Capuz Vermelho e os Fora-da-Lei #10 & Fubulosos X-men #14 – “ENTREVISTA COM O SINISTRO”

Por Venerável Victor “Tratador Vitoriano” Vaughan

Resenha de Red Hood and the Out Laws #10 SPOILERS

Scott Lobdell & Kenneth Rocafort
Capa: Capuz Vermelho #10 Kenneth Rocafort

De todos os novos títulos da DC comics nenhum gerou mais controvérsia ou provocou tanto fervor – positivo ou negativo – entre os fãs que Capuz Vermelho e os Fora da Lei. Muito da negatividade foi direcionada a como o roteirista Scott Lobdell reapresentou a princesa Koriander (Estelar). Na superfície, Estelar parecia ser nada muito além que uma boneca inflável para os “antigos-heróis-que-tornaram-se-anti-heróis” Jason Todd (Capuz Vermelho) e seu parceiro Roy Harper (Arsenal). Lobdell defendeu o argumento que Estelar é uma Tamareana (alienígena) e seu comportamento sexual e noções sobre relacionamentos são diferentes das humanas. Alguns fãs  aceitaram isso como natural, mas outros detestaram tal desenvolvimento da personagem, alegando que a intenção era apenas agradar a sacos de hormônio adolescentes. Esta bem pode ser mesmo a real intenção do autor, MAS POR QUE NÃO FAZÊ-LO???

Outro argumento é o de que Kory sempre foi muito mais do que está parecendo ser agora. O importante, no entanto, é que o roteirista tem escrito bem esses personagens. Reapresentando um bando de antigos heróis para toda uma nova audiência de leitores. É algo duro, mas Lobdell consegue tornar o antigo Robin, Jason Todd, um formidável personagem e – porque não dizer – um dos mais legais da editora ultimamente. Sua amizade com o “cabeça de vento” Roy Harper, que vez ou outra mantém um relacionamento com a princesa alienígena, é algo que incita a voltar “à banca” todo mês para ver como esses rolos se desenrolam.

No caso de Kory, nas páginas da revista atual a personagem evolui novamente para sua personalidade durona, independente e casca-grossa (que os fãs mais antigos conhecem muito bem) no momento em que seu povo a convoca mais uma vez para assumir a posição de líder e comandante, combatendo um formidável e sinistro inimigo. Essa nova faceta de Koriander e o entendimento dela é algo que os críticos ferrenhos de Scott Lobdell devem levar em consideração novamente, ao julgar os talentos de roteirista do homem. Ela não é mais uma vítima, vendida como escrava por seus pais que pudemos ver em edições anteriores. Apesar de que ela sempre teve uma presença formidável nessa revista, agora podemos ver Kory como uma uniformizada comandante. Ela sabe exatamente quem é e  sua experiência em combate é respeitada. Se isso não calar a boca de milhares de fãs, nada mais o fará.

Quanto ao Capuz Vermelho, aqui testemunhamos um pouco mais de sua  identidade civil, quando ele volta de um encontro com a aeromoça que pudemos conhecer algumas edições atrás – e que é teletransportada contra a vontade para o coração de uma nave alien prestes a entrar em batalha. Isso acarretará muitos engraçados momentos. Já Arsenal teve nesse número uma participação bem menor, o que é totalmente perdoável, afinal esse é um arco de histórias centrado em Estelar e obviamente Roy também terá seu “dia de princesa” no futuro próximo.

Kenneth Rocafort agora é um dos artistas preferidos dos fãs da DC, apenas por seu fantástico trabalho nessa revista. É possível ver épicos painéis sci-fi  em cada página dessa edição que nunca foram vistos com tanta fidelidade em diversas outras do gênero. Notícias vindas da terra do Tio Sam nos informam que ele irá desenhar a revista do Super-Homem, que o escritor Scott Lobdell assumirá também, vai ser muito sentida sua ausência nesse título, até mesmo porque muita gente compra o mesmo por causa de Rocafort.

Ao fim da edição, temos uma história de “backup”, lidando com a personagem Essence que plantou sementes para futuras reviravoltas. Nesse pequeno conto é revelado que Essence traiu sua mãe Ducra e todo o seu clã de guerreiros – os mesmos que treinaram o Capuz Vermelho – para seus antigos e milenares inimigos, os Inomináveis. Essa história, também escrita por Lobdell, tem desenhos de Ario Anindito, que poderia ser um excelente substituto para Rocafort quando o tempo chegar. Pena que por causa dela o enredo principal, ficou esse mês com menos espaço. Prontos para uma verdadeira guerra nas estrelas mês que vem?

