Liga da Justiça Internacional – é através de seus vilões que você define seus heróis

Por Venerável Victor  “Muito louco”   Vaughan

Desde que foi criada, a Liga da Justiça vive de gerações.  Gerações de heróis que integram suas fileiras, gerações de roteiristas com suas propostas que levantaram ou afundam o título, gerações de leitores que  a acompanham e fazem desse que é o primeiro e maior super grupo dos quadrinhos o sucesso que é. Nos anos 60, a geração dos Baby Boomers americanos, filhos dos sobreviventes da Segunda Grande Guerra, voltados para o capitalismo fervoroso e  apaixonados por Baseboll, inspirou o roteirista Garder Fox a batizar a nova equipe de super heróis que montava de “Liga” e não mais “Sociedade” . Na década de 80, inspirados pela geração X de novos leitores –  crianças que se mostraram muito mais integradas com idéias e conceitos diversificados –  a DC lança a Liga da Justiça Internacional, com heróis conhecidos e outros nem tanto. Mas o que define o valor de um herói  é o desafio que ele enfrenta,  é a qualidade de seus vilões! Então vamos relembrar um pouco algumas das grandes “ameaças” que esses queridos personagens tiveram que superar. Numa época em que até o Mão Negra  – hoje em dia, um grande vilão na saga A Noite mais densa – era um perfeito idiota e levava uma surra a cada 6 edições do Lanterna Verde , Guy Gardner.

Rumaan Harjavti e os Justiceiros  #2, 1987

Após no primeiro número, a Liga impedir que terroristas detonassem o prédio das Nações Unidas surge o coronel Rumaan Harjavti , o ditador  mequetrefe de uma nação do Oriente médio chamada Bialya  e inimigo declarado do ocidente. A Liga da justiça respondendo a um pedido de ajuda das Nações Unidas, vai investigar o aparecimento de 3 superseres que “aliados” a Rumaan, planejavam desarmar todas as ogivas nucleares da União Soviética e depois partiriam para a América com o mesmo intuito – na verdade eles ingenuamente estavam sendo manipulados pelo ditador, ao chegar na Terra, pois Rumaan desejava que eles fizessem o favor de desarmar  as duas superpotências para  seu país ser o único com  poderio nuclear no planeta – . A liga América  eventualmente encontraria diversas vezes  Harjavti que safadamente sempre se valeria de brechas nas leis internacionais para alcançar seus objetivos de tornar Bialya uma grande potência nuclear. Vindos do planeta  interdimencional Angor, esses “Justiceiros” foram criados muito antes dessa nova encarnação da Liga da Justiça cômica, eles foram desenvolvidos pela DC como uma alternativa para o encontro da Liga x Vingadores que até então não se realizava e nitidamente homenageavam, Thor, Feiticeira Escarlate e Homem-formiga.

Homem Cinza   #2, 1987

Criado por De Matteis para a série do Senhor Destino (cá entre nós, ele  é muito bom com roteiros sobrenaturais) Antes o cara era um feiticeiro determinado a descobrir e entender os segredos do universo, o Homem Cinza foi punido por sua ganância e petulância pelos onipotentes Lordes da Ordem – que apesar do nome, assim como os Guardiões do Universo, dos Lanternas verdes, são criaturinhas bem difícieis de se lidar –  condenando o infeliz a vagar pelo mundo como um imortal e ir coletando a essência onírica dos mortos, como alimento para eles. E querem saber o que mais??? Para os Lordes da Ordem isso era uma dádiva concedida, mas o cara não encarava da mesma forma esse trabalho excravo e resolveu não mais coletar essa essência para seus mestres, passando a se alimentar ele mesmo dela, tornando-se cada vez mais poderoso e atacando o mundo que eles protegiam – por acaso o nosso – como uma forma de vingança. Após ser derrotado e punido (novamente???)  pelos Lordes da Ordem, futuramente nas histórias da Liga Internacional Europa apareceria um segundo Homem Cinza ainda mais perigoso. afinal, um Homem Cinza é sempre indispensável para o trabalho sujo dos imortais.

A Real Guangue de Espadas  #4, 1987

Essa gangue ridícula  criada na década de 60 – que não se chamava assim porque só tinha heterosexuais –   já teve diversos membros desde que se organizou, dependendo do escritor à frente deles, mas invariavelmente sempre procuram ter um capanga chamado “10”, um Valete, uma Rainha, um Rei e uma Áz. Na verdade nunca passaram de saco de pancada, inclusive dos Titãs. Nessa nova empreitada desses filinhos da putinha, Maxwell  Lord, secretamente mexeu seus pauzinhos –  sempre ele – para que a Gangue fosse derrotada publicamente pelo Gladiador Dourado e assim, ele fosse convidado a integrar a Liga América.

