FRANKENSTEIN # 2 e # 3: A INVASÃO DO PLANETA DOS MONSTROS!

Ou: “Em terra de monstros, quem tem um olho é caolho”.

Uma resenha das edições 2 e 3 do título “Frankenstein: Agente da S.O.M.B.R.A”

Leia a resenha do primeiro número clicando aqui.

Por Rodrigo Garrit

Contém spoilers.

A organização secreta S.O.M.B.R.A especializada em atuar em casos de eventos sobrenaturais que ameacem a vida, é comandado pelo imortal PAI TEMPO (atualmente habitando o corpo de uma garotinha), e conta com a supervisão científica do Dr. Ray Palmer. Seus principais agentes são Frankenstein e sua ex-mulher, Lady Frankenstein.

A cidade de Bone Lake, Washington, está tomada por centenas de criaturas que emergiram das águas. O agente Frankenstein é enviado ao local para lidar com a situação, acompanhado de seus recém chegados colegas apelidados de “O Comando das Criaturas”, formados pela Dra. Nina Mazursky, uma híbrida humano/anfíbia, Vincent Velcoro, ex-piloto, resultado do cruzamento de várias raças vampíricas e do soro Langstrom (De Kirk Langstrom, o Morcego Humano), Warren Griffith, que se voluntariou para a infusão de uma amostra única de sangue lupino, tornando-se um  lobisomem e Khalis, a múmia sobre a qual quase nada se sabe.

O Comando das Criaturas

Ao chegarem na cidade, eles abrem caminho através das criaturas em busca de sobreviventes, e chegam a uma igreja onde encontram um grupo religioso escondido. Uma megera de meia idade toma a palavra e tenta induzir a multidão contra o Comando das Criaturas, sendo contida por Frankenstein que lhe aplica um safanão, para assombro de Nina.

– ELA É SÓ UMA MULHER IDOSA!

– A VINGANÇA DE FRANKENSTEIN NÃO FAZ DISCRIMINAÇÃO COM BASE EM IDADE.

Pai Tempo e o Dr. Ray Palmer

A história segue com a descoberta de que o lago da cidade é na verdade um “buraco de minhoca”, uma passagem dimensional para um planeta habitado por monstros… há séculos, eles vêm planejando invadir a Terra, mas agora sua raça está em eminência de extinção e eles decidem acelerar os planos. Durante as décadas, alguns invasores fizeram explorações em nosso mundo, sendo confundidos pelo povo da cidade como “demônios”, e por isso eles mantém uma tradição bizarra de sacrificar crianças no lago para acalmar a ira do inferno.

O Comando das Criaturas recebe a missão de acabar de vez com os planos da invasão do planeta dos monstros, e descobrem que Lady Frankenstein já está lá sozinha lutando contra os invasores. A organização prepara uma “Nave-Ovo” para transportar o comando para a outra dimensão, e nesse meio tempo, temos um vislumbre do passado da Dra. Nina, que antes era uma humana normal, mas ela perdeu sua filha recém nascida e foi abandonada pelo marido. Desde então se dedicou a engenharia genética, e trabalhando para a S.O.M.B.R.A criou uma nova raça de bebês monstros mais fortes e adaptáveis, aos quais ela transferiu o amor que sentia por sua filha morta. Mas as criaturas, apesar de poderosas e dotadas de memórias implantadas e crescimento acelerado, não eram capazes de lidar com as próprias emoções, e tornaram-se verdadeiras psicopatas. Elas foram subjugadas, mas a Dra. Nina tinha um apego muito forte pelos seus “bebês”, e implorou que eles não fossem sacrificados. Seu desejo foi atendido pelo Dr. Ray Palmer, especialista em miniaturização, que criou uma prisão microscópica onde as criaturas foram aprisionadas. Numa segunda tentativa, a Dra. Nina decidiu infundir características genéticas aprimoradas em indivíduos humanos e já adultos, sendo todos voluntários para as transformações e aptos a lidar com as consequências psicológicas dessa mudança. Para provar a eficácia do procedimento, ela mesma se submeteu a experiência, tornando-se uma híbrida humano/anfíbia. Através dessas experiências, foram criados os outros membros do Comando das Criaturas, exceto Khali, sobre a qual tudo é confidencial.

Voltando à missão, o Comando consegue chegar ao Planeta Monstro, onde encontra Lady Frankenstein lutando contra centenas de milhares de criaturas aranha. Ao chegar lá, a “Nave-Ovo” que os transportou é destruída, e embora tenha um sistema de autorreparo, o mesmo leva várias horas para se concluir, tempo que eles não possuem. A batalha é desigual, mas em dado momento, Khali pede que todos  cubram os olhos… então uma magia é invocada e simplesmente todas as criaturas com características aracnídeas do continente alienígena onde eles se encontram são desintegradas. Khali perde suas forças e desmaia. Nesse instante, o chão começa a tremer e uma montanha próxima cria vida, é a mãe das aranhas, uma criatura titânica que avança furiosa sobre eles. Frankenstein é devorado e o resto do comando foge já perdendo as esperanças, mas para espanto de alguns e asco de outros, Frank é regurgitado pela enorme aranha,  perfurando o coração dela com sua espada. Pai tempo e o Dr. Palmer entram em contato, e dizem que existem outros dois “titãs” como esses no planeta e eles precisam ser destruídos para evitar de vez a invasão monstro à Terra.  O Comando se divide em duas equipes e parte para a missão. Enquanto isso na Terra, a S.O.M.B.R.A detecta uma leitura energética bem especifica vinda do Vietnã… alguém que eles esperavam que voltasse há anos e que não poderia ter escolhido hora pior para isso… alguém que apenas o agente Frankenstein pode lidar… se voltar vivo do Planeta Monstro.

É o mesmo Jeff Lemire de Homem Animal que assina o texto aqui, porém um pouco mais relaxado, como se não tivesse muito esforço para fazer um novo clássico dos quadrinhos…. oquei… sem problemas, nós estamos aqui só pra nos divertir não é?

Não vou falar mal dos desenhos do Alberto Ponticelli, mas o traço não me agrada. Talvez eu esteja sendo injusto, porque o Frankenstein foi desenhado muitíssimo bem pelo Doug Mahnke na minissérie “Sete Soldados da Vitória” de Grant Morrison… acho difícil encontrar uma combinação melhor de traço e personagem.

A história tem a promessa de grandes possibilidades, mas ainda está tomando forma. A próxima edição tem obrigação de cumprir essa promessa.

Nota: 9

Você é fã do mito do Frankenstein como eu? Então clique aqui!

E a propósito, esse foi o DUCENTÉSIMO post publicado no Santuário. E que venham os próximos 200 e mais. Obrigado a todos que nos acompanham!!!

Anúncios

10 comentários sobre “FRANKENSTEIN # 2 e # 3: A INVASÃO DO PLANETA DOS MONSTROS!

  1. Não é porque o Jeff esteja mais relaxado que a história não tenha seu brilho. O enredo videgamico (ou foi só eu que fiquei com a sensação de estar vendo um?), as comparações básicas entre Hellboy e o BPRD (criador recriando o conceito da cria?) são inegáveis. Aguardo ter a visãdo deste título com o encontro com o personagem OMAC.

    Curtir

    1. Concordo contigo Nilson, tanto que apesar dos pontos que destaquei minha nota foi 9. Também estou muito ansioso pelo encontro dele com OMAC, vamos ver que bicho que vai dar.
      Abraços!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s