ALL NEW X-MEN – “Eu espero acontecimentos, mas quando amanhece é festa no outro apartamento”

por Venerável Victor “tratador de macacos que viajam no tempo” Vaughan

“A mente que se abre a uma nova ideia jamais volta
ao seu tamanho original”
Albert Einstein

Essa é a primeira edição de All New X-men, que promove uma nova, audaciosa e inesperada direção para os Filhos do Átomo, nesse atual projeto da editora, com cara de “relaunch não muito reboot“: Marvel Now. Assim como os Novos 52 da DC, esse título é mais um recomeço de todo o universo, mas ao contrário da editora rival, essas revistas continuam respeitando a continuidade que os leitores tanto prezam e com a qual são familiarizados.

Resenha com SPOILERS que já se passaram para quem vive no passado.

O Professor Xavier pode não estar mais entre nós, mas o seu sonho não morreu com ele!

Brian M. Bendis, Stuart Immonen & Wade Von Grawbadger

A proposta da Casa das Ideias com essa iniciativa é mais de fazer um ponto de entrada para novos fãs do que de recomeçar toda a franquia (tipo o Capitão nunca esteve congelado! O Aranha não sobe pelas paredes!). Caso você tenha pouca ou nenhuma informação sobre tudo isso e se pergunte como será essa nova equipe de X-men, e caso apenas uma palavra pudesse ser usada para descrever o grupo, diríamos… ”familiar”, acredite.

Muito da propaganda em cima dessa nova revista é focada no aspecto da viagem no tempo dos X-men originais, vindo para o presente do universo Marvel. Ao passo que essa não é uma informação errônea ou um exagero, nessa edição nós descobrimos que o roteiro é muito mais complexo do que simplesmente isso. O cultuado Brian Michael Bendis trouxe uma abordagem genial para esse novo lançamento da franquia X. Numa primeira olhada muitos podem dizer que tudo não passa de uma jogada de marketing safada para agradar fãs antigos avessos às reviravoltas dos últimos tempos e à hegemonia de Wolverines e Fênixes nas tramas da Marvel.

Capas variantes de Sturat Immonen, Joe Quesada & Skottie Young

Mas se trata justamente do contrário, essa proposta apenas confere mais uma camada de complexividade para a novela dos alunos do Professor X. Tudo isso pode ser facilmente ignorado pelo leitor mais “MASSAVÉIO!!!”, mas existe muito mais do que os olhos podem ver quando você coloca um jovem e puro grupo de X-men interagindo com uma versão futura mais cínica, desiludida e casca-grossa de heróis… e leitores.

A premissa básica dessa revista é a de que Ciclope e seu time de mutantes rebeldes começaram a recrutar potenciais alunos da Escola Jean Grey para Jovens Superdotados, com a intenção de construir um movimento elitista e revolucionário de mutantes, totalmente separado do sonho do Professor X de coexistência pacífica entre mutantes e humanos. O fato é que a nova “escola” de Ciclope é muito mais similar com a Irmandade de Mutantes original de Magneto do que com a ideologia de Charles Xavier.

Desapontado com a nova direção que Ciclope está seguindo, Henry McCoy, conhecido por todos como o carismático Fera, desenvolve uma forma de viajar no tempo com a intenção de trazer consigo uma versão mais jovem e idealista de Scott Summers e sua equipe de X-men para colocar juízo na cabeça do amigo e sua nova equipe de mutantes mal-humorados. Nada mais é mostrado ou explorado nessa primeiro número, deixando muita coisa no ar para as próximas edições…

O foco dessa primeira edição é o Fera, uma escolha perfeita de personagem para marcar esse primeiro capítulo: fiel X-men e amigo íntimo de Ciclope desde áureos tempos, sua motivação para resgatar a alma de Scott Summers é incontestável, além da de qualquer outro membro da equipe. E o estopim para seu ato de resgate se dá quando ele vê o amigo assemelhando-se ao maior inimigo que a equipe já teve: Magneto! (momento de pausa dramática)

Obstinado em não confrontar Scott com mais violência, o Fera decide que o Homem de Gelo – quem diria – teve a melhor ideia de como solucionar todo esse conflito ao mencionar isso em uma discussão da equipe sobre como agir contra Ciclope:

O Scott com o qual nós crescemos iria odiar tudo isso que o atual se transformou, ele iria arrebentar a cara do nosso e ele não pararia até fazer com que ele mudasse, Certo?

Com isso em mente Hank McCoy viaja para o passado no intuito de convocar os Proto X-men para que resolvam esse problema. Alguém duvida que eles vão aceitar de bom grado o desafio?