Lorde Mangá Khan #14 1988

Esse cara é um comerciante intergaláctico com tendências melodramáticas – na verdade está mais pra contrabandista  com pretenções a ator canastrão –  Mangá é um ser gasoso, ele tem a abilidade de fisicamente interagir com qualquer objeto e animá-lo para poder se comunicar, para tanto ele usa essa ridícula veste robótica e para ajudá-lo e servi-lo, nas suas transações comerciais de planeta em planeta, ele criou uma série de servos robôs, de onde L – Ron é o mais famoso e carismático. No início ele foi caracterizado como um vilão, pois sequestrou o Senhor Milagre como forma de agradar Darkseid e abrir  linhas comerciais com Apokolips  mas no futuro da equipe ele se tornou até um aliado, trocando L- Ron com a Liga pelo corpo aprisionado de Despero – o que foi a melhor coisa que aconteceu na vida desse robôzinho –  L – Ron começou então a executar serviços domésticos nas embaixadas da Liga Internacional, seu nome foi uma homenagem ao escritor de ficção científica e fundador da Cientologia – aquele religião de doido varrido do Tom Cruise –  L. Ron Hubbard. A última vez que Mangá Khan foi visto, tinha aberto uma escola de arte dramática, para ensinar outros a falarem exatamente como ele fala. E o infeliz tem alunos! 

Abelha Rainha   #16 1988

Essa vaca – gostosa pra danar –  com a ajuda de diversos membros controlados mentalmente – esse é o poder dela  – dos Guardiões Globais, sua antiga super equipe de heróis de diversas nacionalidades  (de onde vieram a Fogo e a Gelo tempos depois) Destronou o ditador Rumaan Harjavti do comando de Bialya e se auto proclamou a nova líder política do país, dando muito problema em seguida pra Liga.

Lobo #18 1989

Sim , o maior Motherfucker do espaço, foi criado por Guiffen em 1983, muito antes da Liga cômica estrear, para as histórias dos Omega man, e na nova LJA, foi reintroduzido a princípio de forma engraçada, como um assassino de aluguel, pago por Mangá Khan pra matar a Liga, ele se aproxima da equipe se fingindo de bonzinho para ganhar sua confiança mas logo de cara entende que se ficar por ali muito tempo a loucura daqueles caras ia enlouquecer ele próprio. A cena de porrada entre ele e Guy Gardner estão entre as coisas mais engraçadas que essa revista já teve. Ele fez tanto sucesso, que veio a reaparecer em outros títulos e evoluiu para o personagem que conhecemos e amamos  – ou não – hoje em dia. Espero aliás, que o Lobo se manque e pague os direitos de imagem pro Kiss por usar a maquiagem deles.

Liga da Injustiça #23 1989

O Major Desastre , que na época era mais um vilão classe Z, assim como o  Mão Negra – antes de A Noite mais Densa – juntou seu próprio grupo de supervilões para …bom… eles nem conseguiam se decidir qual seria o objetivo real da equipe, se era dominar o mundo, roubar bancos, ganhar uma partida de pôker ou conseguir sobreviver a tanta confusão que eles mesmos aprontavam… para se livrar de vez desse angú de caroço que era essa droga de equipe, Maxwell Lord  tem a genial idéia de juntá-los a Gnort e transformá-los na Liga da Justiça… Antártida! Onde nenhum deles poderia mais perturbar o juízo de ninguém. Querem saber tudo sobre o maior Lanterna Verde do universo, Gnort? Cliquem aqui.

Despero #36 1990

Quando o Caçador de Marte aponta o dedo assim, o bicho pega! Nesse arco de histórias realmente o bicho pegou pela primeira vez, criado por Gardner fox, e oriundo do planeta interdimensional, Kalanor, Despero nasceu um mutante que possuía um poderoso terceiro olho capaz de hipnotizar. Usando seus poderes mentais, tornou-se supremo ditador de seu planeta e foi humilhantemente derrotado pela Liga da Justiça – os integrantes fodões : Mulher Maravilha, Flash, Aquaman, Lanterna Verde… – em uma história da década de sessenta. Agora, nessa nova incarnação da Liga de Guiffen, Despero após um ritual místico que o tornou imensamente mais poderoso,  vem a Terra com o intuito de humilhar e matar a Liga como vingança pelo que sofreu. Tenso, foi o primeiro momento em que nós leitores falamos… #$@%& pra Liga! E as historias começaram a ficar menos leves  e engraçadas, pouco a pouco.

Apesar de toda levada cômica que a revista teve durante mais de 4 anos, se pararmos pra pensar direitinho, essa Liga da Justiça desde o início de suas histórias derrotou terroristas muçulmanos que queriam explodir o prédio das Nações Unidas se suas exigências não fossem ouvidas,  impediram um conflito nuclear entre Estados Unidos e União Soviética, na segunda e terceira edição. Salvaram o mundo da ameaça mortífera do Homem Cinza, na quarta. Impediram que o planeta fosse escravizado por diversas raças alienígenas na Saga INVASÃO … então da muito bem pra ver que apesar das críticas de alguns leitores de que faltava ação e objetivo nessa encarnação do super grupo, a equipe criativa por trás de tudo não estava de brincadeira como seus personagens invariavelmente se comportavam. Mas aí veio os anos 2000  e com ele a geração Y,  revolucionando  no nosso mundo as comunicações, a informática e as relações sociais, uma nova geração de crianças e eventuais leitores surgiu. E nessa “Nova onda”  surge a nossa Liga da Justiça GERAÇÃO PERDIDA, onde  o maior vilão de todos os tempos da equipe, estava com eles desde o começo. Max Lord…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s