This is the Manifesto of the Mother Monster…

…On G.O.A.T, a Government Owned Alien Territory in space, a birth of magnificent and magical proportions took place. But the birth was not finite; it was infinite. As the wombs numbered, and the mitosis of the future began, it was perceived that this infamous moment in life is not temporal; it is eternal. And thus began the beginning of the new race: a race within the race of humanity, a race which bears no prejudice, no judgment, but boundless freedom. But on that same day, as the eternal mother hovered in the multiverse, another more terrifying birth took place: the birth of evil. And as she herself split into two, rotating in agony between two ultimate forces, the pendulum of choice began its dance. It seems easy, you imagine, to gravitate instantly and unwaveringly towards good. But she wondered, “How can I protect something so perfect without evil?”

Por Rodrigo “a Little Monster” Broilo

No início era Stefani Joanne Angelina Germanotta, uma nova-iorquina nascida em 28 de março de 1986. Agora ela é Lady Gaga, a Mother Monster.

Lady Gaga, que é cantora, compositora e produtora musical, começou sua carreira artística em idos de 2003, cerca de 8 anos atrás, quando tinha seus 17 aninhos. Ela começou se apresentando no cenário musical de rock, como o Festival Loolapalooza, e no sudoeste da cidade de Nova Iorque. Mais tarde matriculou-se na Escola de Arte Tisch (Tisch School of Arts) da Universidade de Nova Iorque e seu talento como artista, tanto vocal quanto performática, foi reconhecido e ela gravou seu primeiro álbum: “The Fame”. Lançado em 19 de agosto de 2008, ele atingiu o número #1 no Reino Unido, Canadá, Áustria, Alemanha e Irlanda, enquanto nos Estados Unidos teve a posição máxima de número #2 na parada Billboard 200 e #1 na Dance/Electronic Albums, também da Billboard.

Mas qual a importância de Lady Gaga para essa nossa realidade alternativa? Vamos analisar em cada um dos sucessos dela.

“Just dance, gonna be okay”

O primeiro single de Lady Gaga a estourar nas paradas foi “Just Dance”, junto com o pouco conhecido Colby O’Donis, ambos apadrinhados de Akon. E ela começou mesmo assim, uma música para dançar. Just Dance tinha uma batida dançante para a época (tipo, longos três anos atrás) e o povo foi curtindo a guria. Ainda com uma cara comportada, Gaga era apenas uma promessa na música, alguém que assim como surgiu, poderia desaparecer… mas não foi assim. Lady Gaga estaria muito viva no mundo da musica pop nos anos seguintes.

“Can’t read my, can’t read my
No he can’t read my poker face”

Era o sinal de que ninguém podia prever o que Gaga iria aprontar. “Poker Face” foi o segundo single da cantora a bombar e dar uma pequena idéia do visual inovador e único que Gaga adotaria como marca de sua carreira. Gaga começava a misturar formas, cores e tecnologia para criar um estilo único em suas roupas. Mas até ai ela era apenas mais uma cantora pop prestes a sumir do mapa. Tanto que seus singles seguintes, “Eh, Eh (Nothing Else I Can Say)” e “Love Game” foram apenas baladas dançantes. Embora não tenham causado tanto impacto, tocaram bastante e ajudaram a consolidar a imagem de Gaga como ousada e visionária.

“I’m your biggest fan, I’ll follow you until you love me”

