CAFÉ COM LEITE…

Por Tiago da Cunha Magalhães

Atirada em cima do sofá verde-estranho, continuava com o mesmo olhar desde os últimos três minutos, mexia no fiozinho de lã que saía do rasgão que escancarava o forro bagaceiro do móvel.

No braço do pequeno repousa douro de corpos, sua mochila com motivos infantis demais para eu entender, sutis e educados, bem simples mesmo. Tudo ali representava simplicidade. Seus cabelos eram finos e dourados, curtos, desalinhados. Falava ao celular, sorriso nos lábios, uma caneta também entre eles.

-Tá marcado, então,ela disse.Suas (poucas) roupas evidenciavam algo que eu queria, mas não podia. Queria encerrar logo,ir embora,mas…

 -Desculpe não abrir a porta, estava no celular…

-Tudo bem, ela estava aberta, na verdade,eu…

-Fica a vontade, viu? Vou me trocar e já volto.

-Como eu ia te explicar, eu vim aqui pra…

-Como ficou sabendo de mim? (sua voz vinha de outra peça do pequeno apartamento com paredes descascadas e ocre,) – respondeu ela sem ouvir o que eu tinha pra dizer novamente.

 -Bem, eu nem sabia quem estava ocupando esta sala até que eu precisei… Quando ela saiu da sala lateral, a visão me traiu e ficou turva, depois vertiginosa, e então meus óculos embaçaram me obrigando a tirá-los. Apenas uma pequena camisola fina e transparente separava aquela linda e escultural menina-mulher do ambiente. Mas não era minha intenção, eu não queria. Estava ali para…

– Prazer, meu nome é He…

– Posso te pedir uma coisa?

– Com certeza, o que quiser.

– Sem apresentações, ”adooro” mistério! – e sorriu, o sorriso mais largo e contente que eu havia visto nos últimos parágrafos.

-Tudo bem, também gosto de “mistéério, uhuhu” –  balbuciei meio sem jeito abanando as mãos – na verdade eu não sei bem como é, sempre foi o arroz com feijão e não sabendo seu nome, aí ferrou!

– Deixa comigo, vou te deixar bem a vontade. Modéstia a parte, sou boa com iniciantes, sempre voltam.

-Tudo bem então, mas olha hein, sou meio assim…

– Assim como… – disse ela chegando perto de meu ouvido e falando umas coisas que eu não entendia, mas que fizeram o efeito que ela queria.

– Prefere no escuro ou a meia-luz?

-Como é escuro aqui dentro, não.

– Já reclamei, mas não veio ninguém ver…é sempre assim, uma mulher sozinha, é difícil de conseguir ajuda pra essas coisas do lar…

-Moça, é isso que estou tentando dizer de quando cheguei aqui até agora, sou o dono do prédio, recebi muitas reclamações e estou passando pessoalmente sala por sala para conversar com os locatários, mas em seu contrato dizia ”Prestação de Serviços”.

 – Ai, coitadinho, olha o estado em que eu te deixei. Nem ofereci um cafezinho, aceita? Ou prefere que eu termine o que comecei, aí eu te acompanho. Mas o meu eu quero com leite…

Visitem o site R@dio Bemb@

Anúncios

22 comentários sobre “CAFÉ COM LEITE…

  1. Gostei muito do conto, mas se me permite um pitaco, fiquei esperando essa xícara de café com leite derramar no sofá no final… mas tudo bem, ficou pra imaginação de cada um. Parabéns!

    Curtir

  2. A identificação foi instantânea! Esse título… esse título. Bem, parabéns pela estória. E digo: você me pegou direitinho, ham? Só mais uma coisa: o final poderia ter sido um pouco mais “explosivo” (sahshahsh).

    Curtir

  3. Quer dizer Tiago que em algum lugar, em alguma cidade, uma piriguete com um sofá horroroso e estragado está a disposição de destruir (ou salvar) casamentos? Será que pelo menos ela sabe passar um café “decente”? 🙂 Valeu a postagem!

    Curtir

    1. as vezes elas se escondem,umas tem asas,outras pequenas protuberancias pontudas aos pares acima das sobrancelhas…mas não,elas não salvam nem destroem as unioes…..elas as alimentam,,,,,as vezes tem veneno,mas o antidoto se vende em cinemas,teatros e barzinhos,nas risadas e saidas ocasionais e espontaneas….valeu,adorei tua resposta,,,,,grande abraço…… d-!-b …….

      Curtir

  4. Parabéns Tiago, bom começo por aqui. Belo texto, mas faço das palavras do Pablo, minhas. O fim poderia ter sido um pouco melhor explorado, quem sabe em algumas linhas mais. De toda forma, esperamos por mais. Bem vindo! =)

    Curtir

    1. Obrigado pelas boas vindas,depois d pronto e enviado,tambem achei q poderia ter ido mais longe,,,,na verdade fiquei com medo d ir muito longe e ficar grande demais e cansativo,mas o ‘tiro foi um pouco curto’,,,,,com certeza na próximo acerto a ‘métrica’……muito obrigado pela crítica,pra mim é muito importante…. d-!-b ….

      Curtir

  5. Seu Barriga nunca teve essa sorte no seriado do Chaves, ou era a Dona Florinda ou a Bruxa do 71…. esse café eu tomava mesmo que fosse Nescafé e o leite desnatado… adorei o: ” …e sorriu, o sorriso mais largo e contente que eu havia visto nos últimos parágrafos.”
    Genial, Tiago!

    Curtir

    1. Bom Sr.Veneravel V.V.,isso tudo foi graças a voce e todo este pessoal muito ANIMAL e gente boa que conheci por aqui…..vou aprimorando com o tempo e conto sempre com este site louco e sempre atual..de verdade,,,,,muito obrigado…..

      Curtir

  6. Boa! Mamãe sempre disse, meu filho se não quiser ficar sozinho, vai ser dono de imóveis…

    O mais importante para qualquer obra está presente e evidente aqui: a originalidade! Parabéns rs. Se me permite um adendo axo que o final podia ser mais explorado, um desfexo à altura do hilário embaraço da cena…

    Curtir

    1. Putz,cara….a cabeça viaja demais,quando me vejo……..PUF,,,,sou um dos personagens….começo a enxergar o local,os cheiros,textura das coisas,e vivo a historia,,,,rsrsrsrs,,,,,adendo sempre bem vindo e assimilado,,,,,,obrigado pela força,voces são fo…….abraço….

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s