OS VINGADORES #1 de Jack Kirby & Stan Lee – “Saudade de tudo que eu ainda não vi”

Por Venerável Victor “além de tratador de macacos, historiador”  Vaughan

1963

Onde vocês estavam nesse ano? Sabiam que nele Astro boy, foi o primeiro herói nipônico a ganhar uma série animada, os Beatles lançaram seu primeiro álbum “Please Please Me”, o Homem de Ferro apareceu pela primeira vez na revista: “Tales of Suspense”, a prisão de Alcatraz foi oficialmente fechada, o filme “Lawrence da Arábia” ganhou o Óscar de melhor filme, a Coca-Cola lançou sua primeira linha diet, nos cinemas o primeiro filme de James Bond: “Dr. No” e “Cleópatra” são sucesso de bilheterias, X-men #1 de Lee e Kirby chegou as comics shops, Fidel Castro visitou a União Soviética pela primeira vez, a russa Valentina Tereshkova foi a primeira mulher a ir ao espaço, Martin Luther King Jr falou seu famoso discurso “I have a dream” , John F. Kennedy foi assassinado e finalmente nesse mesmo ano, o mundo conhecia quem seriam os…

VINGADORES #1

Stan Lee & Jack “the king” Kirby

Loki, o meio irmão maléfico de Thor, que anteriormente na cronologia Marvel fora exilado na Ilha do Silêncio, pelo deus do trovão, vaga pelo ambiente desolado, amargurando suas últimas derrotas e tramando novas formas de vingar-se de seu irmão. Usando de seus poderes, os “olhos da mente” de Loki flutuam pela superfície da Terra, espionando Thor enquanto ele trata seus pacientes, assistido por sua jovem enfermeira Jane Foster, em sua forma mortal de Dr. Donald Blake. A partir daí a mente do deus da trapaça, avança pelo planeta.

Loki, na “Ilha do Silêncio” (lá funkeiro sem head-phone não entra)

Curiosamente ao observar o sul dos Estados Unidos, ele encontra o “Incrível Hulk”. Acreditando que seu “bruto” irmão iria buscar vingança pela morte dos possíveis inocentes, Loki tenta através de mentiras e manipulações fazer com que o gigante esmeralda destrua um trem em movimento repleto de passageiros.

O asgardiano cria a ilusão de uma quantidade enorme de explosivos em cima dos trilhos de uma ponte, num ponto onde o Hulk poderia ver. Sabendo que o monstro iria sentir a necessidade de salvar o trem dos explosivos. Loki, está certo de que ele irá destruir a ponte antes do veículo chegar, causando uma tragédia muito maior. Mas ao contrário do que  ele acreditava, essa versão do gigante verde não é tão estúpida quanto a anterior, esse Hulk ao invés do que se esperaria, através de engenhosos esforços consegue desviar os trilhos do trem, evitando a ponte e providenciando que a composição passe a salvo do perigo.

Claro que, em se tratando do Incrível Hulk, uma popularmente conhecida ameaça pública,o povo no trem passa a acreditar que ele intencionalmente destruiu a ponte e apesar da falta total de vítimas, os planos de Loki começam a gerar frutos.

Nessa época o Hulk estava trabalhando disfarçado em um Circo, vestido de palhaço, ele se apresentava como : “Mechano, o robô mais forte do mundo”!!!

Não havia a internet, muito menos o twitter, mas as manchetes de jornal de todo o país anunciam que o Hulk mais uma vez está em surto descontrolado de violência e Rick Jones, a única pessoa a esse ponto da história que sabe que o gigante verde é na verdade o bom e humano cientista Bruce Banner, busca a ajuda de seus colegas da “Brigada da Juventude” – um grupo de garotos radio amadores – para pedir o apoio do Quarteto Fantástico, no intuito de capturar ou provar a inocência do amigo.

Loki – que não pegava ninguém – e estava mentalmente observando o que acontecia nesse “pequeno drama”, temendo que a participação do Quarteto vá impedir que Thor acabe por procurar o Hulk ele usa de seus poderes místicos e desvia as ondas de rádio com o pedido de ajuda para o grupo do Senhor Fantástico, justamente para um rádio que estava ligado no consultório do Dr. Blake, que imediatamente transforma-se em seu alter-ego asgardiano, o “Poderoso Thor”!