 Então surgiu Paparazzi… Foi a estréia de Lady Gaga como cantora com vídeo clipes estilo curta metragem. Com mais de sete minutos, Paparazzi foi mais um sucesso de Gaga e as pessoas começaram a notar que Lady Gaga vinha para ficar. Com um clipe ousado, sem muita ligação com a letra da música, Gaga criou tendência com moda e assassinou seu namorado (no clipe gente, calma). A partir de então Gaga começou a abusar dos looks bizarros e a ganhar uma fama indevida, embora merecida, de “mais uma porr@-louka da musica”.  Embora isso reforçasse sua carreira, Gaga começou a causar mais pelas suas atitudes e forma de se vestir do que por sua musicalidade. Em 2009 Gaga foi uma das mais indicadas ao Video Music Awards (VMA) da MTV, onde ela se apresentou cantando (sim, cantando… a Monstra não fez play-back) Paparazzi. Nada seria exagerado, mesmo com seu visual, se ela não começasse a “sangrar” no palco… Claro, tudo fake. Foi só a apresentação, mas o look seguinte da moça durante a premiação foi um vestido vermelho rendado que cobria seu corpo inteiro, inclusive o rosto, como se ela estivesse inteiramente ensanguentada. Na mesma noite Lady vestiu outros dois modelitos, um deles que parecia mais uma mistura de Garibaldo, da Vila Sésamo, com uma escovinha de banheiro. Começava ai a trajetória de Lady Gaga como “causadora” no VMA.

O álbum The Fame, evoluiu (como um Pokémon) para The Fame Monster, e ganhou mais três singles de enorme sucesso. A turnê de Gaga The Fame Ball Tour virou The Monster Ball Tour e a “monstruosidade” teve início…

“I want your ugly
I want your disease
I want your everything”

Nasceu então “Bad Romance”, a musica do Ano de 2010 que catapultou Lady Gaga ao status de Diva. Nessa época as pessoas já começavam a comparar Gaga com Madonna, o que a meu ver é um tremendo equívoco. Embora a fama de Lady Gaga tenha proporções internacionais tal como a de Madonna, elas tem estilos totalmente antagônicos. É fato que Gaga se inspirou também em Mad, o que é clássico em novas cantoras, mas ela sempre deixou clara a influencia também de Britney, Queen (o nome Lady Gaga foi inspirado na canção do grupo, “Radio Ga Ga”), David Bowie, Cher, Cindy Lauper e Michael Jackson. Esse paralelo entre as duas faz muitas pessoas rejeitarem Gaga por ela “querer imitar” Madonna, uma grande pena.

“Bad Romance” iniciou a era dos vídeos “super assistidos” no YouTube e deu a marca dos seguidores da Mother Monster, os Little Monsters: a mão em forma de garra. Nesse clipe Gaga, além de continuar a abusar dos figurinos, começou a manifestar o que seria sua marca em trabalhos futuros: valorizar o que a pessoa tem, de bom e de ruim, como diz o trecho em destaque acima.

 “I leave my head and my heart on the dance floor”

Além de “Bad Romance”, “The Fame Monster” trouxe “Telephone”, a mais bombástica das colaborações de Lady Gaga até então, posto que a jovem gravou com ninguém menos que Beyoncé. O vídeo de “Telephone”, que seria a continuação de “Paparazzi”, onde Gaga está presa e usa o famoso óculos de cigarros acesos e dá um beijo lésbico, causa não só pelos visuais ousados, pela semi nudez e pelos assassinatos em massa, mas pela musica dançante e pela dúvida que fica no ar: seriam Gaga e Beyonce um casal nesse clipe?

“At this point I’ve gotta choose
Nothing to lose”

“The Fame Monster” ainda presenteou os fãs de Lady Gaga com “Alejandro”, um clipe com claras homenagens a diva maior, Madonna, como um ode aos gays, seu publico mais atuante. Em uma de suas muitas premiações, Gaga a dedicou “a Deus e aos Gays”.

O ano de 2010 foi marcado por “The Fame Monster”, e “Bad Romance” ganhou o premio de Video do ano no VMA. Obviamente que Gaga aprontou nesta premiação. Embora tenha usado “apenas” três looks, dois deles muito mais “usáveis” que os do ano anterior, Gaga foi receber o prêmio de Vídeo do Ano com um repreensível vestido de carne crua. De longe os tons de vermelho, rosa e branco do vestido caiam muito bem em Gaga, mas ao repararmos sobre a longa cabeleira branca (a lá Tempestade) e perguntarmos “aquilo é um bife?” vemos que Lady Gaga havia aprontado de novo.

“I’m beautiful in my way
‘cause God makes no mistakes
I’m on the right track baby
I was born this way”

2011 marcou a estreia do segundo álbum de estúdio de Lady Gaga. Intitulado “Born this way”, nome do primeiro single do mesmo, Lady Gaga deu início a uma ideia não batizada de multiversidade, de valorização de quem cada um é de verdade.

