Monstro do Pântano # 3 – The Arcane´s Family Horror Show!

Ou: “Nós somos o efeito que temos sobre nossos amigos”.

Por Rodrigo Garrit

Este artigo contém esporos.

Em um hospital nos pântanos do Texas, Willian, um garoto com uma doença rara, não pode viver exposto ao ar como todas as outras pessoas do mundo, pois devido a uma alergia aguda e fatal à clorofila, morreria em minutos.  Por isso ele vive literalmente dentro de um bolha de plástico, uma câmara estéril, isolado do contato humano direto, mas sentindo bem de perto a indiferença e o ódio de outros meninos internados no mesmo hospital. Nem todas as crianças com tumores incuráveis são doces e gentis. Um deles encosta a ponta de um garfo no plástico que preserva a vida do menino, enquanto os enfermeiros não estão olhando.  Ele prometeu voltar a meia noite para completar o serviço. “Vou estourar sua bolha essa noite, aberração”.

Não bastasse isso, Willian vê coisas sinistras falando com ele, sussurrando mensagens de horror.

Ao mesmo tempo, Abigail Arcane sequestra Alec Holland. Ela aponta um rifle para o peito dele e promete disparar no três, a menos que ele prove ser quem diz que é. O homem oferece a carteira e dinheiro, mas ela não está interessada. E começa a contar.

Vamos falar um pouco sobre o passado da não tão feliz família Arcane. Abby Arcane, ou Abby Cable, nome que usava quando era casada com Mathew Cable, conheceu o Monstro do Pântano na fase escrita por Alan Moore, e logo criou-se uma fortíssima conexão entre eles.

A família Arcane vem de uma longa linhagem de feiticeiros, maus caráteres e sem coração. Cada geração parecia ser mais podre que a anterior, mas por alguma razão, Abigail era diferente. Seu tio, Anton, por outro lado, não hesitaria em vender a alma mil vezes para conseguir seus objetivos. Mas uma vez foi o bastante.

O marido de Abby, Mathew Cable, foi possuído por Anton e sem que ela soubesse, acabou tendo uma relação incestuosa com a sobrinha. Após a intervenção do Monstro do Pântano, Mathew entrou em coma e Abby foi lançada ao Inferno, arrastada por seu tio. Mas o amor do Monstro era tão forte que ele desceu até o Reino das Almas Condenadas para salvar sua amada, numa versão mais assustadora da lenda grega “Orfeu”, com alguns toques de “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri.  A Criatura do Pântano teve ajuda do Vingador Fantasma, Desafiador, Espectro e até mesmo do demônio Etrigan, numa das histórias mais memoráveis numa serie de HQs já memoráveis. No Inferno, ele encontrou Anton, sofrendo o Diabo por todas as suas maldades… e num dos diálogos mais tensos dos quadrinhos, Anton diz: “D-Devo estar com uma c-cara ho-horrível! O-Ovos de insetos… e-estão incubados den-dentro de mim… mes-mesmo assim, eu ti-tive minha vingança! V-Você veio procurar m-minha sobrinha, não? E-Ela está mais adiante… Q-Quando você a vir, m-miserável, não vai nem q-querer chegar perto… espere! P-Por favor, antes de ir… Q-Quantos anos f-faz que es-estou aqui”? e então o Monstro responde: “Desde ontem.” – o que leva o que sobrou de Anton ao total desespero. Era Alan Moore provando que pode acelerar nosso ritmo cardíaco só com algumas palavras.

Seu esforço é recompensado quando o Monstro consegue salvar sua amada, e dois ficam novamente livres para ficarem juntos. Ela foi a amante do Monstro do Pântano por vários anos, e o amor florescia imponente pelos pântanos, longe de qualquer julgamento humano. Ah sim, mas Abby era casada, certo? Bem, Mathew havia entrado em coma depois da possessão de Anton e morreu. É permitido a algumas pessoas que morrem dormindo, ficar no Mundo dos Sonhos, desde que seu mestre, Morpheus, o permita. Foi o caso em questão, então Mathew tornou-se um corvo falante e passou a ser visto frequentemente nas histórias de Sandman. Mas isso é outra história.

