Aquaman #11 & Wolverine e os X-men #14 – “Quem dera ser um peixe para em teu límpido aquário mergulhar”

Por Venerável Victor  “tratador de macacos até embaixo d’água”  Vaughan

Aquaman #11   SPOILERS   aquáticos

Joe Prado; Ivan Reis; Geoff Johns; Rod Reis

Após a fantástica batalha entre Aquaman e o Arraia Negra na edição passada, muitos perdoaram o escritor Geoff Johns pelo ritmo lento com que vinha conduzindo essa revista, esse arco vai ser um estouro quando for copilado em um encadernado, provavelmente. Entretanto algumas vezes sofre de falta de ritmo quando cada edição é lida separadamente, mas que diabo! O cara está realmente melhorando a mão nessa revista.

As primeiras páginas desse mês provavelmente foram as de maior caracterização que Aquaman teve em anos desde a fase de Peter David, o desinteresse pelas relíquias que são a sua herança são um belo toque na dramaticidade, ao invés de realmente utilizar o seu poder, ele as usa como uma isca para atrair seu inimigo, o Arraia Negra, se tem uma coisa que essa edição sedimenta muito bem, é o ódio que o herói aquático sente por seu nêmeses, que o faz agir como um idiota na presença de seus aliados e amigos mais antigos, os Outros. Essa não é uma caracterização original no mundo dos quadrinhos, mas funciona muito bem com Arthur Curry. É bom poder ver Aquaman se expressando mais nessa edição e essa é a primeira vez que essa atitude seja um aspecto interessante em uma edição.

Os conflitos do atual rei dos mares ajuda a distrair o leitor da quantidade de explosões e ação “massavéio” que Geoff Johns coloca nessa história. Os diálogos ainda não são aquela Brastemp e a introdução (finalmente) do último personagem do Os Outros, Volstok , mesmo muito interessante, não é suficiente para melhorar esse quadro.

Dessa vez foi o Arraia Negra quem teve menos ação no título, mas felizmente ele é parte integrante de todo o barato que tem sido esse arco, é claro que o roteirista busca não gastar sua presença na história, apesar de que ele é demais interessante para não ser usado com mais frequência.

Mais uma vez é o trabalho de Ivan Reis e seus amigos de fé brasileiros, responsáveis pela maioria das caracterizações dessa revista e do sucesso que ela é. A maior parte das emoções que sentimos ao ler a edição vem de seu lápis. A chegada de Volstok é feita com grande impacto e beleza, mas é a tumba do primeiro rei atlante que merece todos os louros esse mês. A última página da edição não deve nada a um painel de algum grande romance de fantasia e termina a revista com chave de ouro.

Portanto, a revista tem sim alguns problemas, mas eles todos podem ser perdoados pela atual caracterização do Aquaman, que há anos não recebia esse valor na editora, Johns claramente tem um plano para nosso herói e está sendo muito interessante acompanhar o desenvolvimento dele. Esse mês tivemos a calmaria antes da tempestade, mas podem se preparar para algo épico mês que vem, quando a revista completará um ano!

Wolverine and the X-men #14      Spoilers

Jason Aaron & Jorge Molina

Capa de Nick Bradshaw & Justin Ponsor

No passado eles eram o sonho de casal jovem do universo Marvel. Hoje, Kitty Pryde e Peter Rasputin estão em lados opostos no conflito entre seus atuais líderes: Ciclope e Wolverine, assim como das equipes de Vingadores e X-men. Enquanto a antiga “Lince Negra” tenta manter a Escola Jean Grey funcionando com a maioria de seu quadro de professores fora dali, lutando ao lado dos Cinco Fênix, Colossus – energizado por um quinto desse poder cósmico – vem transformando o mundo “para melhor”…

Mas para que o paraíso que ele vem construindo na Terra seja completo, ele precisa ganhar novamente o coração da jovem mutante. Sendo assim ele convida Kitty para um encontro romântico e apesar dos sentimentos que ela sentia pelo jovem Russo terem mudado, ela aceita. De qualquer forma dar “um role” por aí com um ex-namorado onipotente não é tão legal assim, principalmente quando esse poder vem de uma criatura que trás consigo loucura e corrupção, como a Fênix.

