ESTRANHOS MOMENTOS DOS QUADRINHOS QUE AMAMOS: X-men de Chris Claremont

Por Venerável Victor “estranho paca” Vaughan

Como sempre, tudo que esse venerável sacerdote do Santuário escreve aqui é apenas por diversão, sem o comprometimento acadêmico e em nenhum momento as críticas feitas para esses quadrinhos que amamos é para ser levada a sério. Grandes quadrinhos geralmente tem estranhos momentos em suas trajetórias. A passagem de Jack Kirby e Stan Lee pelo Quarteto Fantástico é uma das melhores de todos os tempos na indústria e tem toneladas de estranhas e absurdas coisas nas cem edições que esses mestres fizeram. Hoje vamos falar de alguns momentos “estranhos” do início da trajetória de Chris Claremont pela revista dos filhos do átomo. Um arco de histórias onde os mutantes vão para a Escócia, com auxílio nos roteiros do mestre Bill “amo” Mantlo Por favor… é só para divertir! Divirtam-se!

Vamos falar de Magneto. Com Claremont nós começamos a observar desde cedo o hábito do roteirista de a cada edição ou nova investida, mostrar novos usos para seus poderes magnéticos. Claro que ele se superou muitos anos depois, no seu último arco de histórias na revista dos X-men nos anos noventa, quando o cara consegue controlar e arremessar as cartas de baralho carregadas de energia cinética de Gambit de volta para ele – tá, agora magnetismo também afeta papel – e essa painel abaixo é um exemplo de como os autores de quadrinhos e. Magneto, podem fazer tudo o que quiserem!

“Meus raios ópticos não conseguem atravessar esse campo magnético! Putz! Todo mundo sabe que magnetismo controla raios ópticos!”

Mas nada é mais estranho que as habilidades e poderes de Eric “O Vermelho”, personagem recorrente e misterioso , usado durante a passagem de Claremont pela revista para recuperar ou salvar qualquer burrada anterior que o autor tenha feito e que precisa ser resolvida rapidamente, aqui por exemplo, ele precisava desfazer o cagada de transformar Magneto numa criança numa edição qualquer anterior e Eric, por coincidência, tem o poder de fazer qualquer pessoa envelhecer à sua idade anterior! AUHAUAHAUHAUA

Os pais de Jean Grey finalmente descobrem que sua filha é uma mutante e super heroína, para logo em seguida verem sua menininha desaparecer em um portal interestelar. Os corôas enlouquecem com a revelação e olham para Charles Xavier em busca de algum consolo…boa sorte, Greys! Esse é o mesmo Charles Xavier que falará!

“Não se preocupem senhor e senhora Grey! Eu acabei de enviar a filha de vocês para a morte certa! Nada temam, eu sou muito bom em encontrar substitutos para cada X-men que morre na minha equipe!”

Tudo bem, esse talvez seja um dos momentos mais estranhos dessa época na revista dos mutantes… como pode o Noturno nunca ter notado que tinha o poder de se camuflar totalmente nas sombras? E o mais estranho, nunca mais ele usou esse poder de novo!

“Epa! Ninguém nunca me disse que eu nasci com uma cauda!”

Vocês acham que está tudo muito estranho? Então vamos lembrar que a primeira vez que Wolverine descobre que seu nome é Logan foi quando um leprechaun contou pra ele? Estranho? Assustador? Pela cara do baixinho, ele também achou, e essa expressão que Dave Cockrum desenhou para o quadro é impagável!

Anúncios

18 comentários sobre “ESTRANHOS MOMENTOS DOS QUADRINHOS QUE AMAMOS: X-men de Chris Claremont

  1. Certa vez um Leprechaun revelou meu nome verdadeiro… mas eu me livrei dele friccionando dois ímãs e criando um campo magnético sólido que se camuflava nas sombras quando ninguém podia ver.

    Curtir

  2. Primeiro de tudo:sou bastante leigo quando se trata da Marvel.A única coisa que li do Sr.Claremont foi X-Men – Dias de Um Futuro Esquecido.Que por sua vez,é uma ótima história.
    Encerrarei sem trocadilhos idiotas com o nome Victor.
    Abraço.

    Curtir

  3. Bem, no caso do Magneto poder bloquear os raios óticos, eu suponho que ele crie um campo de energia magnética sólida ou pelo menos um campo capaz de bloquear outros espectros de energia. Como não sou físico, isso é apenas uma suposição.

    Agora, leprachauns? O CC já viajava no seu “apogeu”. Ainda bem que tivemos o Byrne….

    Curtir

  4. Ótimo texto e engraçado são as coincidências, ontem por um acaso eu estava vendo umas imagens que falavam sobre isso, os momentos estranhos.

    Ai podemos ver que, até nossos heróis passam por isso =D

    Curtir

  5. Esse cara foi um tremendo novelista e responsável pelo sucesso que é hoje os mutantes, mas eu mesmo lembro de várias passagens cômicas, como o famoso lance daTempestade em ” Dias de um futuro presente” usar um grampo de cabelo para abrir uma porta, tendo seus poderes absurdos de controle do clima, como rais e tufões, sendo também que a porta deveria ser imensa e não ter fechadura, já que era um lugar onde os Sentinelas podiam atravessar. Isso deu muito o que falar.

    Curtir

    1. Lembro de uma entrevista do CC que saiu em uma X-men formatinho da Abril onde ele descrevia X-men como “um novelão com gente super”.

      Quanto a Tempestade, sempre foi óbvio que o CC tinha xodó com a personagem (sabe-se lá por que. Talvez seja fetiche haha) logo ele sempre dava boosts nela a ponto de deixar a personagem bem próxima ao território de Mary Sue, fazendo com que a gente tivesse CERTEZA das incríveis habilidades da personagem.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s