacular que eles realizam com o universo do herói e abaixo a primeira parte de uma das histórias do personagem disponibilizadas no site youtube, lá vocês encontrarão as restantes assim como outras mais. Lembro que nada substitui a experiência com a revista nas mãos , mas quem sabe essas páginas digitalizadas não despertam o interesse do eventual leitor nesse grande universo?

Sobre O Santuário

EU SOU A FONTE!

Publicado em 19/07/2012, em Sem categoria e marcado como , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 61 Comentários.

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Curtir

  2. FRANCISCO DE SOUSA COUTINHO

    vendo 400 revistas de tex em perfeitas condições de uso, preço a combinar..telefone 89-9423-9021

    Curtir

  3. eu gostei muitoi dessa historia eu tenho toda a coleção menos essa

    Curtir

  4. alair ramos

    parabens pela pagina e pelo bom gosto. gostaria de adquirir algumas revistas usadas da ediçao ouro. alguem pode me ajudar?

    Curtir

  5. A primeira revista de Tex que eu lí foi ‘o veleiro maldito’… desde então, eu colecionei até 1983. Acredito que essa primeira revista devo ter lido em 1980, eu acho… tinha, então, nove anos… junto com fantasma e o homem aranha, eram as revistas que eu adorava ir à banca comprar!

    Curtir

  6. Nataniel Barros dos Santos

    A melhor revista de quadrinhos do mundo

    Curtir

  7. Cheguei atrasado, mas, deixo aqui a minha satisfação em ver que ainda existe essa grande admiração e reconhecimento por Tex. Isso graças à ótima matéria e aos belos comentários. Francamente, não tenho muito saco para esses super – heróis típicos americanos, e, prefiro mangá. Por isso, isso que gosto de Tex: o realismo proporcionado pelos traços em preto e branco e pelo fato do herói ser um simples mortal( mas especial). Sem contar a temática de velho oeste – que sou muito fã, adoro ver o tema Western em filmes, games e, lógico, quadrinhos. Vida longa ao Águia da Noite!

    Curtir

  8. Concordo plenamente com o título da matéria, sou leitor assíduo de hqs, e é claro, de Tex, e sempre digo que Tex é a melhor de todas, com histórias extremamente épicas. Pena que de certa forma, é um tanto quanto desconhecido o universo do Ranger

    Curtir

  9. TEX É O CARA!!!!!

    Curtir

  10. Marcelo Barros

    Aproveito este espaço para divulgar o meu Clube de Leitura Tex. Moro em Belo Horizonte e possuo mais de 500 titulos das revistas Tex Willer. A ideia é simples, basta comprar 10 revistas por R$ 30,00. Leia e troque-as por outras 10, pagando somente R$ 5,00 na hora da troca. Assim sucessivamente até ler todo o acervo. Importante: somente para fãs que residem na Grande Belo Horizonte, para que possam retirar as revistas pessoalmente.

    Curtir

  11. Gustavo S. Nóbrega

    Desde minha infância sou perseguido por Tex Willer (meu pai já colecionava), e ainda bem que sou perseguido no bom sentido! Realmente é a melhor revista em quadrinhos que já existiu, na minha opinião! Tex significa muitas coisas! É um justiceiro, acima de tudo! E seus parceiros não ficam atrás: o altivo Kit Carson, o enigmático e bravo Jack Tigre, e o jovem experiente Kit Willer!
    Tex não faz distinção de nada, e suas histórias, a despeito da época que elas narram, dá uma dignidade a todas as raças, principalmente aos indígenas, como nunca se viu em nenhuma outra, levando em conta a época em que as histórias são narradas (1880, mais ou menos, época de mentalidade o mais fechada possível). E essa revista é como uma aula de História, e seus desenhistas traçam paisagens que dispensam maiores comentários.
    Tex Willer não possui dons sobrenaturais, não possui os dotes dos super-heróis. Mesmo assim derrota os adversários mais imprevisíveis, e suas histórias, apesar de focarem apenas o Velho Oeste Americano, não são apenas faroeste. Ele já rodou por vários países. E seus inimigos não se restringem ao faroeste clássico. Alguns do tipo de Mefisto e os Filhos da Noite são extremamente perigosos, e ser humano algum poderia enfrentá-los e derrotá-los, mas Tex faz tudo isso simplesmente porque, segundo palavras do próprio Mefisto, “o maldito não teme nem homens nem espíritos, não teme nem o céu nem o inferno!”.
    Tex se torna mais forte a cada geração que o conhece justamente porque não é um super-herói. Super-heróis não precisam ter medo de nada e possuem poderes inesgotáveis. Tex não tem esses poderes. Tem apenas sua pontaria com as armas, sua notável força física (que no entanto não chega a ser a mesma do Super-Homem, do He-Man, e de tantos outros), e sua coragem de encarar qualquer problema, por pior que seja.
    Além do mais, a revista Tex possui enredos que não existem em revistas em quadrinhos de quaisquer outros gêneros. Tex é realmente um caso à parte.
    Vida longa ao mais longevo herói de faroeste de todos os tempos!