A Brigada da Juventude – criações de Jack Kirby

O deus do trovão voa para atender ao pedido de socorro. Infelizmente para Loki, seu redirecionamento das frequência de rádio, também foram ouvidas por outros três heróis. O bilionário playboy Tony Stark, ao ouvir a mensagem imediatamente veste sua armadura dourada, tornando-se “O Invencível Homem de Ferro” e voando em direção ao sul do país. Enquanto em outro lado da cidade de Nova York, a dupla minúscula de aventureiros, Homem-Formiga e Vespa, ao captar a mesma frequência, pegam carona em formigas voadoras (controladas telepaticamente pelo capacete cibernético de Henry Pym) e vão para onde??? Daí por diante rola muita confusão.

Após mandar Loki novamente para o exílio (dessa vez algo mais definitivo), Thor e os outros heróis, inclusive o Hulk, se preparam para as despedidas, quando o Homem-Formiga e a Vespa propõem que eles permaneçam juntos  para lidarem com ameaças que nenhum herói sozinho poderia enfrentar. Eles concordam em dar uma chance para a ideia e a Vespa sugere que eles se chamem Os Vingadores. Assim nascendo o mais novo grupo de super seres da Terra (da última semana).

Um papo descontraído na mansão Maria Stark…

A Marvel selecionou seus heróis mais conhecidos que não faziam parte de um grupo e que não tinham uma revista até então com seus nomes (desculpe Homem-Aranha!), colocou eles juntos e jogou pesado na tentativa de repetir o sucesso de vendas que era o título Quarteto Fantástico.

A revista dos Vingadores foi durante todas essas décadas, um sucesso para a “Casa das Ideias” e agora com o filme recém-lançado, um sucesso global. Mas a história da origem do grupo, apesar de muito bem conhecida pelos fãs é um pouco banal e porque não dizer, pouco diferente da de seus concorrentes da DC comics, a Liga da Justiça.

Em outras palavras, aqui nós temos heróis lutando juntos contra uma ameaça em comum, mas a Marvel – por Marvel pode-se ler: Stan Lee e Jack Kirby – acabaram por ser conhecidos justamente por fazer as mesmas coisas que a “Distinta Concorrência”, só que de forma diferente.

Na época de Avengers #1, o Hulk era, para os olhos do público, uma ameaça que deveria ser caçada e aprisionada. Com essa revista, a ameaça se tornou um herói. Esse acabaria por ser um tema muitas vezes revisitado na mitologia da equipe, assim que antigos vilões e ameaças à sociedade ganham a oportunidade de se recuperarem perante aos olhos do mundo como Vingadores. E assim como muitas das coisas nessa vida, nem tudo é exatamente como parece ser, como quando verdadeiros vilões nem sempre são fáceis de distinguir entre heróis.

Loki, que nessa época era conhecido dos fãs da editora por seus encontros anteriores com seu irmão Thor na revista “Journey into Mystery” – recentemente relançada em nova roupagem pela Marvel – trava suas lutas através de truques e mentiras, raramente entrando em combates físicos se puder evitar, como visto nesse encontro com o deus do trovão. O asgardiano sempre subestima seu irmão, apesar do Hulk ser um ser que pode e já lutou com Thor diversas vezes no passado, sempre terminando em um empate técnico, o deus da trapaça acredita ter achado o perfeito veículo para a destruição de seu invejado irmão. O que provavelmente aconteceria se os outros Vingadores não tivessem interferido em seus planos. Daí seu ódio pela equipe.

Antigas batalhas entre Thor e Hulk provaram que apesar deles poderem lutar até certo ponto equiparados, como aconteceu em clássicas histórias da Marvel, não existe dúvidas de que o gigante esmeralda poderia ter destruído ou até derrotado Thor em combate mais de uma vez, mas Loki estava errado em um ponto. afinal o deus nórdico da mentira alimenta constantemente o pensamento de que seu irmão é um grande e bruto idiota, apenas uma massa de músculos que seria facilmente ludibriado. Os eventos de Avengers #1 mostram que ele estava errado oficialmente, pois Thor é esperto o suficiente para reconhecer a marca registrada das maquinações de Loki quando ele as encontra. Ou pelo menos uma vez em sua vida eterna…

O “furor uterino” da Vespa

Ao passo que nós não vemos muito da personalidade clássica do Homem de Ferro nessa edição, por sua vez a da Vespa (socialite, Fashion designer e otimista Janet Van Dine) e de seu namorado cientista, Homem-Formiga (Dr. Henry “Hank” Pym), são muito bem desenvolvidas, e parecem já demonstrar pistas de futuros conflitos que viriam a acontecer nessa relação. Afinal, mais de uma vez o Homem-Formiga se mostra agressivo, mandão e de certa forma preconceituoso com sua namorada heroína. Como é conhecido dos fãs, no futuro, esse comportamento vai evoluir até que Pym tenha um surto nervoso, agrida fisicamente Janet e tente matar seus colegas.

