Fábulas Recontadas: O poder destrutivo do mundo corporativo – Um estudo de caso da PORCOnstrutora Ltda.

Por Rodrigo “numa caixa de fósforos” Broilo

O Mundo da Fantasia estava em polvorosa, e numa expansão imobiliária nunca antes vista. A PORCOnstrutora Ltda. estava dominando todas as construções.

Depois do sucesso da casa dos Irmãos Porco – Cícero, Heitor e Prático, contra o Lobo – todos queriam casas de tijolos com lareira. Os irmãos resolveram fundar a PORCOnstrutora. Cada irmão era responsável por uma área: Prático, como gostava de trabalhar, era o Diretor de Obras; Heitor virou o diretor administrativo; Cícero, que apesar de preguiçoso era criativo, tornou-se o diretor de Arquitetura e Design.

Em três anos, a PORCOnstrutora já era um dos nomes mais lembrados no mercado imobiliário, e cada irmão havia feito fama e fortuna. Mais aí que começou a crise.

A malevolência do mundo corporativo

Heitor começava a cortar gastos e vetar projetos que não primassem pela objetividade e fácil acesso. Prático estava cansado dos gastos com erros de obras e com a necessidade constante de exposição na mídia. E Cícero estava cansado de repetir os mesmos projetos, devido as demandas de condomínios e mais condomínios fechados, que agradassem a maioria.

Cícero então foi se afastando das atividades, gradativamente e voltando se ao design, sua verdadeira paixão. Queria investir no conceito ecológico de casas de palha, e estava de saco cheio de fazer casas com cara de caixa de fósforos.

Começaram então os escândalos políticos, quando Heitor começou a apoiar com dinheiro não declarado a campanha do Lenhador por uma vaga no Parlamento dos Não Mágicos, dado o claro apoio de Cícero ao seu adversário, o Caçador, mesmo com as acusações de ele querer se passar pelo filho de Odim.

Cícero então resolveu estudar fora do país, e se mudou para Nárnia onde estudou Engenharia Castórica, e a PORCOnstrutora ficou sem um designer. Devido a demanda, rapidamente Cícero foi substituído por uma equipe de profissionais, o que alavancou as vendas da PORCO.

Será que foi assim que o amor começou?

A PORCO se tornou uma megacorporação, vendendo ações na Bolsa de Varinhas, inclusive formando com a Pine Okhio Co. um joint-venture para a construção de parques de diversões mega modernos e divertidos, especiais para meninos perdidos.

Cícero continua acionista da PORCO, mas fundou seu próprio negócio de casas ecológicas e casou-se no mês passado em Fairytopia, com seu novo amor, o Lobo, que apesar de continuar gostando de comer porquinhos, hoje vive como ilusionista e mestre das fugas, além de ser um dos integrantes do projeto “Iniciativa Fábula”.

Durante muito tempo os irmãos Porco passaram sem muito contato, dadas as diferenças de interesses. Com o passar do tempo, e as compras constantes de empresas menores, o número de acionistas cresceu tanto que Heitor e Prático já não tinham mais tanto poder dentro da PORCOnstrutora, e acabaram sendo afastados dos cargos de Direção.

Cícero mudou-se para o mesmo lugar onde vivera com os irmãos antes da empresa, para assim ainda ter um pouco deles em sua vida.

Lobo, no fim da festa. Toca Shakira!

Prático e Heitor também se veem pouco já que Prático mudou-se para Marmória onde é Ministro das Casas da Rainha Branca e Heitor abriu uma empresa de recrutamento de fadas.

Se reencontraram no último final de semana, durante o baile de debutante da Cachinhos Dourados, educadamente se cumprimentaram, beberam feito porcos e no final estavam rindo, babando e planejando abrir uma churrascaria…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s