Para muitos leitores é difícil se lembrar de um tempo em que Bendis não pareça onipresente no universo Marvel, incansavelmente escrevendo em diversos títulos principais da editora. Até então, durante esses últimos dez anos, os títulos mutantes pareciam nunca ter interessado a ele. Teria sido esse o motivo de ter aceitado finalmente assumir essa franquia? Um desafio tão grande quanto o que as versões mais jovens de nossos heróis enfrentarão no nosso presente?

Uma coisa é certa, seu envolvimento com os títulos X representa uma coisa; os mutantes não mais viverão isolados dos acontecimentos que os outras revistas enfrentam, passando a serem sujeitos ao mesmo marketing e sinergia que os Maiores Heróis da Terra possuem.

Como inúmeras outras primeiras edições de novas revistas, essa não é nada mais que a construção da base onde será desenvolvido o novo título, aqui temos o Fera possivelmente passando por mais uma mutação secundária, com resultados ainda imprevisíveis e uma Jean Grey pré-Fênix, ainda ingênua e Lolita. Sabemos que o número seguinte trará algumas revelações para que a série se estabeleça. Como dito acima, a premissa é intrigante e desperta o desejo de seguir a leitura – e o fato do competente Stuart Immonen estar à frente do lápis só acentua o valor da obra. Mesmo essa edição não permitindo muito espaço para que o canadense Immonen trace seus marcantes quadros de ação pelos quais é conhecido, suas páginas ainda assim são um prazer a mais para os olhos.

Com todos esses talentos por trás do novo conceito, esperamos grandes acontecimentos. Pelo ponto de vista dos nossos personagens do presente, o futuro não parece mais tão promissor, mas para os Jovens X-men do passado ele será tão promissor como sempre foi!

Agora, para que os devotos pensem bem antes de dormir:

Seria a volta no tempo dos X-men, percebendo as mudanças drásticas que sofreram no seu futuro, o início do verdadeiro reboot do universo Marvel, uma vez que retornem para o seu presente?

Anúncios

69 comentários sobre “ALL NEW X-MEN – “Eu espero acontecimentos, mas quando amanhece é festa no outro apartamento”

  1. Li a revista. Achava que ia ser uma bomba forçada. E pra minha surpresa…NÃO FOI!!
    Argumento muito bem amarrado. As cenas muito bem trabalhadas. Arte impecável analisada pelo critério “sequencial” e não pelo valor estético. Os jovens X-Men roubam a cena no momento que aparecem. Não gosto tanto assim do Bendis e acredito que a “tietágem” sobre ele é grande mesmo. Mas o cara acertou. A revista é boa. A história é boa. E pra quem acompanhava os titulos mutantes, essa “reviravolta” mesmo ortodoxa mostrou-se genialmente necessária numa época onde os títulos mutantes estão tão distantes do que se esperava.
    Material bom. Comprem. Leiam. Peguem emprestado, sei lá…Mesmo que você não concorde com o tema, julgue pelo o que você leu, e não pelo que você acha.
    Agora se a a conclusão disso vai ser uma bomba…só o futuro dirá, e não a lógica do não vi e não gostei…

    Curtir

  2. Ainda não me livrei do “ranho” que eu peguei dos diálogos do Bendis, mas a revista parece legal.

    O que achei realmente interessante foi a última frase. Sinceramente, não havia pensado nessa possibilidade, mas eu diria que é razoável.

    Curtir

  3. Acho que eu me apego muito aos personagens… E por isso, essa nova ideia de uma Scott rebelde um tanto vilanesco não foi digerida muito bem por mim.
    Na verdade, em relação a essa primeira revista, eu tive receio em vários pontos: primeiramente, com Bendis dirigindo essa edição. Eu acho que sua imagem esta muito ligada aos Vingadores e por isso, temo que os X-men se tornem muito vingadorizados…
    Ainda tenho muitos receios, mas so me resta esperar

    Curtir

  4. É por isso que não me torno fã deste ou aquele roteirista ou desenhista disso ou daquilo…vale mesmo a história em si ea conclusão do material .Muito dos filhos do átomo foi desgastado no decorrer dos anos e muito,mas muito se perdeu e aos berros muitos fãs e leitores viram isso acontecer e não puderam fazer nada,além de fazer “beicinho”.Francamente,um desafio de trazer versões do passado de uma realidade alternativa desgasta mais ainda cada personagem em xeque nas histórias.Se suas participações são definitivas ou não ou se cada versão dos nossos XMEN serão apagados…muita coisa para ser questionada e realmente nada pode vir de bom disso.Trazer personagens que teriam a idade dos Novos Mutantes em inicio de carreira…e sem experiencia p/ tantas missões…hummm…sei não…