Sobre esse novo trabalho, antes de seu lançamento, Lady Gaga disse:

“Eu prometo, eu nunca vou os decepcionar. E não é à toa: o álbum foi concluído e é do c@r@lho, muito bom. […] Eu prometo dar a vocês o maior álbum desta década […] O engraçado é que algumas pessoas tem reduzido a liberdade a uma marca. Elas pensam que agora é moda ser livre. Elas acham que é moda ser animada sobre a sua identidade. Quando na verdade, não há nada na moda sobre Born This Way. Essa conexão que todos nós tanto compartilhamos é algo mais profundo que batom, uma peruca ou uma roupa, ou um vestido de carne de merd@. […] Born This Way é sobre o que nos mantém acordados à noite e o que nos faz ter medo”.

“Born This Way” (o clipe) começa com o prólogo que vocês podem ver no início deste artigo, o Manifesto da Mãe Monstro. E continua com uma letra que mostra que cada ser humano é lindo a sua maneira, pois Deus não comete erros, e nós nascemos desse jeito. Com uma letra que, segundo alguns, “incita a homossexualidade”, “Born This Way” foi proibida ou editada em países de maioria islâmica.

A verdade é que com essa música Gaga defende, intencionalmente ou não, a tolerância numa época como a nossa em que a raça humana vive um misto de evolução e de retrocesso.

Essa música faz parte da onda de clipes da Lady Gaga que mais parecem vídeo-clipes, e merece ser visto na íntegra.

“I’ve learned love is like a brick you can

Build a house or sink a dead body”

O segundo single de Gaga deste segundo álbum foi “Judas”. Embora à primeira vista a música pareça uma afronta, onde ela diz amar Judas, e com um clipe cheio de referências a Jesus Cristo, a própria Lady afirma que essa música é sobre “mulheres que amam os homens errados, mesmo sabendo que eles assim o são”. Mesmo sendo algo que surgiu desde Alejandro, as músicas desse novo álbum de Gaga tem uma forte presença de uma religiosidade cristã, seja na letra ou nas imagens, mesmo que não professada nos moldes de nenhuma religião.

“There ain’t no reason you and me should be alone tonight”

Depois de vários videoclipes onde reinavam imagens, roupas, cenários e histórias extravagantes, surgiu “The Edge of Glory”, com uma Lady Gaga mais simples (se comparada as performances anteriores), apenas cantando e dançando uma balada dançante em um beco com uma escada. Gaga começava a mostrar que ela não era só uma imagem ousada ou bizarra, mas uma cantora com música a oferecer. “The Edge of Glory” é para alguns o melhor trabalho de Gaga (eu ainda fico com Born This Way).

“There’s only three men that ima serve my whole life

It’s my daddy, and Nebraska and Jesus Christ”

O mais recente single de Gaga, “Yoü and I” apresenta um clipe que pra mim ainda não fez sentido, a volta da dança coreografada como em Bad Romance, mas a estreia de uma sonoridade diferente de Lady Gaga, algo mais melódico, com “rockability”. Essa nova música reforma a admiração e amor de Gaga por Jesus Cristo e por seu pai. Segundo ela, de todo o dinheiro que ganhou como artista que ganhou em sua curta, porém milionária, carreira como cantora, ela comprou “apenas” duas coisas: seu palco e um carro novo para seu pai, apenas para que ele se livrasse do anterior com uma placa com o nome dela.

Recentemente ocorreu o VMA 2011 e a especulação maior não era quem ganharia mais prêmios e sim: o que Lady Gaga vai usar? Vários artistas se preparam para causar tanto quanto Gaga: Nicky Minaj veio com uma máscara tampando a boca; Katy Perry usou 4 vestidos (um de japa para chegar, um mais comportado para apresentar um dos prêmios, um exótico com um cubo colorido na cabeça durante a cerimônia, e um para ir embora); Beyonce causou anunciando estar grávida; até Justin Bieber tentou aparecer segurando uma cobra viva durante toda  a apresentação (significa?). E mais uma vez Gaga causou. Sabe porque? Pois ela se apresentou, entregou e recebeu prêmios, sempre vestida como Jo Calderone, seu alter-ego masculino em “Yoü and I”. E ela arrasou ao cantar essa mesma música.