A Vespa por sua parte é mostrada como alguém superficial, frágil e sedenta por homens. Ela faz vários julgamentos apenas baseada na aparência, ao afirmar que o Homem de Ferro é “horrível” – mal sabe ela do contrário – e é visível o quanto a moça “perde a linha” por Thor. Fica aqui a lembrança que os futuros “flertes” da Vespa para com outros homens (ela literalmente “pega” o Magneto em Guerra Secreta, já estava separada de Pym, mas…) já acarretou muita confusão no passado.

Por tudo isso que os Vingadores são tão interessantes, eles não são seres humanos perfeitos, nem muito menos possuem afinidades uns com os outros, mas como um grupo, afinal juntos, são uma das mais poderosas e inteligentes franquias dos quadrinhos.

Anúncios

74 comentários sobre “OS VINGADORES #1 de Jack Kirby & Stan Lee – “Saudade de tudo que eu ainda não vi”

  1. O equivalente Marvel à Liga da Justiça… Não sei porque mas sempre associo Marvel a comida salgada e DC a comida açucarada. Talvez pq a veia da DC seja fundamentada na era de ouro enquanto a Marvel ficopu forte um pouco antes da era de prata.
    Os Vingadores são um grupo bacana heterogêneo, mas que reune os personagens mais fortes da editora. Recentemente reajustaram isso colocando os maiores sucessos comerciais da editora juntos na equipe. Bastante justo já que estamos falando de uma equipe que é ícone da força deitorial da empresa. Nesse caso faz sentido ter Wolverine e Homem-Aranha no time. Se bem que Wolverine estava em quase todas as revistas da Marvel outro dia mesmo 🙂

    Curtir

  2. Excelente artigo. Valeu por contextualizar a coisa toda. Só acho que o texto deveria abranger mais números, porque os Vingadores só pegam uma identidade mais definida com a entrada do Capitão América, na minha opinião.

    Curtir

    1. Com certeza Cuidadoso Pedro, assim que Kirby trouxe sua criação pretérita para o mix de personagens, temos um grupo realmente definido e com uma liderança segura. A proposta desse matéria no entanto foi apenas a de homenagear o mestre Kirby, com uma olhada renovada no primeiro número da série clássica, aproveitando o BUZZ gerado pelo filme esse mês!

      Curtir

    1. Entusiástico Gabriel, leva um tempo considerável, você tocou num bom ponto, para quem lê, há a impressão, independente da matéria ser extensa ou não, de que foi feita no tempo que leva para o Flash dar uma volta no planeta, não é verdade, infelizmente.

      Curtir

  3. Realmente saudade do que ainda não vi… Após ter assistido ao filme, também fiquei com esta vontade de seguir o que nunca fiz… Isso é um bom sinal, pelo menos no meu caso…. lolol

    Curtir

  4. Essa armadura dourada com sainha do Homem de Ferro é algo muito fashion! Iria arrasar na noite com um look desses! 😉

    Curtir

  5. uma besteira a revista dos vingadores 01. roteiro de criança. todo mal enjanbrado. parece uma coisa feita as pressas. o próprio nome Os vingadores não tem nada a ver. o que eles estão vingando? quem tá atrás de vingança é o LOki. mas, com o tempo, tudo foi melhorando. hoje é o sucesso que é. graças a michael brian bendis, o alan moore da marvel.

    Curtir

    1. Contundente Andre, o americano médio, no caso aqui Stan Lee , sempre confundiu JUSTIÇA com VINGANÇA, não é a toa que o análogo da Marvel da Liga da JUSTIÇA se chama justamente: Os Vingadores. Nem é a toa que matar Bin Ladem foi a forma do governo dos EUA de mostrarem ao povo que a “justiça” fora feita.

      No caso da história acima, ela apenas reflete duas coisas: uma época mais ingênua dos quadrinhos, onde a grande maioria dos roteiros se resolviam de formas semelhantes a essa e outra, diga-se de passagem, Stan Lee não era nenhum Shakespeare ou Martins Penna.
      Continue participando com suas idéias.