    Curtir

  5. Incrivel, emocionante, icönico, maneiríssimo !!! A premissa dos antigos Xmen visitarem nosso presente é toda carregada de simbolismo, que ultrapassa as fronteirs do universo onírico em que vivem os personagens! A ingenuidade dos anos 60, heróis idealistas e bonitos, sorridentes mesmo, vendo cara a cara o próprio futuro, sem conhecer a própria face…

    É meus amigos, o mundo ficou estranho, sombrio e ambíguo diriam alguns, mas cá entre nós, ele não foi sempre assim? Trata-se mais de jovens idealistas observando o que eles mesmos se tornaram, não o que o mundo se tornou. É, deve sser uma experiencia e tanto poder combater o pior de si mesmo… Quem se arrisca a tentar?

    E eis que boatos garantem: Quando a Jean Grey chegou no futuro, pode ouvir ao longe: Vai novinha…!

    Curtir

    1. Através dos meus estudos amadorísticos da História da Humanidade, também acredito que o mundo sempre tenha sido assim, nós é que temos duas visões distintas da humanidade, uma quando somos jovens mutantes, outra quando já até participamos dos vingadores…

      Curtir

    1. Esse tal de VVV (que dizem ser discípulo de Vom Doom) não está aqui agora… Poderia te responder que o MEU Scott (no bom sentido) realmente estava certo, mas os fins justificam os meios, Dallegrave???

      Curtir

  6. Bem. Precisei digerir bem a idéia, passei o dia de ontem (Pelo menos os poucos minutos entre uma atividade e outra do trabalho) caçando outras resenhas, mais imagens. Me lembrando dos trabalhos que já li do Bendis e também de coisas que não li mas me abasteci de diversos comentários nesses anos sem quadrinhos e posso dizer agora:
    O Sr. bendis tem muitos altos e baixos (na minha opinião mais altos com os personagens solitários como o Demolidor ou o Cavaleiro da Lua). Com equipes, ele se mostra muito ousado, pois tem a possibilidade de trabalhar com várias personas de uma vez só, mas agora com os filhos do átomo……algo me diz que isso não vai virar boa coisa!!!! Pelas investidas não muito felizes (Guerra Secreta, Invasão Secreta, Civil War……É VERDADE!!!!! NÃO GOSTEI DE NADA DISSO AÍ NÃO!!!!!) e pela tietagem sem muita necessidade que se faz sobre ele.
    Já foi colocado que as viagens no tempo geram linhas alternativas de existência que infelizmente não seja considerado na Marvel (tá……e o Bendis tem culhão prá mexer nisso???? NÃÃÃÃOOOOOOOOOO!!!!!!!! E pode me chamar de putinha do Morrison porque eu sou mesmo!!!! Só ele prá fazer isso hoje em dia!!!!! nem Geoff johns tem cacife prá isso!!!). A arte tá maravilhosa. É claro Stuart manda muito bem no traço e com as cores ajudando, fica perfeito, mas nem só de desenhos bonitos se faz uma história. Por isso eu aviso caros colegas e fiéis daqui: Vigiai pois pode ser um futuro caça níquel que estamos discutindo neste momento. Talvez nada que tenha que ser lembrado como “marco histórico”. Talvez você Victor, nobre tratadorfique até um tanto receoso com estas palavras, mas depois de ver bem o oba oba que se fez em torno de AV X X e Marvel Now! e de vários recomeços que já vi nesses quase 30 anos de quadrinhos é o que consigo constatar atrás dessa cortina esvoaçante que o Sr. bendis nos coloca.

    Curtir

    1. Por favor Nilson… Não nos lembre mais de AvsX…. Vamos dar tempo ao tempo, como esse título é bi mensal, logo logo ele mostrará sua real natureza e se vale a pena todo esse estardalhaço. Outra, concordo, Bendis é melhor trabalhando com heróis urbanos e solitários….

      Curtir

  7. O Aranha não sobe paredes????
    ahahahahhah
    Coitado do Aranha… tem sofrido taaaanto nos últimos anos…
    😥
    Quanto aos X-Coisos esta entrada parece interessante. Não gosto muito do Bendis na generalidade, mas parece-me que esta abordagem é interessante!
    😉

    Curtir

  8. Putz, ele já se esqueceu de “A Era do Apocalipse”? Alguém devia avisar ao Sr. McCoy sobre os perigos de se viajar no tempo, e as consequencias em tentar alterar aquilo que está predestinado… a não ser que ele esteja predestinado a mudar o que estava predestinado, então tudo bem…;)

    Bendis manda muito bem, de uma idéia supostamente batida tira da cartola uma grande história, com uma proposta promissora e muito animadora, como há tempos não vemos nos quadrinhos…

    Provavelmente essa HQ não passaria batido por mim, mas depois da sua resenha, fica impossível não correr atrás desse material, Victor…!