O álbum ainda contém outras musicas que devem ser lançadas como singles em breve. Gaga ainda prometeu uma participação com a diva aposentada Cher para esse mês de agosto.

Quer saber outras curiosidades sobre Lady Gaga?

  • “The Fame” conseguiu um total de seis indicações e dois prêmios nos Grammy Awards de 2008.
  • No início de 2009, ela embarcou na sua primeira turnê própria, a The Fame Ball Tour.
  • O álbum estendido, “The Fame Monster”, vendeu mais 11 milhões de cópias e foi o mais vendido de 2010.
  • O seu segundo álbum de estúdio, “Born This Way”, foi lançado em 23 de Maio de 2011 e já vendeu cerca dois milhões de cópias nos EUA e cinco milhões mundialmente.
  • Foi listada como a 73ª Artista da Década 2000-10 pela Billboard.
  • Em maio de 2010, a revista Time incluiu-a na sua lista anual das 100 pessoas mais influentes do ano no mundo.
  • Em junho, a Forbes colocou-a na quarta posição na sua lista das 100 Mais Poderosas e Influentes celebridades no mundo.
  • Com dados de 2011, ela já vendeu 24,1 milhões de álbuns e 51 milhões de singles mundialmente.
  • Lady Gaga frequentou aos onze anos um convento, o Convent of the Sacred Heart, uma escola católica romana privada no noroeste de Manhattan, o que com certeza influenciou muito suas obras.
  • Ela aprendeu a tocar piano aos quatro anos de idade, e escreveu a sua primeira canção de balada no instrumento aos treze; por volta dos quatorze começou a se apresentar em casas noturnas.
  • “Boys Boys Boys”, musica de “The Fame”, foi inspirada pelas canções “Girls, Girls, Girls” de Mötley Crüe e “T.N.T.” de AC/DC.
  • Ela foi indicada para um total de nove prêmios no MTV Video Music Awards de 2009, ganhando a categoria Artista Revelação, enquanto “Paparazzi” ganhou dois prêmios: Melhor Direção de Arte e Melhores Efeitos Especiais.
  • Em outubro de 2009, Gaga recebeu o prêmio Estrela Ascendente de 2009, da revista Billboard.
  • Ela compareceu ao National Dinner da Human Rights Campaign no mesmo mês, antes de discursar na Marcha Nacional pela Igualdade em Washington, D.C.
  • Gaga já se apresentou para a Rainha.
  • Gaga foi escolhida como uma das 10 Mais Fascinantes Pessoas de 2009 por Barbara Walters durante o seu especial anual da ABC News.
  • Lady Gaga já foi “acusada” de ser hermafrodita (ou no politicamente correto, intersexual), ao que Gaga disse ser uma lenda urbana: “eu me interpreto em um jeito muito andrógino, e eu amo androginia”.
  • Em maio de 2010, em uma entrevista com o The Times, Gaga deu a entender que possui Lúpus eritematoso sistêmico, normalmente referido simplesmente como lúpus, que é uma doença ainda sem cura. Em uma entrevista com Larry King, Gaga confirmou que não tem lúpus.
  • Em dezembro do mesmo ano “The Fame Monster ganhou seis nomeações ao Grammy, entre eles incluíram Melhor Álbum Vocal Pop e Melhor Álbum do Ano.
  • Sobre Lady Gaga, a cantora Cyndi Lauper disse: “Gaga apresenta suas ideias de forma sofisticada. Ela tem uma incrível sensação pop. As pessoas se esquecem de quão jovem ela é (…) tem apenas dois álbuns, mas inspira outros artistas a irem em frente com seu próprio trabalho. Quando vejo alguém como Gaga, me recorda a admiração (…) não é um ato de música pop, é a interpretação de um artista.”
  • Em outubro de 2010, a cantora tornou-se a primeira artista a obter mais de um bilhão de visualizações de seus vídeos no Youtube.
  • Em dezembro de 2010, Gaga foi eleita a artista do ano pelas boas vendas dos álbuns The Fame e The Fame Monster, que correspondem aos 4º e 13º colocados na lista de álbuns do ano, respectivamente.
  • Ainda em dezembro, o museu de cera Madame Tussauds, inaugurou oito modelos de cera da cantora que foram inauguradas simultaneamente nas unidades de Londres, Amsterdã, Berlim, Nova Iorque, Hollywood, Las Vegas, Xangai e Hong Kong e foi definido por seus organizadores como o mais ambicioso da história do museu, que existe desde 1835. Cada réplica é vestida com um visual diferente da cantora.
  • Um magnata russo pagou um milhão para aparecer no clipe de Alejandro.
  • Em 13 de Fevereiro de 2011, ela ganhou três Grammys: Melhor Performance Vocal Feminina de Música Pop por “Bad Romance”, Melhor Álbum Pop por “The Fame Monster” e Melhor Videoclipe de Curta Duração também por “Bad Romance”. Na cerimônia a cantora interpretou pela primeira vez “Born This Way”.
  • Em julho de 2011, foi noticiado que Lady Gaga estava envolvida na produção do vigésimo sexto álbum de estúdio de Cher. Mais tarde, a cantora publicou em sua página na rede social Twitter que Gaga havia contribuído para o álbum com uma canção intitulada “The Greatest Thing”. Em agosto de 2011, Lady Gaga colaborou com seus próprios vocais para a canção. O dueto foi anunciado como single e possui lançamento previsto para setembro de 2011.
  • A moda foi identificada por Lady Gaga como uma grande influência. Ela considera Donatella Versace como sua musa. Gaga possui uma equipe própria de produção criativa chamada Haus of GaGa, que ela acompanha pessoalmente.
  • Ela foi eleita a celebridade mais bem vestida de 2010 pela revista Vogue, ficando à frente de personalidades como Michele Obama e Sarah Jessica Parker.
  • A lista de prémios e indicações de Lady Gaga consiste em 109 prêmios vencidos de 119 indicações totais.
  • Lady Gaga tem no total duas turnês: a The Fame Ball Tour e a The Monster Ball Tour.
  • Na televisão, Lady Gaga já recebeu tributos e fez aparições. A série de televisão Glee, fez tributos em dois episódios: “Theatricality” na primeira temporada e “Born This Way” na segunda. Ela fez uma aparição em Gossip Girl no episódio “The Last Days of Disco Stick” da terceira temporada.