      Curtir

  6. Eu vou ficar calada, não entendo nem sou ligada em Marvel, não vi o filme porque não tenho dinheiro e estou esperando passar na tv aberta. agora, aqui entre nós, quem deveria estar usando máscara de palhaço e trabalhando no circo fazendo malabares era eu, mas nem para isso a DC acha que eu sirvo …. maldito reboot! Maldito Dan Diddio!!!!

    Curtir

  7. Os Vingadores é o maior grupo Marvel, pelo fato de que muitos heróis ali foram substituídos muitas vezes e isso provoca uma união maior do universo Marvel do que em outros grupos como os X-Men e o Quarteto Fantástico, que são mais fechados, um aceita mutantes o outro é basicamente uma família, já os Vingadores “aceita” qualquer herói, mesmo que este herói seja o Hulk.

    Curtir

    1. Verdade “Natalino” Guy Santos! a Marvel é conhecida por suas “panelinhas” super poderosas, os Vingadores nesse caso sempre foram na contramão dessa tendência. e no caso do Hulk, sempre foi melhor ficar de olho nele por perto…hehehe

      Curtir

  8. Tenho essa história aqui em casa (NÃO a edição original, infelizmente). É incrível a simplicidade da trama que é construída e como é crível.

    É mais incrível ainda como os autores de hoje tentam complicar, mutilar, matar pra fazer uma hq fraca.

    Curtir

    1. Existe sim esse lado da moeda, Empreendedor Alex D’ates, mas no caso da sua edição de Vingadores #1 não original…mesmo assim, mantenha ela guardada no lado esquerdo do peito, dentro de uma sacola plástica, longe do mofo e da incidência constante de luz, porém retire ela para “respirar” uma vez por ano.

      Curtir

  9. Inomináveis Saudações, Victor!

    Eu li essa história, é um clássico, apesar da falta de habilidade de Stan Lee com roteiros. Como eu escrevi no Facebook, este não tem muito jeito com a escrita e os personagens que ele criou somente obtiveram sucesso através do talento do Jack Kirby. Bem, está é apenas a minha opinião pessoal e cada um pode ter sobre o Lee uma visão que o qualifica ou desqualifica como roteirista.

    Tempos sem vir até este Santuário e retorno comentando um post fantástico!

    Parabéns, Victor!

    Saudações Inomináveis, Victor!

    Curtir

  10. É, V V V, vi que citou a derrapada da vespa com Magneto em Secret Wars, sem contar que ela ficou com Stark quando ela ainda não sabia que o cara era o Homem de Ferro… Bela matéria desta saudosa edição número um dos Vingadores, em tempo oportuno. vc escreve muito bem!

    Curtir

  11. O Hulk está uma gracinha de palhaço de circo! Até nariz vermelho ele está usando, essa é uma profissão linda e digna e deve ser respeitada. Se não fosse por esse despeitado do Loki o mundo Marvel não teria perdido e teria até hoje um grande artista! Quanto a Vespa, nossa, ela é muito criticada e vítima de machismo, inclusive do Stan Lee! Principalmente por ele, que levianamente fez dela um esteriótipo de comportamento feminino. Deixem a moça ter direito a opinião!

    Curtir

  12. Cara essa historia é incrivel, e parabens pelo post achei no minimo inspirador ate reli a historia. Os Vingadores sempre tiveram arco de historias incriveis (saudades das Herois da TV) de Kirby, Buscema, Perez e de um carinha ai que eu nao gosto nada (rsrsrsrsrs) chamado John Byrne. Por sinal ele merce um especial aqui hein??
    Abraçao amigo e Deus lhe abençoe

    Curtir

    1. Entusiástico Rodrigo, realmente todos os citados acima estão acima do bem e do mal em matéria de talento e gabarito e sim! John Byrne merece TODO o espaço que pudermos dar para ele! Seja muito bem-vindo!!!

      Curtir

  13. Eu tenho essa história que saiu na Biblioteca Histórica Marvel Vingadores 1 que a Panini lançou. Tenho também a versão que saiu em Heróis da TV 100 da Abril.

    Mas apenas um adendo: no caso do Aranha, o Stan não quis colocá-lo no grupo por causa que no título dele, ele abordava a ideia de que o Aranha era visto como criminoso e aí não combinaria muito.

