O Sombra # 1 – Desaniversário!

Ou: “Ele voltou, mas não está nem aí pra você”.

Contém spoilers of the darkness.

Por Rodrigo Garrit

Uma das melhores HQs de super-heróis dos últimos anos se chamava “Starman”, era escrita por James Robinson e desenhada magistralmente por Tony Harris (Ex-Machina).  Nela víamos as aventuras de Jack Knight, filho de Ted Knight, o Starman original da Sociedade da Justiça. Jack assume involuntariamente o manto de Starman após a morte de seu irmão, David,  que teria sido o sucessor natural de seu pai, empolgadíssimo em vestir o manto, mas que infelizmente acabou baleado e morto nas ruas de Opal City.

Nesse ótimo título, James Robinson resgatou o vilão Shade, conhecido no Brasil como Sombra; misterioso, irônico e indiferente à maioria das pessoas. Mas um vilão tão bem construído e cheio de reveses interessantes e virtudes duvidosas, não passou incólume pelos leitores, e acabou roubando mesmo foi a cena. Tornou-se um dos personagens mais atrativos da série, e por vezes acabou sendo mais heroico do que perverso, embora nunca tenha deixado de agir em favor de seus próprios interesses.

O Sombra agora retorna em revista própria, com a bela arte de Cully Hamner e escrita pelo responsável a tirá-lo do limbo no passado; um inspirado James Robinson, livre do toda e qualquer amarra imposta aos grandes heróis com anos de tradição. Alias, “herói” é algo que o Sombra não é. Sua personalidade peculiar continua intacta e isso provavelmente faz dele um dos personagens mais humanos dos quadrinhos, uma vez que não dedica sua vida a salvar o mundo, mas também, não planeja elaborados planos de vingança nem atos hediondos de violência. (Na maioria das vezes). Ele continua morando na charmosa cidade de Opal City, e hoje em dia está regenerado e devidamente aposentado de sua vida criminosa. É um homem culto, e aparentemente está andando pelas sombras há muitas e muitas décadas, embora não envelheça. Sua origem, a forma como ganhou seus poderes e os eventos que o levaram a ser o que é hoje continuam enevoados, mas nessa edição, temos um avanço na solução desse mistério. Claro que em se tratando dele, não seria um especial de “Origem Secreta”. Mas são reveladas algumas palavras chave, dando a deixa para que se liguem os pontos. Outubro. Aniversário. Crianças. Melancolia.

A edição abre com o Sombra conversando cordialmente com Mikaal, o alienígena azul que atualmente ostenta a alcunha de Starman. Diálogos afiados e inteligentes, marca registrada de Robinson marcam presença, tornando a leitura muitíssimo agradável.

Paralelamente, o leitor acompanha a perseguição de um homem chamado Willian Von Hammer, um alemão que é atacado por uma equipe de assassinos meta-humanos, mas ele acaba com a raça deles, matando-os sem dó nem piedade. Antes do ultimo deles morrer, deixa escapar o nome do mandante, mas só consegue pronunciar: “Foi Cald…”.

Isso parece ser o bastante para Willian saber que precisa avisar o Sombra sobre o perigo. Mais mistérios…

O Sombra, por sinal está namorando com a policial  Hope O´Dare, com quem trava um diálogo esclarecedor; Hope diz que ele não é mais o mesmo homem de antes, e precisa voltar a encontrar a velha diversão…  não uma volta ao mundo do crime, mas ele precisa se aventurar.

O gibi é um poema visual moderno, é James Robinson rejuvenescido, voltando à fonte de suas melhores histórias da época em que fazia Starman, depois de passar por uma fase apenas regular (alguns diriam “muito ruim” na Liga da Justiça). É o que foi dito antes sobre a diferença entre escrever histórias para personagens com muitas amarrações de anos de cronologia e a liberdade de roteirizar um título sobre um ser amoral movido a sarcasmo e que pode ser o seu pior pesadelo ou salvar sua vida, dependo do seu humor.

Quem de fato é o Sombra? Quem de fato somos cada um de nós? Se nossa vida fosse um gibi seriámos heróis ou vilões? Que personagem você interpreta na sua vida?

A trama conta ainda com a participação especial do Exterminador, que cara a cara com o Sombra, revela que foi contratado para mata-lo.

Então o poema moderno termina de forma cíclica, com folhas de outono e o contraste de um final que invoca uma cena dramática, violenta e chocante, na intenção de prender o leitor para a próxima edição.

Desnecessário. Eu voltaria do mesmo jeito.

Nota: 9

Anúncios

8 comentários sobre “O Sombra # 1 – Desaniversário!

  1. A DC é a casa do LEGADO e um dos mais belos é o do Starman, some isso com um roteirista realmente inspirado e um vilão/anti-herói muito bem construído e uma cidade ” opal City” interessantíssima, temos uma pedaço fantástico desse universo de personagens. Agora se na Terra regular o Mikaal é o Starman oficial..na Terra paralela da Socieadade da Justiça vamos ter outro Starman, talvez!!! Muitas possibilidades!

    Curtir

  2. Também espero que todos esses antigos elementos da fase de Robinson em Starman voltem, pois eram esses pequenos detalhes que faziam as histórias ser tão especiais.

    E não fique triste: sexta que vem a maldita está aí…. hehehee

    Curtir

  3. Bom demais ver James Robinson com um anti-herói tâo cativante como o Sombra (deu saudade da Metal Pesado e Dark Heroes onde esse material do Starman saiu no Brasil). Melhor ainda é ver o Mikaal também (comeu o pâo que o diabo amassou nas mâos do Robinson!). Espero que ele seja presença constante. Será que aquele circo cheio de Freaks shows e uma certa loja de antiguidades também estarâo presentes? Hoje nâo é dia de Sexta Maldita bebê, mas só essa matéria já valeu po qualquer malvado que pasasse por aqui!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s