Uncanny X-men #14      SEM SPOILERS♦

Kieron Gillen & Dustin Weaver

A melhor história da revista até agora! Diretamente da edição #4, esse número de Fabulosos X-men quase nada nos mostra dos poderosos donos da casa, ao contrário, ele se foca inteiramente no Senhor Sinistro e suas maléficas manipulações desde a sua derrota em São Francisco, no primeiro arco dessa revista.

O que exatamente ele vem fazendo desde então? Aparentemente dando continuidade a sua missão de construir uma nação inteira de clones seus, dessa vez criando toda uma subterrânea Londres Vitoriana em uma antiga caverna Moloide. Para que tudo funcione ainda com mais estilo (e Sinistro é cheio disso) foram incluídos palhaços, porque como o imortal vilão sempre diz “O show não pode parar!” E não me surpreenderia, pois provavelmente foi ele quem inventou essa famosa expressão.

O roteirista Kieron Gillen enriquece bastante a trama dessa história nos apresentando a um dos sinistros clones que fazem parte da população da sinistra Londres e que tem a oportunidade única de entrevistar o Senhor Sinistro…rei Sinistro…Sinistro Primeiro…bom, vamos ficar com Sinistro Primeiro. O clone, no entanto, se imagina um revolucionário e planeja derrubar as regras de Sinistro Primeiro exercendo seu livre arbítrio sobre seu criador. Isso pode parecer batido, mas sob a caneta talentosa de Gillen esse argumento é trabalhado com humor e um inteligente debate sobre livre arbítrio versus determinação genética. Desde que assumiu essa nova versão da revista dos Filhos do Átomo, Kieron Gillen vem construindo um novo mito em volta do intelectual vilão e de tudo que ele representa para os nossos heróis mutantes, mostrando a sua força como artista.

Quem acompanhou a minissérie da S.H.I.E.L.D. já conhece o tratamento rico em detalhes do desenhista convidado desse mês, Dustin Weaver (quem fez a capa da edição do casamento do Estrela Polar),  juntamente com as cores ricas de Jim Charalampidis, criaram uma atmosfera quase histórica, necessária para representar visualmente a nova Londres Vistitoriana de Sinistro. É como se a revista, todos os seus painéis e cenários fossem parte integrante do visual macabro cinza e azul do vilão, lembrando muito da arte de Simone Bianchi anos atrás em Surpreendentes X-men, só que mais natural, suave e expressiva.

Concordo contigo “mano” Sinistro!!!

Dessa vez nada de Spoilers sobre a revista, essa entrevista com Sinistro e suas “Crônicas Sinistras” aqui reveladas construirão um profundo e satisfatório clímax para o leitor que promete revelar muito sobre o futuro dos Fabulosos X-men. Aliás, uma fabulosa experiência em forma de quadrinhos.

Senhor Sinistro – criado por Chris Claremont & Marc Silvestri

Capa de X-men #14 (primeiro volume 1965) de Stan Lee e Jack Kirby & capa de Uncanny X-men #14 – 2012

Anúncios

54 comentários sobre “Capuz Vermelho e os Fora-da-Lei #10 & Fubulosos X-men #14 – “ENTREVISTA COM O SINISTRO”

  1. cara comecei a acompahar o capuz vermelho e para minha surpresa até que não é tão ruim assim, a estelar esta incrivel, e a questão do rebbot não atrapalho muito o passado, pois como já foi mostrado a memoria dela não é relativamente “extensa”, e ficou muito bom essa questão de que os aliens não ligam as emoções com o sexo propriamente dito. e quanto ao x-men, estarei baixando essa hq, pela resenha deu vontade ver mais como será esse desfecho

    Curtir

  2. Tenho comprado a revista “A Sombra do Batman” da Panini e tenho que dizer que achei a primeira história de Capuz Vermelho e os Foragidos muito interessante. Senti uma evolução do Lobdell em relação a como ele fazia os X-men, o que considero positivo já que gostei do trabalho dele com os mutantes.

    Curtir

  3. Red Hood finalmente está a subir, e as personagens estão a estabelecer um perfil sólido, neste caso a Estelar que estava um pouco descaracterizada…

    Gostei dos pormenores da arte nesses X-Men! Ambientes bem caracterizados e pormenorizados!
    🙂

    Bom post Victor!
    😉

    Curtir

  4. Sinistro nunca esteve entre meus personagens preferidos. Sempre achei ele meio sem sal, mas parece que está em uma direção mais interessante agora.
    A arte de ambas as revistas apresentadas é muito bonita. Adorava a Estelar quando era criança…Tenho que me conformar que personagem secundário é assim mesmo, muda, morre, vai e volta.

    Curtir

  5. como assim o Kenneth Rocafort nao vai mais desenhar? QUEM VAI FICAR NO LUGAR?
    e eu gosto mais dessa estelar que a pre-reboot, podem jogar as pedras.

    Curtir

  6. Ia comentar mais pelo Capuz Vermelho, mas o review me deixou com uma vontade de acompanhar essa história do Sinistro…

    Curtir

  7. Resenhas sinistras… de outro mundo… e meu comentário não poderia mais infame… mas sério. adorei a forma como abordou as duas revistas… O desenhista de Capuz Vermelho é mesmo muito bom, e concordo com a caracterização que o Lobdell fez da Estelar, e ainda digo mais: ela sempre teve essa faceta. Mas antes era podada pela censura, logo essa é a verdadeira Estelar, do jeito que sempre deveria ter sido. A grande alteração em sua personalidade acorreu mesmo quando a transportaram para o desenho Jovens Titãs… a sorte é que fizeram isso tão bem que todas amam as duas versões. “Rebootar” personagens não é o problema… gente incompetente trabalhando neles é. E depois da choradeira inicial dos fãs fanáticos, é uma questão de tempo até todo mundo ter a coleção completa dos novos 52 na estante. Uma. Questão. De. Tempo.

    Quanto aos X-Men, gostei muita da abordagem diferenciada da história e os desenhos estão fantásticos.

    Parabéns pelo ótimo artigo!

    Curtir

  8. o capuz e insano e gosto muito disso quanto a estelar estavamos precisando disto praq esquentar um poco as coisas, polêmica nos quadrinhos causa um bom impacto sempre. Quanto ao sr. sinistro é uum personagem muito forte legal ele dá as caras de novo…….

    Curtir

    1. Pois é Claudio, o Senhor Sinistro no momento é o vilão da vez, ele merece. Afinal tem classe e backgraund para isso. O Magneto se regenerou (por enquanto), Apocalipse está morto (por enquanto), agora é a hora e vez do manipulador genético definitivo!

      Curtir

  9. Sei não!!!!! Algo me diz que viagens interestelares, aliens e coisas do tipo não combinam com o clima urbano envolto do Capuz Vermelho e do Arsenal, mas sempre surpresas podem acontecer….será que não dá prá aparecer os Omega-Men??????? Aí sim compensa!!!
    E o Sinistro? Confesso que quando o vi pela primeira vez, não fui muito com a cara não. Ainda mais por anos aparecendo apenas maquinador, colocando outros na linha de batalha prá fazer o trabalho suo (muito parecido com o modus operandi do Jason Wyngarde, aliás os dois manipularam MadeLyne Pryor!!!) e ainda capacho do Apocalipse?? A versão que mais me chamou atenção foi na Era do Apocalipse junto dos irmãos Summers e demais prelados. Mas essa aparição recente me chama a atenção??? Qual seu desejo???? Trazer o mundo todo 2 séculos prá trás??? Veremos!!!
    E esse tratador de macacos que sabe cuidar tão bem da sua capela ávida por informação!!! Valeu VVV!!! Make mine Marvel!!!!! Write more DC!!!!!

    Curtir

  10. Sou fã dos Titãs há muito tempo, e entendo essas mudanças de personalidades nos personagens pra atrair fãs mais jovens, mas não quer dizer que eu tenha que gostar Estelar pra mim sempre vai ser porradeira, o Roy o pegador e o Jason sempre um defunto, melhor coisa que ele fez desde ressuscitar foi tomar um pau do Asa, podia ter feito o favor de morrer de novo nesse dia.Mas o desenhista da revista é sensacional!!!

    Curtir

    1. Quanto ódio nesse coraçãozinho botafoguense, rapaz!!!! Mas quer saber? o páu que o Asa Noturna deu no Jason Todd há algum tempo atrás, foi algo memorável!!! 🙂

      CALMA QUE SEEDORF TÁ CHEGANDO!!!!!

      Curtir

  11. ELE VOLTOU!
    Tava doido para ver o Sinistro de volta. Algo nele, nao sei o que, me atrai. E, suspeitando desde o principio, imaginei que ele estava planejando alguma coisa que vai nos render algo alem de Avengers vs Xmen. Pensando bem, acho que e por isso que ele me cativa tanto. E um personagem que, se explorado bem, vai render muitos arcos.
    Gostei muito da arte. Como voce falou, ela da um ar mais historico, como se estivessem mesmo na epoca do Absolutismo. A imagem que mais me chamou a atençao foi do castelo de Sinistro, e depois a ultima imagem, Sinistro cercado de… Opa…
    E impressionante ver como Sinstro se desenvolveu nesse tempo, se bem que eu nao entendo muito o tempo do universo marvel, afinal, podem ter se passado bastante tempo, ou quase nada. Mas ainda assim e impresionante a historia que Sinistro construi. INCRIVEL!
    Alem disso, otimo texto Victor, como sempre,
    Valeu.

    Curtir

    1. Jovem Luke, por seres um SUMMERS é natural que o Senhor Essex provoque tamanho atrativo em sua pessoa, muita água já rolou por baixo da árvore genealógica de sua família …e ele se banhou bastante nela…faça como o E.T. Bilú !!!

      BUSQUE CONHECIMENTO!!!!! 🙂

      Curtir

  12. Não vejo a hora dessa saga acabar e a revista tomar um rumo certo. Desde o início ficou claro (e ótimo) que o Sinistro ia ser o vilão oficial da equipe, acho que no futuro boas histórias virão!
    Make mine Marvel!!!

    Curtir

  13. Estelar *—*’
    Linda e fabulosa como sempre !
    Sempre fui fã dos Titãs ! Realmente foi a escolha perfeita falar sobre essa resenha !

    Enquanto ao Sinistro, nunca gostei muito… Mas os textos estão ótimos^^
    Bom trabalho MB !

    Curtir

  14. Ta ai meu anti-heroi preferido poxa u que deixa o capuz vermelho mais interessante é ele ser o oposto do batman, ter sido treinado por ele, conhecer suas tecnicas e ter seguido uma linha de pensamento de combate ao crime oposta, voltada para agressão como um verdadeiro anti-heroi, que foi mostrado tbm no filme, oque na minha opnião deixou muito interessante na historia, mostrando um lado mais humano um forte sentimento de vingança.
    Caramba tenho que admitir essa HQ está mto boa, realmente podemos ver nessa HQ um verdadeiro reboot, personagens com sua história tendo rumos diferentes, e não intendo pq tanta reclamação dos fãs em cima da personagem estelar, afinal de contas um reboot tem essa função(zerar , começar de novo).

    Curtir

  15. Sou suspeito sobre falar nossa querida princesa, sou apaixonado poe ela desde a infância, e torço sempre pelo bem dela e que retorne para os braços do Dick, são meu casal favorito de todos os tempos, e ela é sem duvida a heroina mais linda de todas (empatando com a Vampirella), amo ela desde minha adolescencia onde a conheci junto dos titãs e sei que o futuro aguarda o melhor para ela, Titãs Together…

    Curtir

    1. Muitos dizem que o problema da Estelar essas duas décadas de histórias ou não histórias escrotas foi a falta de dick…não! Do Dick! Mas foi a flata mesmo de bons roteiristas que entendessem a personagem.
      Titãs Together, Rasputin!!!

      Curtir

  16. Esse visual vitoriano do Sinistro é muito mais interessante que o look carnavalesco que ele tinha.

    Mas como ele construiu uma cidade subterrânea sem chamar a atenção e de onde saiu tanto dinheiro pra isso?

    Curtir

  17. Fabulosos X-men 14 é uma edição muito boa, uma história de Sinistro onde os X-men nem fizeram falta. A arte ficou magnifíca.

    Kieron Gillen é muito competente, não é a toa que ele se tornou um dos arquitetos da Marvel.

    Curtir

  18. Até que enfim honrraram alguns de nossos titãs ! Não sei se chegaram a ver no facebook, mas, estavam compartilhando a forto da Estelar, com a legenda: “esta personagem está cansada de ser confundida com uma prostituta” (logo que anunciado seu novo visual mais decotado que todos os outros). “Capuz Vermelho e os fora da lei” e “Terra-2” estao sendo as melhores revistas do reboot, nem é necessario explicar mais. Dizem as “más” línguas, que após a “saga tron” em “teen titans” a revista ficará boa, é melhor sentar e esperar !

    Curtir

  19. Estelar é a mulher mais sensual e gostosa de todo universo DC, além de uma das mais poderosas guerreiras do universo e agora está liderando uma armada estelar??? Ninguém segura mais essa moça…Dick vai se arrepender amargamente de ter dispensado.

    O Senhor Sinistro eu detestava na época do Claremont, achava que ele era uma cópia do Colossus, só que carnavalesca…mas depois, com o Fabian Nicieza,, ele realmente ficou interessante. E agora está maravilhoso.

    Curtir

  20. Sempre tive uma certa resistência com este Sinistro, o nome me soa falso, apelativo, clichê – além de achar a roupa dele mais fashion do que vilânica. Mas vou dar uma chance, além da resenha sem spoilers ser uma novidade boa, ao que parece a história está do jeito que eu gosto (quadrinho pra ver, gostar e se sentir tocado). Afinal, história em quadrinhos é, antes de tudo, uma história!

    PS – Estelar, tira essa toalha!

    Curtir

    1. Sinistro sofreu muito a tendência do final dos anos 80, início dos 90 estilística e ter seu visual projetado por Mark Silvestri nunca ajudou muito, vamos combinar que a pouco tempo ele não é mais motivo de piada no visual (antes parecia ter sido concebido por Joãozinho Trinta), hoje é totalmente condizente para o potencial dele.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s