    Aliás, um colega de um fórum americano ia se encontrar com o Stan Lee em um evento e ofereceu levar algumas das nossas dúvidas para ele. A pergunta que eu mandei foi dos motivos pelos quais o Lee não usou o Dr. Estranho na formação inicial do grupo e a resposta dele foi de que o modus operandi do Dr. era muito diferente dos demais, que de certa forma dividiam um MO em comum. Achei uma resposta meio evasiva do tipo “ih, cara. Esqueci que poderia ter usado ele. Deixa eu inventar um remendo para ver se convenço o povo” rsrsrs.

    Curtir

  14. Vingadores tem feito parte dos meus dias ultimante de todo lado e eu gosto, claro. Não tive a oportunidade de ler nada deles juntos, mas Hulk, sempre foi um dos meus preferidos. Em séries, desenhos, revistinhas… Ele, Wolverine e Homem de Ferro, são o meu trio perfeito. Tanto que qdo os filmes do Hulk sairam eu nem passei perto, por que não conseguia ver aqueles mega galãs gatos gostosos malhados e com cara de badass sendo do Dr Bruce Banner, pra mim desde o Bill Bixby, nenhum outro tinha conseguido encarnar o homem por trás do monstro, até agora, com o Ruffalo. Ele ficou perfeito! E até mesmo os efeitos ficaram ótimos, nada de bola verde quicante. O Hulk desse filme tem todos os traços “humanos” e expressões.
    E enfim, voltando, eu conhecia as histórias de todos separados, e já tinha visto algo dos vingadores na minha infância, então, quando no final do primeiro Iron Man, eu sai do cinema nas nuvens XD

    Ótimo texto, e eu achava muito digno todos verem Vingadores pra fazer um debate sobre o filme!

    Curtir

    1. Encantadora Letícia, ótimas considerações, realmente Mark Ruffalo foi o melhor Bruce Banner na minha opinião desde Bill Bixby !!! Contagem regressiva para os “mimimis” das ex-mulheres de Edward Norton…. 🙂

      Curtir

      1. Uma participação generosa de WitckKing no Santuário (autor que eu acompanho todos os posts) é algo que enche meu peito de esperança na cooperação mútua da blogosfera! Aliás, o “Baile dos Enxutos” é um site genial que acompanho regularmente !!!

        Curtir

  15. Muito foda !
    Sem contar que os vingadores são meus heróis prediletos !
    Desde 2008 no lançamento dos filmes do Hulk e do Homem de Ferro, que estou esperando pelo filme dos Vingadores. E infelizmente assim como Felipe, só poderei ver quando lançado o Blu-ray…
    Muito bom o poste ! Ta de parabéns Victor !

    Curtir

  16. Sempre gostei dos Vingadores, o forte do grupo em termos de ficção sempre foi eles nunca se darem muito bem, e sinceramente, os insultos e suspeitas mutuas, e ocasionais agressões dentro dos Vingadores são muito melhores do que eles combatendo o crime. Vale lembrar que o Hulk vazou da equipe na segunda edição, pra ver o quão “unidos” eles eram.

    Curtir

    1. União realmente nunca foi o forte ali, não Jovem Pedro? O Capitão América sempre teve que usar de muita moral e inspiração para fazer as “engrenagens” rodarem ali. O Hulk que foi esperto e vazou muito antes da Feiticeira Escarlate enlouquecer e matar geral ali! 😉

      Curtir

  17. …e pensar que alguns anos depois o mundo seria graciado com meu nascimento (tá vendo tratador, eu não sou secular, e nem milenar!!!!!). Foi um grande marco que sempre é revisitado (tá faltando o Giarusso fazer a versão dele!) e hoje o sarcedote mor nos trouxe de maneira brilhante. Vamos dar (lá ele!!!!) crédito ao mestre Kirby! Como também à Steranko, Buscema pai, Frienderich, DeZuniga, Alan Moore e tantos outros injustiçados nestas décadas!!!!

    Curtir

  18. Bem… em 1963 havia um espermatozoide que ainda andava à procura do caminho… só o encontrou em 1964 para que eu hoje pudesse escrever por aqui umas baboseiras!
    😀
    Lee e Kirby criaram uma grande equipa de herois que sofreram muitas transformações ao longo do tempo e quase sempre com sucesso. Foi nostalgico ver o Homem de Ferro naquele fato primordial e o Hank Pym em cima de uma formiga!
    Sempre que podia durante a minha adolescência não perdia a leitura de mais um formatinho da Abril com os Vingadores em pano de fundo! Um super-herói era bom, ver um monte deles em acção ainda era melhor! Desta maneira pensavam quase todos os que liam Marvel ou DC na altura. Esse era o 1º impulso, depois era fixe ler sentir os problemas internos do grupo, visto que na generalidade os Vingadores nunca foram um frupo muito unido… embora no final acabassem por resolver os seus assuntos!
    🙂