As coisas não acontecem como deveriam…

Bem, não para Kitty e Peter. Por um certo lado, essa foi uma das melhores histórias relacionadas com a saga Vingadores VS X-men (esse que vos escreve está doidinho para daqui a pouco não ter mais que se referir a ela), não apenas pela difícil reunião entre esses dois ex-amantes, encontro que varia do hilário para o horrível, mas também pelo conflito do veterano X-men, Homem de Gelo, ao ver o quanto sua colega de equipe, a Magia – irmã de Colossus – já se mostra completamente influenciada pelo poder da Fênix, fazendo com que o gelado mutante, enxergue que está do lado errado do conflito.

O melhor de tudo nessa edição: as infinitas tentativas da “diretora” Kitty em coordenar seu quadro de professores precário: Escalpo, Groxo, Doop, Warbird e o “professor substituto” Deathlok, para que lecionem matérias que eles visivelmente não estão qualificados para ensinar. E aqui vemos um pouco mais do desenvolvimento no roteiro do “affair” secreto e doentio de Groxo por Escalpo.

Kitty francamente se mostra profissional e madura ao se manter calma enquanto é rodeada por idiotas, alguns deles, idiotas com o poder de um deus. E sua coragem, ao enfrentar o desequilibrado Colossus é espetacular como sempre. O que mostra o porque dela ser uma das X-womans favoritas da maioria dos fãs da revista. Aqui, Peter está tão patético quanto poderoso, é a velha história do ex que não sabe lidar com a rejeição. Esperamos que após toda essa saga ele volte a cair em si e novamente seja o guerreiro com alma de artista que os leitores amam, apesar de que mesmo sem ter mais a influência da Força Fênix, o russo ainda estará sobre a influência do demônio Cittorak. Essa alma atormentada não teve muita paz desde que voltou a vida…

O momento de maior dramaticidade da edição acontece quando Peter demonstra um comportamento já visto antes por hospedeiros anteriores dessa força cósmica, o descontrole e prazer em ser mais uma Fênix Negra do que o velho Colossus. O que vai produzir ainda mais conflito no grande esquema das coisas.

O lápis e nanquim dessa revista foram feitos por Jorge Molina e Norman Lee. A arte do desenhista mexicano é bonita, nela Kitty Pryde é mostrada como uma delicada flor, mas sua alma de aço é evidenciada também, enquanto o lado sensível de Peter conflita o tempo todo com o descontrole da poderosa Força Fênix em seu semblante. O roteiro mais intenso de Aaron é valorizado por esses artistas, enquanto as partes divertidas de sua história não perdem o efeito de alegrar. Muitos inteligentes usos de diferentes ângulos na narrativa visual nos prendem ainda mais no roteiro, enquanto as cenas de batalhas, como a de Magia-Coisa-Homem de Gelo, são muito bem descritas. Para terminar, nada como ver todo o corpo docente da escola, mais “Krakoa Jr” em destaque, na tentativa de defender a escola, contra um enfurecido Colossus de Fogo!!! Quem depois disso não gostaria de dar um grande abraço na Ilha Viva?

Para realçar ainda mais essa edição, tivemos as cores de Morry Hollowell, que provavelmente vai ter uma grande carreira nessa editora, pois sua arte só ajudou a trazer mais vida com suas intrincadas matizes para essa revista esse mês.

Se você não acompanha a saga principal da editora que pretende revolucionar o universo Marvel pela milionésima vez esse ano, vale a pena pelo menos ler esse maravilhoso “tié-in”, que nada mais é que mais um conto de uma única edição, sobre relações humanas,, com suas falhas e acertos, camuflado.

Anúncios

19 comentários sobre “Aquaman #11 & Wolverine e os X-men #14 – “Quem dera ser um peixe para em teu límpido aquário mergulhar”

  1. A Vampira meteu o pé na bunda do Gambit, A Emma tá corneando o Ciclope com o Namor, o Pantera se separou da Tempestade e agora Kitty e Colossus…

    Parece que só se salvou a relação do Estrela Polar no universo mutante… por enquanto.