    Curtir

  12. nossa cara 10

    Curtir

  13. Tex está fora de qualquer cotação, quando falamos de quadrinhos Europeus. Embora prefira (de longe) o Dylan Dog, faço minha reverência ao Texano boa praça.

    Curtir

  14. Me desculpem os inúmeros fãs do Tex, mas nunca fui bem com este título. Não gosto do papel usado (estraga a arte toda), nem do formato normal. Tenho um Tex Gigante de que até gosto muito da estória, mas o papel estraga a arte… eu já vi do que é capaz Civitelli numa folha branca e em condições! É soberbo!
    De qualquer modo admiro o suceso e a lonjevidade deste título! É fantástico! Eu é que sou um pouco embirrento… lol :D

    Curtir

  15. Baita texto como sempre meu hehe
    Cara, tenho de admitir que nunca gostei muito de Tex, li várias histórias dele e tenho algumas edições muito boa na minha coleção. Mas particularmente não sou muito fã. Respeito o legado e não tenho nada contra hehe O que eu colecionei e gosto bastante, tendo até algumas edições italianas é Mágico Vento, também da Bonelli. Estou pra fazer um post lá no blog sobre MV faz tempo e não me coço hehe Talvez agora lendo tua matéria do tex eu me empolgue:D
    Falou meu.
    Abs.

    Curtir

  16. Tex é uma das revistas em quadrinhos mais tradicionais das bancas brasileiras. Mesmo não sendo minha praia (de italianos curtia mais Martin Mystery), o que é interessante de se notar é como os autores conseguem fazer com um tema estrangeiro, um estilo de publicação que é facilmente reconhecido como “italiano”. Fica para nós uma valiosa lição de que é possível pensar de um modo diferente, e criar novas formas de contar histórias, sejam elas quais forem, visto que a identidade de um quadrinho como Tex vai muito além do gênero.

    Curtir

  17. as historias abordam de tudo,aliens,indios,grana,realmente,ja li algumas e não sou fã-maluco,mas a homenagem foi bem prestada….valeu,,,,,

    Curtir

  18. Ótima lembrança, Venerável. E que trabalho de pesquisa ao informar sobre acontecimentos do ano de criação do personagem Tex, hein? Enriqueceu ainda mais a matéria! Tex é o Aranha da editora italiana, mas confesso minha preferência por Dylan Dog! Abraço!

    Curtir

  19. Parabéns pelo texto matador, chefe Vic Vermelho. Adorei a homenagem que fez, foi muito merecida! Quem não conhece esse universo (ou conhece menos do que deveria, como eu), deveria correr atrás desse prejuízo num pé de vento. Tex é não apenas um clássico, mas uma referência em quadrinhos de faroeste, o puro suco da arte sequencial italiana, e está para a Sergio Bonelli editora como Batman para a DC ou Homem Aranha para a Marvel… vale destacar que esse riquíssimo universo também possui outros grandes personagens, como Zagor, Martin Mystére, a detetive Julia, Ken Parker, a série Mágico Vento, Dylan Dog etc…

    Vida longa a Tex Willer!

    Curtir

  20. Maneiro ‘-‘

    Curtir

  21. claudio morcego

    quando comecei a ler hqs lia muito tex,fantasma e clássicos do western em livros de bolso que erão trocados na banca bons tempos. Como a bianca wernecky falou,qual banca não tinha ao menos uma edição do tex…… mais uma bela matéria parabéns…..

    Curtir

  22. Agora tocou em um estilo que eu sou um puta fã, sem duvida nenhuma é a maior HQ de todos os tempos por simples fatos: não são difíceis de se entender, são instigantes, possuem sempre uma bela arte, ótima fotografia, personagens caricatos e bem desenvolvidos, possuiu tudo que uma boa historia tem que ter, tudo e algo mais.
    Os westerns são donos da maior base para uma boa historia seja ela de qual mídia for, la estão presentes o herói solitário, a mocinha indefesa e o vilão poderoso, pra piorar todos tem armas, resumindo eles criaram ao longo dos anos o bom, o mal e o feio.

    Curtir

  23. Acho que não saberia chegar em uma banca de revistas em mundo que não tivesse uma revista do Tex na prateleira… é algo quase impensável, é o tipo de personagem que faz parte das suas fantasias mesmo que você nunca tenha lido uma de suas histórias. Esse logo é reconhecível para qualquer um de nós, homem, mulher, criança…

    Curtir

  24. Parabéns pela matéria. Achei fantástica pois presta um serviço importantíssimo na medida em que apresenta o personagem e seu universo de maneira clara. Achei ideal para apresentar o personagem a novos leitores. Parabéns à toda a turma do Santuário e em especial ao redator desta matéria nosso pard Victor.

    Curtir

  25. As minhas memórias, débeis por si só, confundem-se numa salada difícil de destrinçar entre o quê, o quando, o onde, quem, e por aí fora. Isto para dizer que não tenho memória do tempo ou das circunstâncias em que li (dentro daquilo que se possa chamar de “ler” e não apenas folhear) Texas. Mas atualmente, pesquisando, começo a perceber todo o sucesso por Texas conquistado: ação; justiça; cultura; diversão; história; humor; excelente desenho…Sementes que só podiam resultar em apetecível fruto para o leitor.
    A minha preferência, ainda assim, terá sido para Zagor. Perguntem-me “porquê” e não saberei responder; apenas que me ficou numa espécie de “retina memorial” a sua figura.

