Wolverine e os X-men #18 – Atentado à vida de BROO & Idie monstrando sua real natureza? Pode isso, Bial?

por Venerável Victor “tratador de macacos super dotados” Vaughan

Durante a saga Vingadores VS X-men a revista Wolverine e os X-men possivelmente foi a que mais sofreu. Quando essa série estreou, era claro que o roteirista Jason Aaron estava construindo uma intrigante história que misturava com perfeição os elementos da passagem de Grant Morrison, em sua cultuada Novos X-men, com os densos mitos galácticos da Marvel – Shi’Ar sendo um deles – e seus novos e idiossincráticos Kade Kildore e o juvenil Clube do Inferno. O tempo todo o escritor trouxe para a serie muitos elementos populares contemporâneos assim como um senso de referência dos velhos “dias de escola” da mitologia X.

Agora finalmente Aaron está podendo tocar o barco que tão bem navega pelo Universo Marvel nessa edição #18. Sim, a última edição totalmente protagonizada pelo alienígena X mais querido de todos os tempos, o Doop, foi divertida e inusitada, mas esse mês a revista finalmente retorna para sua missão original de representar a adolescência e a reclusão metafórica dessa fase da vida representada através da nova geração de mutantes da Terra.

A ação dessa revista ocorre ao mesmo tempo em que está acontecendo a batalha final da supra citada: Vingadores VS X-men e essa última interligação com a saga é muito bem realizada. Aaron usa a batalha contra a Fênix Negra e a morte do Professor X para trazer novas repercussões para os alunos e mestres da Escola Jean Grey agora nesse segundo ano de vida. E o melhor de tudo, nesse novo número, finalmente o foco do título retorna para suas maiores estrelas; os alunos!

 “Nunca deixem eles fecharem sua escola… Um dia, essas crianças irão salvar todos nós”

Jason Aaron & Jorge Molina

Essa edição é recomendação obrigatória. Aqui temos a última dança de Jean Grey. Aqui temos mais um pouca da interação complicada entre Hulk e Thor na mitologia da Marvel e mais que tudo, muito da marca registrada de Jason Aaron, quando de trata de caracterização dos personagens mais queridos da série: Quentin Quire, Idie e Broo. Muitos novos desdobramentos insanos acontecem nos relacionamentos desses jovens que antecipam futuros conflitos para o próximo ano, especialmente no que diz respeito ao juvenil Clube do Inferno, Escalpo e o problemático (adjetivo menos agressivo) Quire e o novo triângulo amoroso da revista. E quanto a todos os X-men oficiais e clássicos da editora? Nada deles aqui, o que torna esse título ainda mais excitante!

Os desenhos de Jorge Molina melhoraram muito desde a primeira vez que trabalhou nessa revista alguns meses atrás. Antes suas figuras eram um tanto distorcidas nos painéis menores, agora ele demonstra uma aproximação de sua linguagem visual muito mais cinematográfica, algo parecido – me perdoem os que acharem heresia – com o trabalho do espetacular Olivier Coipel. Claro, seu trabalho não é tão realista como o de Coipel, ele ainda não foge da tendência natural de fazer seus personagens com olhos estilizados de anime, aqui e ali, mas mudou muito na representação do movimento em suas cenas.

Um atentado à vida de Broo foi cometido! Irão os professores e alunos da Escola Jean Grey deixar isso passar barato? Você não tomará atitude quanto a isso? Agora é a hora certa de entrar na série para os relutantes de plantão, a arte é boa, os roteiros são excelentes e um novo ano de atividades escolares se inicia para esses novos mutantes, você vai querer perder???

Anúncios

46 comentários sobre “Wolverine e os X-men #18 – Atentado à vida de BROO & Idie monstrando sua real natureza? Pode isso, Bial?

  1. Steve Englehart também criou dois dos mais famosos e melhores arcos de histórias dos Vingadores. Primeiramente, A Busca da Madona Celestial, na qual os Vingadores se envolvem em uma disputa entre Kang e Immortus na busca pela “Madona Celestial”, uma mulher que seria a geradora de uma criança que salvaria o universo. Entre as várias suspeitas, que incluíam a Feiticeira Escarlate, terminam por descobrir que aquela será Mantis. Esta aventura, além de grandiosas batalhas, traz muitos acontecimentos importantes, como a morte do Espadachim e a revelação de que Immortus, Kang e o faraó Rama-Tut são todos a mesma pessoa em períodos de tempos diferentes. Os três personagens eram viajantes do tempo e foram criados por Stan Lee e Jack Kirby em ocasiões diferentes, o que deu ao autor a ideia de uni-los. No final, Immortus (a versão mais velha e bondosa de Kang) termina por efetivar dois casamentos: Feiticeira Escarlate e Visão e Mantis e uma versão em espírito do Espadachim. Essa saga foi publicada entre Avengers 129-135 e a nova Giant-Size Avengers 02-04,entre 1974 e 1975. Esta última era uma revista de periodicidade quadrimestral que tinha um formato maior e mais páginas, destinada a grandes acontecimentos, substituindo as velhas revistas anuais. Um batalhão de desenhistas trabalhou nela, como Sal Buscema, Dave Crockum e George Tuska, além de John Romita nas capas.

