New Guardians #3 – Pode um humano ostentar o espectro emocional inteiro?

Por Rodrigo “Hoje Bleez” Broilo

Eu acompanho apenas dois títulos do novo universo DC, que vocês acompanham por meu olhar aqui no Santuário. São Stormwatch e New Guardians.

Hoje venho apresentar NEW GUARDIANS #3, lançado dia 30 de novembro.

Então, vocês já sabem, TEM SPOILERS COLORIDOS!

O espectro?

Na última edição vimos Kyle Rayner se transformar no Espectro. Hã? Não, não é esse. Ele se transformou no Lanterna único, no Espectro Emocional inteiro, quando todos os anéis que o perseguiam o possuíram. No início dessa edição víamos os sete anéis nos dedos de Kyle, mas apenas seis símbolos na sua armadura. O símbolo da avareza não estava lá.

Com tanto poder, Kyle ligou o “fod@-se” contra os Guardiões e quis dar uma lição neles. Mas como um humano não pode ostentar o espectro emocional inteiro, os anéis começaram a dar “tilt” e se destruírem. Quase todos…

Devido a sua insubordinação, depois do nocaute que Salaak deu em Kyle, Ganthet tentou demiti-lo do cargo de Lanterna Verde, mas algo deu errado. Ganthet foi quem criou o anel de Kyle e, portanto, poderia removê-lo. Mas algo aconteceu. Os anéis verde e laranja foram os únicos que não foram destruídos. Então se descobre a real natureza do anel laranja.

Você está demitido! Ops...

Ele nunca foi um anel, e sim Glomulus, um dos constructos do Agente Laranja. Os Guardiões tentam destruir Glomulus, mas os constructos laranja são diferentes dos demais, já que eles têm consciência própria.

It's me! Glomulus!

Enquanto isso, os cinco lanternas de outras tropas invadem a cidadela, sob a tentativa de comando de Fatality. Bleez se mostra completamente insubordinada e é facilmente contida pelos guardiões. Arkillo até tenta usar o medo sobre os Guardiões, mas como esses não sentem mais emoções, eles derrotam o Lanterna Sinestro.

Bleez esmaga!

Walker tenta dialogar com Ganthet, seu mestre, mas esse afirma que a Tropa dos Lanternas Azuis foi um erro e o ataca. Fatality e Munk são os únicos que raciocinam bem.

Ganthet, o mestre dos magos azul!

E eis que aparece o verdadeiro vilão. Larfleeze e sua “Tropa Laranja” invadem a Cidadela de Oa…

Larfleeze, seria ele o "Senhor dos Anéis"?

E a edição acaba… Mais uma vez, a ação acontece tão rapidamente que parece que toda a edição se desenrola em meia hora, ou menos.

Tyler Kirkham e Harvey Tolibao continuam fazendo um bom trabalho nos desenhos, com a ajuda de Batt e Nei Ruffino na arte-final e nas cores. Enquanto Tony Bedard manda muito bem na ação da revista que não enjoa e não tem momentos desnecessários. Exceto o fato de o Salaak ser um “lambe-botas” dos Guardiões.

Quem guarda os guardiões?

A próxima edição promete revelar a verdade sobre o “ladrão dos anéis”. Além disso, promete mostrar o último ato de Kyle como membro da Tropa. Hein?

Você vai perder? Eu não!

The Ray!

E não perca também as duas novas mini-séries da DC. T.H.U.N.D.E.R Agents, em seis edições, e The Ray, em quatro, que teve um “prólogo” nessa edição mostrando uma origem diferente para Ray. Lucien, um coreano-americano (Alô Diversidade!), que pelo que eu entendi é salva-vidas no Hawaii e recebeu seus poderes de um acidente decorrente de um experimento do governo. Aham, foi o que eu pensei!

Confiram!

Anúncios

3 comentários sobre “New Guardians #3 – Pode um humano ostentar o espectro emocional inteiro?

  1. Broilo vou fazer das palavras do Garrit as minhas, valeu pela matéria. Você está de parabéns. Este é um dos meus títulos favoritos. Espero poder ver o Ganthet novamente no comando da Tropa dos Lanternas Azuis. Não acho legal essa versão Yoda lanterna verde!

    Curtir

  2. O Tony Bedard entende bem da Tropa, já espera que ele mandasse bem nesse título, embora eu estivesse meio que com o pé atrás. Eu ainda fico pasmo de ver como o Larfleeze usa a ex-guardiã Sayd, notaram que na cena que ele entra, ela é usada como prancha?
    Fiquei curioso sobre esse novo Ray, espero que não caia na mesmice de herois sendo perseguidos pelo governo. Quanto a T.H.U.N.D.E.R Agents, eu estou tentando pegar o fio da meada, mas eles parecem que ainda disseram a que vieram… mas investir em personagens diferentes numa editora cheia de clássico sempre é válido.
    Parabéns pela resenha, Broilo, despertou meu interesse para acompanhar esse título!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s