Bem, antes desse flashback com as felizes lembranças da Família Arcane, nós estávamos prestes a vez Abigail disparar seu rifle no peito de Alec, a menos que ele provasse algo para ela. No ultimo instante, ele passa no teste, já que a mulher de cabelo exótico é agarrada por diversos galhos e cipós que a imobilizam. Ela se dá por satisfeita ao perceber que está diante do verdadeiro Alec Holland. Pela primeira vez na vida.

Fica claro que Alec não tem apenas dons para jardinagem, mas todos os poderes do Monstro do Pântano. Talvez mais… E ainda há aquilo que ele poderá se tornar. Ela então explica que da mesma forma que algumas pessoas têm uma conexão com o Verde, outras tem conexão com o elemento oposto… a matéria morta, ou apenas o “Podre”. (Embora isso não tenha sido mencionado nessa edição, é evidente para quem acompanha “Homem Animal”, que existem ainda pessoas com uma conexão com o Vermelho – cujo oposto, ao meu ver, também seria o Podre).

Abby conta mais um pouco de sua história, diz que sua família sempre teve essa conexão com o Podre, embora seu pai tenha alimentado isso e abraçado essa causa de bom grado. Ela mesma sente essa ligação, embora seu contato com o Monstro do Pântano a tenha protegido, mas desde que ele desapareceu, tem ficado mais difícil para ela fugir desse destino.

Mas o real motivo dela ter sequestrado Alec é que ela precisa de ajuda para salvar seu meio irmão. Assim como Alec está destinado a ser campeão do Verde, ele está para ser o avatar do Podre, que é um grande fã de clássicos e não vai hesitar em reviver todas as antigas pragas bíblicas e sabe-se mais que outros horrores pelo mundo.

Alec concorda em ajudar, e ambos partem para um certo hospital nos pântanos do Texas, onde o garoto está internado, preso a uma câmara estéril…

Mas eles chegam meio tarde. No hospital, só encontram pessoas mortas expelindo tumores por todos os orifícios do corpo. E Willian, o garoto com poder para acabar com toda a vida no mundo está à solta…

É mais um gibi de terror de altíssima qualidade, trazido até nós por Scott Snyder (roteiro) e Yanick Paquette (desenhos).

Nota: 10

Anúncios

10 comentários sobre “Monstro do Pântano # 3 – The Arcane´s Family Horror Show!

  1. Ainda existe vida inteligente nos quadrinhos além do Alan Moore, é óbvio… Alan foi o melhor, mas ele desistiu da carreira, então agora é olhar pra frente e saber elogiar quem é bom também, sem comparações.

    Curtir

  2. Muito obrigado Henry por resenhar todo mês uma das melhores coisas que a DC faz e com certeza uma das melhores coisas que o Santuário aborda, olha que volto aqui por vários motivos mas a resenha do Monstro tá entre essas 10 coisas com certeza!

    Curtir

  3. Monstro do Pântano sem Alan Moore,prá mim,não possui a sua grandeza.Usarei as palavras do Neil Gaiman:”Há uma coisa que vc precisa saber sobre Alan Moore:ele é um gênio.Eu tinha parado de ler quadrinhos,foi o Monstro do Pântano que me trouxe de volta.Antes ele era apenas uma planta.Moore converteu isso.Agora,ele é um homem que se transformou em planta.Uma planta com delírios de grandeza.Adorei a paixão,a inteligência”.Quem sou eu,para objetar.

    Curtir

    1. Eu também… se não me engano, Caim e Abel surgiram primeiro no título “Casa dos Mistérios”, depois foram usados por Moore em Monstro do Pântano e em seguida por Gaiman em Sandman, onde ganharam muito destaque… eles (Moore e Gaiman, Não Caim e Abel) sempre foram amigos e trocavam figurinhas direto. Sorte nossa!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s