Muitos de vocês podem se perguntar: porque Lady Gaga num blog com cara de quadrinhos? Gaga tem algo de nerd? Até tem, como o visual a la Mulher Maravilha que ela e Beyonce usaram em “Telephone”, os visuais futuristas e monstruosos de clipes como “Born This Way” ou os vestidos de “Hello Kitty” e “Kako, o Sapo” dos Muppets que ela já vestiu.

Na verdade, o Movimento Santuário é mais do que um blog nerd sobre quadrinhos. Nós queremos mostrar o que gostamos e o que nos inspira a fazer de nossas vidas santuários. Gaga tem uma carreira dedicada à diversidade, a arte visual e musical e a valorização desse trabalho. E nós (principalmente eu) valorizamos essa contribuição. Gaga tem tirado pequenos artistas como Grayson Chance e Maria Aragon do anonimato e tem trazido a musica um novo folego pop.

Por essas e outras Lady Gaga é a Mãe Monstro.

E se você acha que o negócio de Geek é o bom e velho rock e que Lady Gaga não canta nada… Aproveite!
http://player.mtv.uol.com.br/embed.php?id=m:686106

Outra curiosidade é que eu e Lady Gaga nascemos no mesmo dia: 28 de março de 1986. E analisando nossos traços físicos, nosso estilo de se vestir, nossa musicalidade e performance como a entender porque Deus nos separou tanto ao nascermos…

Anúncios

5 comentários sobre “This is the Manifesto of the Mother Monster…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s