    Abraço

    Curtir

  19. Em 1963 a minha essência ainda pairava pelo cosmo (hum). Esse é um ano historicamente rico. E justamente nesse ano surge uma das maiores equipes de super-heróis da história. Se bem que isso não poderia ser diferente, com os mestres no volante (Stan Lee & Jack Kirby). Ah, parabéns Victor pelo texto inteligentíssimo, O meu único pesar é que, só poderei ver o filme (Jack Kirby! Hehehehe) com um pouco de atraso (a minha cidade não possui cinema). Este foi muito bem recebido pela crítica, inclusive pela senhorita Leticia Fiuza (a nossa Nimphadora), que costuma ser muito diligente em suas observações..
    Essa primeira história é sensacional! O Loki, como sempre, está ali com a sua tinhosidade. A Vespa uma… e essa imagem do Hulk-robô, dispensa comentários.

    Creditem o Jack Kirby!!! Creditem o Jack Kirby!!!

    Curtir

      1. Moçoilo Felipinho, o filme dos Vingadores é o melhor filme de quadrinhos (até então) de Todos, todos, todos!!!

        (gostaria de estar aí com vocês em Icó para ver com a galera todos juntos em Blue Ray)

        Curtir

  20. JULGUEI QUE IA FICAR MUITO GRANDE NO CORPO DA MATÉRIA, MAS PARA QUEM GOSTARIA DE SABER O QUE ACONTECE NA REVISTA DO MOMENTO QUE OS FUTUROS VINGADORES SE ENCONTRAM PELA PRIMEIRA VEZ ATÉ A HORA QUE THOR DERROTA LOKI, AQUI VAI:
    “Os quatro heróis chegam praticamente ao mesmo tempo no quartel general da Brigada Jovem, onde Rick Jones os informa de que talvez o Hulk não seja a ameaça que todos julgam ser. Loki ao ver isso, novamente teme que o que planeja não aconteça se Thor encontrar com o monstro acompanhado de outros heróis e mais uma vez usa seus poderes de ilusão, fazendo com que seu irmão veja a imagem do Hulk do lado de fora da casa onde estão – e o loirão em nenhum momento pensa como isso é conveniente – e parte num rompante, atrás do imaginário gigante esmeralda.
    Após perseguir o “Hulk fantasma”, finalmente o deus do trovão compreende que foi manipulado para atacar a criatura e finalmente descobre que Loki deve ser o responsável. Thor em seguida parte para Asgard, buscando a permissão de seu pai para lidar com seu irmão, ao obtê-la de Odin, voa imediatamente para a Ilha do Silêncio atrás do Deus da Mentira.
    Esperando a chegada de Thor, Loki prepara uma armadilha para ele. Ao chegar na ilha onde seu irmão foi exilado por seu pai, nosso herói é atacado por um Troll aliado do trapaceiro imortal. Após derrotar a mítica criatura, Thor usa as propriedades místicas de seu martelo Mjolnir, para atacar Loki e enviá-lo para a Terra, onde irá expor publicamente suas manipulações.
    Enquanto isso, Homem de Ferro, Homem-Formiga e Vespa encontram o Hulk em um circo itinerante, disfarçado como o “homem forte” da trupe, tendo a face pintada como um palhaço e fazendo com que todos acreditem que seja um robô chamado Mechano. Eles desmascaram o gigante e a pancadaria começa. A luta é interrompida pela chegada de Thor que trás Loki e todos são informados dos planos do maligno asgardiano.”

    MAKE MINE MARVEL!

    Curtir

  21. Muito boa homenagem a esses criadores e personagens, Venerável! É gostoso poder ver essa história nos dias de hoje e entender como eram as soluções de roteiro e para que espécie de público elas eram idealizadas, muita coisa mudou, mas por mais que mudem, continuam as mesmas!!! E sim, eu sei onde estava em 1963, na barriga de mamãe, prontinho para vir ao mundo! Inclusive li muitas dessas histórias pela RGE, bons tempos!
    Make mine Marvel!!!

    Curtir

    1. Em 1963 eu estava com meu tio Mephisto, aguardando desenvolverem um corpo com as caracteristicas certas para minha essencia aqui na Terra , no intuito de cumprir meu destino de “conquistador definitivo” desse pequeno orbe.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s