    Curtir

  2. Em Vingadores VS X-MEN TORCI COM TDS AS FORÇAS PARA OS VINGADORES…GRANDE SAGA.Acho que seria legal no final dessa Saga os Mutantes passarem a ser respeitados pela sociedade.

    Curtir

  3. Poucas mas importantes palavras a dizer. Desde a época do Milligan não conseguia ver os X-Kids tão divertidos, só que com uma diferença. Agora não tem falastrão, não tem pastelão e não tem morte em toda edição (ou alguém tá achando que o Broo foi dessa prá melhor???? Essa cena é mais batida do que terreiro de catira!!!!). Humor diferente. Mais inteligente e que prende pelo enredo e não pelo exagero. Simplesmente sensacional!!!

    Curtir

  4. Uma ótima edição, falo isso indiretamente. O Jason Aaron trabalhou muito bem nessa edição, os diálogos estão bastante perspicazes. O fato da estória envolver adolescente é um prato cheio para o roteirista, pois existem “N” ramificações e “N” bifurcações das quais a estória pode tomar forma; adolescentes é um tema bastante amplo e complicado, é possível encontrar bastante sensibilidade, claro que depende muito de quem está escrevendo.

    Curtir

  5. O que foi isso que aconteceu com o jovem Broo, meu Deus…. Acho que Aaron recomeça o andamento de Wolverine e os X-men com o pe direito, e com um desenvolvimento dobrado. E nada melhor que isso do que mostrar alguem morrendo. Parece que sempre da certo!

    Curtir

  6. Edição excelente. Jason Aaron conduziu o roteiro muito bem, a forma com que Broo vivencia sua paixão ficou bacana.

    E o aspecto de se tratar mais dos adolescentes deixou a temática mais atraente, pois deixa o roteirista mais livre para trabalhar as suas ideias.

    Curtir

  7. Acabei de ver um teaser de Marvel Now com a inscrição Uncanny e o visor do Ciclope por trás. Acho que vou retomar a leitura. E valeu por mais uma eXcelente resenha Venerável Victor!!!

    Curtir

  8. Bolas, não me apetece… já é a 3ª vez que tento comentar hoje este post e não consigo!
    A ver se é desta…
    A revista parece estar em forma, as imagens estão bastante fixes mas diz-me… o que aconteceu à Hope? O meu omnibus AVX ainda não saiu portanto tou às escuras…
    🙂

    Curtir

  9. A série parece estar boa. Mas diz-me uma coisa porque eu não tenho seguido isto… o que aconteceu à Hope? E o que queres dizer com a última dança da Fenix?
    Tou à espera que saia o omnibus do AvX…
    🙂

    Curtir

  10. Não gosto desta revista. Respeito quem gosta, mas acho esse broo um chato. Uma revista sobre estudanteS, mas que aparecem apenas 3 ou 4. Onde estão os outros jovens mutantes? SImplesmente jogados no limbo. Kitty Pryde não existe mais; Anjo tornou-se um débil mental (depois da excelente Uncanny X-Force). Kitty e Bobby num romance sem química.
    Malhação versão quadrinhos.
    Esta edição 18 até se salvou, assim como outras durante a saga. Mas não consegui ler a 17. Infantilóide ao extremo. Muito diferente do que eu venho acompanhando nas revistas mutantes das últimas décadas.
    Minha equipe preferida (disparado).
    Pena é ver Tempestade ser jogada no meio desta coisa. Ainda bem que teremos outros títulos mutantes, porque esta eu considero bem dispensável.
    Mas… tem gente que gosta. Até faz sucesso. Boa leitura para estes.

    Curtir

    1. Ela tem seu charme, Lucy, mas realmente, TEMPESTADE ali vai ser uma GELADEIRA para a personagem… Uma pena, pois é uma das melhores X-womens de todos os tempos. Todos os professores são ali escada para os alunos. (Que você verá agora muito mais após essa saga AvsX)

      Curtir

  11. Engraçado que só li essa revista a partir da edição passada e já terminei de ler essa última pensando:
    NÃO MORRA, COISINHA!

    Curtir

  12. EDITORIAL SANTUÁRIO:

    segunda: resenha de Wolverine e os X-men – Marvel comics

    Terça: resenha de Aquaman – DC comics

    Quarta: A Cidade dos Demônios – VERTIGO

    Quinta: Teles of Astonishing -A estréia do grande Homem formiga!!!

    Sexta: Frankenstein Agente da S.O.M.B.R.A. – DC comics

    Sábado: Os Novos Deuses de Jack Kirby

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s