    Curtir

  26. Tex é o tipo de personagem que fica na cabeça como referência de um gênero.

    Curtir

    • “Icônico” :) ;) :) :) ;) Esse é o mérito dele acima dos demais quadrinhos Italianos mencionados acima, jovem Guy, que apesar de melhores em diversos pormenores, não alcançaram esse patamar do Ranger Eterno!

      Curtir

  27. Faz muito tempo que não leio Tex, mas é uma revista que caiu na graça do povo brasileiro e que tem muitos fãs.

    Quanto ao artigo em si, gostei, pois a retrospectiva da criação do persobagem e seu desenvolvimento foram bem abordados sem ficar cansativo nunca.

    Bom texto meu amigo.

    Curtir

  28. Nilson Andrade

    Nunca fui adepto dos Fumettis (assim chamados os quadrinhos originários da Europa). Confesso que já li muita coisa de Jonah Hex (fase boa e ruim) e Hawhide Kid, mas do mestre Bonelli nunca me aventurei. Conheço dezenas de pessoas que colocam que é uma ótima forma de desestressar e ainda mais com um lnace descompromissado, mais simples que as histórias tem (mas sem tirar seu fascínio!!). Quem sabe um dia desses eu tome coragem???? E ainda mais com títulos tão constantes no Brasil (pela Mythos já sai há uns 15 anos, isso sem contar o prestígio que a editora Record teve capitaneando-o!!!). Mas faltou mostrar os pequenos símios que também desbravavam o velho Oeste!!!

    http://1.bp.blogspot.com/-Hbe3uIeBfmo/TtrmrUVLRKI/AAAAAAAABT4/SXO9WkzqByg/s320/monkeywestern

    Curtir

  29. Leticia "Nimphadora" Fiuza

    Meu pai costumava ler essas revistas, ele tinha uma boa coleção delas. Ele sempre foi um adorador de faroestes desde filmes, músicas e quadrinhos.

    Não tive tempo de ler nada das revistas dele, por que qdo ele se mudou de casa, as levou, mas elas ficaram marcadas como algo que me lembrava a ele.

    Anos mais tarde, quando estava na biblioteca pública da minha cidade, vi um exemplar, não lembro o nº ou qual era a história, só lembro de pega-la e ler por que eu sabia de alguma forma que meu pai tinha lido.

    Obrigada por esse texto =)

    Curtir

  30. Li muito Tex no meu tempo de moleque. Um amigo meu colecionava e eu pegava carona então com o tempo a defunta Editora Vechi começo u a publicar Zagor e Ken Parker no inici oera fan do Zagor mas uando li Ken Parker abandonei os dois primeios e comecei a colecionar Ken Parker ! Muito bom! Realista! algumas HQs ficaram marcadas na memoria como A Balada Pat O’Shane e Butch o Implacável! este ultimo com uma história que revivia muito bem o espirito do West Spaghetti com seu realismo e crueldade. Tex é Legal mas Ken Parker eu recomendo mais!

    Curtir

  31. Cara, sempre que eu vou na banca eu fico naquela de “será que pego TEX pra dar uma lida e ver como é”? Para estar tanto tempo em publicação certamente deve ser bom, mas o gênero meio que repele… Ainda pretendo dar uma chance, um dia.

    Curtir

  32. Ckreed Kleber

    Sempre via essa revista nas bancas, mas nunca li nenhuma edição. Sou mesmo um verme MASSAVÉIO putinha da Marvel e da DC… :-(

    Curtir

  33. Quando na infância brincávamos de Bang-Bang, era no TEX que baseávamos a brincadeira de improvisar… isso por volta de 1980.
    Bons tempos.

    Curtir

  34. Muito boa a homenagem, Venerável, já é mais uma porta de entrada para novos leitores, nesse que é sim um dos melhores quadrinhos do mundo, lembrando que a Itália é excelente em matéria de bons personagens, revistas e profissionais, aconselho lerem também “Ken Parker”, quadrinho italiano também , não vão se arrepender! ;)

    Curtir

  35. Nunca tive a oportunidade de ler um quadrinho do Tex, mas sempre adorei histórias do velho Oeste e pelo que pude ler da matéria, realmente parece valer a pena! Ou é só o V3 com seus textos perfeitos que me fizeram adorar a história! Hehe’
    Muito show MB! Parabéns mais uma vez^^

    Curtir

  36. EDITORIAL SANTUÁRIO :

    Para quem curte também cinema, nada como uma bela trilha sonora para tornar um filme icônico, não? Bom, essa canção é do filme “Três homens em conflito” ou “O bom, o mau e o feio”, mas constante mente é relacionada com o universo dos quadrinhos de faroeste e o próprio Tex. Curtam sem moderação!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: