Cavaleiros Demoníacos #11 & Wolverine e os X-men # 13 – DOIS LINDOS PÁSSAROS GANHAM A CENA ESSA SEMANA.

Por Venerável Victor “Tratador Imperial”  Vaughan

Demon Knights #11      ♦SEM SPOILERS♦

Paul Cornell (roteiros) e Diógenes Neves (desenhos)
Capista convidado: Philip Tan

O engraçado com esse título é que, apesar de ser o meu preferido, é o último que eu leio após baixar vários. Já uma vez que é lido, continua sendo meu favorito. Talvez parte disso sejam as constantes reviravoltas no roteiro e as bizarrices em que podemos dizer que “coisas loucas acontecem o tempo todo” e os momentos de clímax podem ser descritos como “mais coisas loucas acontecerão mês que vem”. Em suma, essa revista é aquela campanha de RPG divertida pra diabo! Literalmente…

As loucuras tendiam mesmo a continuar nesse número, com a maioria dos nossos (anti) heróis mostrando suas horríveis facetas (no caso de Etrigan, a única), que começaram a aparecer na edição passada e mostram mais a fundo características marcantes de suas personalidades. E o que mais poderia acontecer? Muitos diálogos divertidos e épicas batalhas com criaturas monstruosas.

A arte dessa revista é excelente nas páginas que o Diógenes trabalha (afinal Robson Rocha termina algumas para ele, deixando alguns personagens muito discrepantes e esquisitos, longe da beleza que Neves confere a cada um com facilidade, o Cavaleiro Andante que o diga). O verdadeiro segredo do sucesso dessa série entre os leitores não é a constância da arte, mas o elenco aqui reunido. Provavelmente a melhor equipe de toda a nova DC comics, Cada personagem tem sua personalidade claramente definida e a forma como cada um interage com seu colega de grupo é brilhante.

O único ponto negativo dessa revista sempre foi a velocidade com que a história é contada por Paul Cornell, o que faz com que a revista não seja tão interessante como poderia ser. Eu entendo que numa aventura de fantasia, o mais importante é o que acontece ao longo do caminho do que o objetivo da campanha em si, mas o ritmo é tão lento que acredito que os leitores não conseguem se identificar com o que é importante na busca dos personagens: levar o corpo morto do Mago Merlin até Avalon para que ele seja resuscitado. E não é totalmente claro que páginas “massa veio” com monstros gigantes sendo dizimados e diálogos divertidos por si só manterão o interesse do público por mais tempo. Bom, eu estou no barco nessas onze edições. Quem sabe?

Ponto alto desse número? O painel do confronto entre Etrigan e o Rei Arthur de Camelot, é fantástico! Mas volto a dizer, essa ainda é uma das melhores revistas da DC de todos os tempos.

Etrigan, o demônio criado por Jack Kirby

Wolverine and the X-men #13   Spoilers

Roteiros: Jason Aaron – desenhos: Nick Bradshaw

Neste mês, nada menos que duas descobertas bombásticas: 1)- Tudo sobre o passado da guarda-costas Warbird e 2)- Cinco Fênix são demais para encarar sozinho, mesmo para o poderoso Gladiador.

Capa de Nick Bradshaw

A maioria das histórias interligadas ao evento Vingadores vs X-men são grandes desapontamentos, além do pesadelo de qualquer fã: ter sua revista e o roteiro que vinha seguindo com ela atrasado por causa de uma mega-saga oportunista da editora.

Dito isso, é preciso assinalar que apesar de tudo escrito acima ser verdade, na atual fase das revistas “X”, esses “tie ins” estão melhor escritos que a saga principal e apesar deles atrasarem sim o desenvolvimento das tramas que vínhamos acompanhando, roteiristas como Jason Aaron e desenhistas como Nick Bradshaw encontraram um excelente meio-termo entre a obrigação de envolver seu título no evento de verão da editora e aproveitar essa oportunidade para contar boas histórias fora do foco que vinham seguindo. E como eles conseguiram fazer isso? Dando foco nos novos personagens criados especialmente para a revista.

Esse mês as cortinas são abertas para o passado de Warbird, a guerreira Shi’ar. Provavelmente o personagem novo da série do qual menos sabíamos até agora. E o trabalho é fantástico, você terminará a edição amando essa guarda-costas do herdeiro desse império alienígena, o Kid Gladiator. Sua história é trágica, ingrata e repleta de conflitos, portanto mais um personagem tridimensional com potencial duradouro dentro da editora. Aaron nos brindou com uma guerreira diferente que nos conquista página a página.

Favelas são um fenômeno social que existe até em Chandilar.

Parte disso é a engenharia reversa feita na personagem nesse capítulo de Wolverine e os X-men, onde o roteirista abandona os estereótipos de “garota durona” para construir sua personalidade. A maioria dos criadores da indústria de quadrinhos vão pelo caminho fácil e rápido de criar uma personagem feminina forte e durona, sem muito conteúdo e com muita sensualidade para ter as páginas coladas nas mãos de leitores mais jovens; Aaron segue o caminho oposto com Warbird. Nesse título, ele nos apresenta uma mulher que aos olhos do mundo e dos próprios fãs é uma figura estereotipada, tipo fêmea-fatal-mortal-e-boazuda dos quadrinhos dos anos 90; Mas não é essa máscara que a torna uma pessoa tão fenomenal e única, ao contrário, é o seu lado doce e sensível,  dolorosamente escondido a todo custo e socado para o fundo mais remoto de seu mais âmago. Afinal, vivendo em uma sociedade que preza a guerra e o conflito como sinais de eficiência e capacidade, não deve ser nem um pouco inteligente mostrar compaixão e sensibilidade.

Ao passo que tragédia e emoção definem o passado de Warbird, temos também algo extremamente comovente nas cenas do jovem Kid Gladiator, filho do Imperador Shi’ar, aqui Aaron nos comprova seus talentos como bom desenvolvedor de personagens também ao explorar as reações do rapaz ao ver seu pai levando a pior – ele que sempre foi tido como um ser insuperável – pelos X-men imbuídos do poder da Fênix. O rapaz começa a ganhar mais profundidade ao descobrir que suas certezas anteriores sobre o quanto imbatíveis eles pareciam ser não são tão concretas. E o fato de Warbird o impedir de se envolver na batalha de seu pai, muito em parte pelos eventos que ela vivenciou no passado do que sua obrigação para com o bem estar do jovem, faz com que a dinâmica entre esses dois personagens se torne ainda mais rica.

Não é só o brilho e poder da Fênix que ofusca nossos olhos nessa edição, Nick Bradshaw e seu traço não ficam atrás. Esse que vos fala desistiu de ter problemas com a arte de Chris Bachalo nessa revista, admito que para a narrativa de Aaron ela funciona, mas nada como o trabalho de Bradshaw para valorizar uma história bem escrita. Ele continua a nos trazer suas páginas repletas de personagens brilhantes e carismáticos, ação e dinamismo, e isso é exatamente o que o médico  orientou mandou a mamãe botar no seu mingau, garoto – e esta edição está deliciosa como um!

Vamos curtir a comunidade do PALITOS NERDS no facebook!

Anúncios

34 comentários sobre “Cavaleiros Demoníacos #11 & Wolverine e os X-men # 13 – DOIS LINDOS PÁSSAROS GANHAM A CENA ESSA SEMANA.

  1. Cara, texto muito massa como sempre.
    Demon Knights é como tu fala, uma campanha de rpg empolgante, especialmente para quem jogava ou ainda joga heheheh Por isso acho uma grande pena que ela não entrou no mix da revista Dark da panini, imagina Demon Knights, Monstro do Pântano e Homem Animal juntas todo mês. Seria perfeito ehhe Só ia faltar entrar Disque H no mix depois e eu teria um orgasmo nerd hehehehe
    E X men eu não li este mês ainda, acho que vou deixar acumular umas edições e ler de uma vez só, mas pela tua resenha parece bem legal.:D
    Valeu meu.
    Abs

    Curtir

    1. Muito obrigado pelas palavras para com a resenha de nosso venerável biógrafo mutante, Tiago! E sim, teríamos todos imensos e demorados orgasmos nerds com o mix que sugeristes!

      Curtir

  2. Demon Knights é um dos títulos que entra fácil na minha lista de 10% da DC.

    Agora, esse super clube de Fênix foi muito apelativo, não acham? Afinal, a graça não era ter UMA fênix?

    Curtir

  3. Dê um limão azedo, uma dose da água do rio Tietê (quando ele passa na cidade de São Paulo) e um adoçante pro Aaron. É o resultado dessa edição de Logan e seus pupilos: pura mágica!!!! E os cenários e perfeiçao do Nick ao desenhar dezenas de personagens de uma vez só??
    E VVV, eu continuo com a campanha: Play the fuck spoiller, Vic!!!!!!

    Curtir

    1. Nosso colega venerável não conseguiu manter a promessa capenga de “NO SPOILERS” por muito tempo, Nilson meu caro e já ouvi dizer que as resenhas seguintes são um canteiro de spoilers…he he he É a vida, a natureza humana sempre vence no final! (apesar de que DUVIDO que ele seja homo sapiens…)

      Curtir

  4. Bom saber que AvX está servindo para alguma coisa, além de ser pauta pra resenhas no BdE. Por incrível que pareça, a saga principal melhorou um pouco, mas ainda sim os tie-ins das mensais são sumariamente ignorados (salvo um caso ou outro).

    Curtir

    1. Verdade amigo, o venerável se pronunciou aqui ao meu lado e mandou avisá-lo, rei Bruxo, que compartilha da sua opinião quanto a melhora na saga de umas duas edições para cá. Eu por outro lado, já não me manifesto, porque essa saga toda tem sido uma grande dor de cabeça, na minha vida peluda.

      Curtir

  5. Gente, não dá… quanto mais eu tento gostar da direção que a Marvel e a DC estão seguindo, mais desapontado eu fico… E já disse isso antes, mas o Kid-Gladiator é o personagem mais “socável” da história…

    Tento acompanhar as coisas, mas do jeito que vai, vou esperar terminar o AvX, e ver se a DC não decide fazer outra crise antes de voltar a ler “direito” quadrinhos…

    Curtir

  6. Desde que comecei a ler as aventuras antigas dos X-men e algumas desas sagas novas cósmicas do universo Marvel que tenho a maior raiva dessa arrogância e prepotência desse cruzamento de NEYMAR com SUPERMAN que é esse GLADIADOR… fico feliz pela sova que ele levou do Namor (maior gato) e Colossus…

    MAKE MINE MARVEL !!!!!! 😉

    Curtir

    1. Eu estou prestes a encontrar a cura para essa chata condição degenerativa, meu irmão peludo!!! Mande-me um e-mail e te passarei o tratamento!!! enquanto isso, basta saber que o Gladiador veio para o nosso mundo no intuito de resgatar seu filho, o jovem Kid Gladiador, evitando assim que seu herdeiro venha a morrer nas mãos do caos que acompanha a vinda da Força Fênix a qualquer que seja o mundo.

      Curtir

  7. Gosto da arte de Diógenes Neves. Os trechos aqui mostrados estão bem legais.
    O Will Conrad foi contradato pela DC e vai desenhar a estreia de Etrigan no presente, no título Stormwatch.
    Então essa personagem: Warbird, além de ter um design da hora, também tem uma tremenda personalidade?

    Curtir

  8. Bradshaw retratou muito bem a história, principalmente no rosto da Warbird.

    Quanto a Aaron esta é uma da melhores histórias dele a frente do título, pois tudo ficou bem dosado, ação, drama e até romantismo teve.

    Curtir

  9. Eu amo essa revista, meu maior medo até hoje é não saber o real estado que Demon Knights está tendo no mercado, entre os fãs e na DC… Paul Cornell estava com duas revistas (escrevia também StormWatch), parou com ela, ficou só com a do Etrigan e seus amigos(?)… mas o cara poderia estar com mais espaço na editora… e não vejo nada sobre nada, nesse caso, medo!

    E o Diógenes Neves, esse PUTA desenhista, depois de um número lá atrás nunca mais desenhou por completo uma edição… estranho demais, ninguém fala nada, medo!!!

    Curtir

  10. ótimo texto Venerável ( como sempre kkk ) ! a hq dos Cavaleiros Demoníacos esta bem divertida mesmo , não li esse número ainda (ainda não chegou na minha importadora) mais discordo com você em um ponto , na minha opinião ( de merda ) o melhor grupo da DC é da Liga da Justiça Sombria kkkk . sobre os X-men…o Aaron manda muito bem mais so vou voltar a ler a hq quando essa saga acabar…coisa que ja to achando que não vai acontecer… kkk

    Curtir

  11. Dá-lhe chá de Cogu-Etrigan pra esse roteirista viajar mais que trem de carga, sô! Essas aventurars medievais me surpreenderam, foi uma ousadia a mais no relauche da DC, que provou que estava disposta a mudar mesmo as coisas. Viva o alternativo, o medieval, o aventureiro e o inesperado!

    Curtir

  12. Primeiramente, otimo texto, VVV…
    Agora, sobre essa ediçao , nao esperaria menos de Aaron. Ele trabalha focando no emocional do personagem, usando as batalhas como um complemento. E impreçao minha ou ele gosta de colocar personagens encolhidos no topo de alguma coisa… Pelo jeito, com a capa da proxima ediçao, as coisas vao esquentar…
    Espero que Aaron consiga se desenvolver, como nessa, mais para frente, principalmente se tratando de AvX.
    Valeu!

    Curtir

    1. Nós mutantes do Instituto Jean Grey também esperamos por isso, amigo Lucas! Ah!! Tem certeza que você é o verdadeiro Lucas Caldas e não um clone do Mercúrio? Fostes mais rápido que o venerável editor, conseguistes colocar sua mensagem antes que ele postasse o espaço do editorial e ele faz isso com apenas segundos de atraso após postar a resenha! HE HE HE HE…

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s