    Curtir

  2. Sou um grande fã do Aquaman, creio que todo mundo já saiba. Por isso sou zoado de maneira colossal. Bem, a arte é maneira, se adapta bem. Gostei bastante!!! Peter e Kitty são personagens fortes. O primeiro é bastante incoerente em alguns momentos, já a Kitty se mostra forte e obstinada. E a trilha sonora? Uma ótima escolha!

    Curtir

  3. Opa, baita texto como sempre meu:D
    E valeu pelo editorial hehe
    Aquaman está mesmo muito bom. Ainda prefiro o lado dark dos novos 52, mas o peixão tá se saindo bem também. Pena que o mix que ele sai por aqui é muito ruim hehe Vou continuar lendo online mesmo:p
    E esta edição de Wolverine and the X-men foi bem interessante mesmo. Bom ver uns tie-ins de AvsX sendo legais, normalmente esta edições são umas drogas. MAs concordo contigo, não vejo a hora da saga acabar e Wolverine and the X-men voltar ao normal hehehe
    Abs cara.

    Curtir

  4. Primeira vez que comento aqui.
    Estou ansioso para que essa edição do Aquaman seja publicada por aqui, em terras brasilis. Estou acompanhando essa fase do Johns pelo que é publicado na revista Universo DC e senti o mesmo quanto ao ritmo lento com que a trama vem sendo conduzida, além de não ter gostado das piadas que ele fez com o personagem.
    Gostei bastante do Aquaman do Peter David – que aqui no Brasil saía na revista Superboy – e acho difícil que o Geoff Johns o supere, mas vou esperar pra ver.
    Tenho certeza que o Geoff Johns tem boas estórias reservadas pro Aquaman e, mesmo que não sejam tão boas assim, não tem como ser pior do que o que fizeram com o Arqueiro Verde nesse reboot.
    Oliver Queen foi de longe o personagem mais sacaneado nesse reboot. .

    Curtir

  5. Vamos e venhamos a edição 14 foi bem mais ou menos.

    A arte ficou muito bacana, sendo um dos elementos motivadores para se ler a revista.

    Peter se tornou um perfeito babaca, que acha que sabe de tudo e na verdade não sabe de nada.

    Kitty é uma mulher forte que deveria ser líder dos X-men.

    Porém em alguns momentos a história ficou meio enfadonha, arrastada e infelizmente não deu aquele: “Nossa quero muito ler a proxima edição”. Que sinceramente espero que seja melhor, até porque o título é muito bom.

    Curtir

  6. Se Aquaman tivesse um roteiro fraco e sem graça, ainda valeria pelo traço competente, belo e por que não dizes, vistoso de Ivan Reis. Mas a verdade é que a história está bem legal e sempre deixa um gostinho de quero mais.
    Sobre o lado Marvel da matéria, tenho a dizer que sempre gostei da relação entre Kitty e Peter, e sempre me vem a cabeça a história Dias de um futuro esquecido, quando eles planejam alterar o passado para evitar a tragédia, mas com isso correm o risco de de nunca se apaixonarem. E tem uma cena em que ela diz algo mais ou menos como “se o nosso amor for verdadeiro, ele vai existir em qualquer realidade”… desde então eu sempre observo com cuidado e fico na expectativa disso acontecer…

    Parabéns pelas resenhas! Abraços!

    Curtir

  7. Aquaman sem dúvida está com uma de suas melhores caracterizações, cada edição deixa no leitor aquela sensação de que algo maior esta por vir.
    X-men, foi uma das edições mais chatas/enche linguiça que li dessa saga, que diga-se de passagem tb está cada vez mais chata.
    Esse chove não molha eterno da Kitty e do Peter tb já rendeu o que tinha que render, ele já morreu, ela tb, ele já voltou, ela tb, ela já fez pacto com um demonio, só falta ela agora, ele escolheu um lado ela outro, e nunca, digo nunca mesmo, evoluem a relação deles.
    Psylocke já morou com o Anjo, tiveram juntos uma fase na minha opinião otima, Jean e Ciclope tb, entre outros X casais, logo os únicos que detem o titulo de romance X morno são Peter e Kitty.

    Voltando a saga, acho que já esta mais do que na hora dela acabar, e pior que não vejo o que ela vai mudar dentro dos x-men, fora alguma possivel morte que vai virar ressurreição em um ano no máximo. Ate pq é moda uma morte em uma saga.
    Bem, to meio pessimista em relação aos x-mens rs.

    Curtir

  8. Bem, essa edição foi verdadeiramente quente. Nela podemos ver o descontrole de alguns hospedeiros da Fênix. Como visto, o Colossus e sua irmã, Magia, estão ficando descontrolados pelo poder da fênix (deu a loca nos russos) e ate mesmo o destemido líder Ciclope parecer estar sucumbindo ao Lado Negro da Força (Fênix).
    E a arte de Molina, na minha opinião, foi a melhor que vi em Wolverine e os X-Men.
    Bem, a partir de agora estamos caminhando para uma nova era no Universo Mutante (e Marvel). Apenas posso presumir que as coisas vão esquentar. Não poderia pensar outra coisas quando se tratando da Fênix…

    Curtir

  9. Que delícia, que espetáculo essa arte do Ivan Reis e essa revista do Aquaman! Agora vamos falar do que amo, X-men!!! Eu amo esse casal, Kitty e Colossus, mas essa cara que está aí não é exatamente ele, quem sabe após tosa essa confusão acabar…agora o Homem de Gelo está numa de investir na Kitty, não?…rs

    Curtir

  10. Geoff Johns a cada dia esta mostrando que é um baita escritor , seja no aquaman , no lanterna verde , na liga massaveio e no surpreendente batman terra um ( recomendo a todos lerem essa hq ! ) , o cara veio pra ficar XD e elogiar o terceto brasileiro fantástico Ivan Reis, Joe Prado e Rod Reis é chover no molhado kkkk

    Curtir

  11. Aquaman sem dúvidas foi uma grata surpresa desses Novos 52, e a história já vem recuperando o ritmo. Uma pena que está sendo publicada no mix Universo DC, pagar mais de 14 reais por uma revista em que só dois títulos me agradam (Mulher-Maravilha e Aquaman) tá fora do meu orçamento 😦

    Curtir

  12. Sou leigo em relação aos X Men… Agora pra mim o Aquaman continua sendo um dos heróis e porque nao dizer o herói que teve a melhor adaptação nos novos 52. Claro que tem altos e baixos, mas perto do que tinhamos o Aquaman pré reboot ele é o que mais me surpreendeu e espero que continue assim!

    Curtir

  13. Johns gosta de fazer um certo pacing nos seus arcos, para depois explodir em grandes climax. Foi assim que fez com o Lanterna, e penso que é isto que está a fazer agora com o Aquamn. Início lento para depois o climax ser ainda mais intenso, para além disso, habituaei-me a esperar sempre por algum esquema associado Às personagens dele. Acho que tens razão, Johns tem um plano para ele de certeza!
    😉

    X-Men…
    PASSO!
    (Esta´muito confuso para o meu gosto…)
    😛

    Abraço

    Curtir

  14. O único lugar onde Kitty e Peter deram certo como casal foi em Days of Future. Mesmo o Aaron não consegue tirar o clima de marasmo desses 2 que impera desde que o Colossus voltou do Mundo do Beyonder (nas primeiras Guerras Secretas). O único cara que de verdade completou a Kitty foi o Pete Wisdow. É difícil trabalhar com conceitos que não se tem autoridade (como o caso de AV X X). Mas, é o que tem prá hoje. Só quero ver como vai ficar a miscelânia depois dessa bagunça toda.

    Curtir

  15. Olha, visualmente eu gostava muito da fase do Kurt Busiek, com o “Aquaconan”, mas não empolgava tanto quanto a do Peter David nos anos noventa. Já essa pra mim está sendo a melhor do personagem até hoje! Parabéns à todos os envolvidos!

    A revista dos X-men…essa…li, realmente foi um conto bonito…mas já vi o próprio e criticado Fabian Nicieza escrever contos para a equipe melhores…e não é culpa da equipe criativa do título, também bastante competente, é culpa mesmo dessa droga de saga, gente!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s