Fábulas Recontadas: A Crise Ambiental no Reino das Fadas

Por Rodrigo “Fauno” Broilo

As coisas iam mal nos Reinos das Fantasias… Além da crise política criada entre Bela Adormecida e Cinderela, já que rolava a boca pequena que os seus respectivos príncipes tinham um affair, o sistema ecológico desse mundo fantástico também não ia muito bem…

A Sede de Poder dos X-Anões

Após o episódio de X-Mutação que havia ocorrido com os Sete Anões, não teve pra ninguém na indústria fantástica de extração de minérios e pedras preciosas. Apesar da série de tentativas de diferentes impérios de nacionalizar a Dwarfs Inc., o que incluiu várias sanções, aumentos de impostos e uma roca de fiar, mais de 20 minas foram abertas, de Marmória a Oz. Apesar de inúmeras reclamações de empregados com L.E.R., processos por desmatamento e desapropriação de centenas de animais, falantes ou não, investir na D-Inc. continua sendo o melhor negócio na Bolsa de Varinhas.

Ah Pinóquio... teu passado te condena!

Além disso, a Dwarfs Inc. conta com a ajuda matreira da ‘Morsa & Carpinteiro Associados’, na destinação legal da madeira para uma empresa onde ambos são acionistas. A Pine Ohkio Co. usa a madeira de desmatamento para a construção de bonecos de madeira encantados para afazeres domésticos, ou como PETs. Especula-se que Pinóquio, sobrevivente do temível incêndio na pequena loja Geppetu’s no ano passado, seja o responsável pelo projeto. A questão investigada na Pine pela CMQ (Comissão Mística de Questionamento) é como os bonecos são encantados. A recente contratação da Fada Azul como Gerente de Operações pode ser uma manobra empresarial para o fato de a mesma estar sendo coagida, depois que uma suposta denúncia da existência de fotos comprometedoras dela com o Espelho Mágico serem anunciadas, apesar de nunca terem sido levadas a público.

Reptilofobia... Ajude a acabar com isso!

Outro fato relevante é o assassinato em massa de jacarés, crocodilos, cobras e lagartos que houve em Mundo Subterrâneo, onde o principal suspeito seria o famoso ex-almirante da Marinha do Reino de Neve e comerciante de produtos falsificados (vulgo “pirata”), Capitão Gancho. A defesa alega insanidade. Os Repteis estão inconformados. Simpatizantes da causa Gancho aproveitam essa onda para ataques reptilofóbicos para externalizar seu preconceito.

Supostas denuncias sobre lavagem de Desejos recaem sobre o Ministro Maior da Fauna e Flora da OMP, Dr. Gênio da Lâmpada. Além dos processos por Nepotismo e por favorecimentos no Programa “Minha Lâmpada, Minha Sina”.

Preocupados com essa situação caótica, o Mago de Oz convocou o Organização dos Mundos Perdidos (OMP), para definir a criação de uma força tarefa para resolver o problema ecológico de Mundos da Fantasia. Participam do “Comitê Pró-Blema”, Sininho, Grilo Falante, Lebre de Março, Caipora, Espantalho, Cigarra, Aslam, Vovózinha e João.

A Convenção conhecida como “Oz+10”, definiu a criação de um time formado por Príncipe Sapo, Dragão Vermelho, Lagarta, Homem de Lata e Lobo Mau, para a ‘Iniciativa Fábula’. Serão doze luas cheias de treinamentos em fuga, exercício de paciência, dicção (módulo especial para o Dragão), antitabagismo (módulo especial para a Lagarta) e psicopedagogia, para a missão que eles terão.

"Meu coração não é de papel"... É de lata!

Conforme relatório oficial do evento: “O Príncipe Sapo nos brindará com uma fascinante intervenção aquática. Será “Água”. O Lobo Mau, pleno em seu exercício pulmonar, será o sopro de vida que precisamos. Será “Vento”. Lagarta, antes de seu câncer no pulmão, será a inquisitória fonte de busca das raízes. Será “Terra”. Dragão, réptil fugitivo das matanças desenfreadas, será a chama que arde em desejo de mudança. Será “Fogo”. Homem de Lata, o excluído, enjeitado e feio, será a dose de amor que o mundo não quer. Será “Coração”. E pela união desses poderes surge “Capitão Fantasia””.

Capitão Fantasia é a entidade geneticamente modificada, com cabeça de Alce, cabelos de Samambaia e corpo de Ariranha que comandará uma série de ataques contra o Mau-Uso na fantasio-natureza. Ensinará crianças a reciclar pergaminhos. A usar a água do banho para alimentar os Cogumelos. A apagar as fogueiras um dia no ano pelo fim do aquecimento do mundo. Vai protestar nu em frente a todos os castelos e escrever os editorias ambientais nas revistas ‘Enxame’, ‘É Poca’ e ‘Vanity Fairy’.

Tudo isso para que os habitantes da Fantasia vivam ecologicamente corretos para sempre.

Anúncios

14 comentários sobre “Fábulas Recontadas: A Crise Ambiental no Reino das Fadas

  1. O Capitão Fantasia é um exemplo que deve ser seguido por todos os engajados pôneis malditos ou não… Não consigo deixar de imaginar essa figura bebendo todas no baile dos enxutos no salão do santuário… fazendo um streap-tease animal (literalmente).
    Enfim, esse tipo de coisa que você só lê neste templo abençoado… para nooooossa alegriaaaaa…! 🙂

    Curtir

  2. Sei não. Se parece com um certo lugar que eu conheço e não consigo entender porque sinto isso. Nem o “Sensacionalista” (do Multshow) seria tão realista!!! Já pensou algo do tipo com desenhos, cores e tudo mais???? Te cuida Mr. Brian K. Vaughan!!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s