    Parabéns!!!

    Curtir

  9. Esse é o título com mais cara de reboot em Marvel Now! Se eles queriam trazer novos leitores conseguiram, eu mesmo estou super afim de voltar a ler X-Men sem esses anos todos de cronologia atrapalhando o entendimento e o prazer da leitura. Eu confio no Bendis e o Immonem é excelente ( a edição que ele desenhou de Rising Stars foi a melhor de toda a série). Vou encomendar minha edição especial comentada pelo Venerável Victor. Abraço!

    Curtir

  10. Bem, segundo a lógica de viagens no tempo da Marvel, uma mudança no passado não mudaria o futuro, e sim criaria uma linha temporal divergente da original. Ou seja: já foi criada uma linha temporal divergente com essa vinda dos X-Men do passado para o presente e mais uma será criada quando voltarem para o passado. É uma pena que a Marvel pouco explore isso, são milhões de possibilidades de histórias.
    Poderia ser um trampolim para um reboot se a Marvel adotasse esse novo universo criado com a ida dos X-Men do passado para o seu futuro.

    Mas se fosse eu no cargo de editor não faria isso não. Até faria um reboot, ou na verdade algo mais que um reboot, e daria um fim glorioso no que é publicado, mas não assim. Assim seria uma vergonha, como o da DC, uma tentativa de “remendo” do que é publicado, que se traduz nas mesmas vendas medíocres de sempre porque estariam publicando da mesma maneira que sempre (mas tentando vender como algo novo). Tentar um patético ganho de vendas temporário é estúpido para uma empresa como a Marvel e a Disney como foi pra Warner/DC.

    Curtir

  11. Eu sempre tenho um pouquinho de medo do Bendis… embora ele faça grandes histórias, ele sempre deixa um rastro de estrago no caminho. Provavelmente, ele vai subverter ou matar algum moleque nesse processo.

    Curtir

  12. Depois que li sua resenha, Venerável, fui dar uma pesquisada em imagens pelo Google, principalmente o que mais me chamou atenção foram as capas da revista! Já tem umas sete ou oito prontas e lançadas para apreciação… Que equipe é essa! A editora ta apostando forte! E eu…Quero é mais!!!! 🙂

    Curtir

  13. Primeira regra sobre viagens no tempo: NÃO VIAJE!!!
    Marty McFly e Doctor Who já provaram que não convém.
    Trazer os “jovens X-Men” pro presente é tão, mas tão, mas tão absurdamente estúpido que me recuso a acreditar que o Fera esteja em seu juízo normal.
    Sério… O choque pros meninos já é o suficiente pra se criar uma Fênix, um Magneto-clope e afins.
    Lembra quando os Novos Titãs conheceram os Titãs do Amanhã, na fase Geoff Johns?
    Então, eles viram o que iriam se tornar no futuro e voltaram ao passado cheios de mimimis, “não-me-toque” e depressões. Foi um tiro na auto-estima deles, mas foi acidental.

    Agora o bem-intencionado Fera entrega de bandeja aos meninos o que virá.
    Isso já aconteceu inúmeras vezes nas hq’s, né?
    “Eu sou sua versão do futuro, vim avisar algo agora para evitar uma catástrofe na minha era”.
    NUNCA deu certo. Nunca.
    Vamos ver como isso será trabalhado, né? Mas não levo fé, de boa.
    Esse choque “1960-2010” é brusco. Quero ver quanto tempo até estragar os meninos.
    Sim, estragar. Não confio num forte senso moral inabalável deles, nessa época.

    Curtir

  14. Em linhas gerais eu gostei da primeira edição de All New x-men, Bendis parece motivado e quando isso acontece seus roteiros melhoram muito.

    Stuart Immonen fez um trabalho muito bom nessa edição e se continuar assim all New X-men será uma revista que vale a pena acompanhar.

    Curtir

  15. o bendis deve ter um aquipe de roteiristas chineses no porão no esquema trampo escravo! daqui a pouco ele ta escrevendo os desenhos e os filmes da marvel e a nova versão da biblia, ao mesmo tempo !

    Curtir

  16. Então agora a bagunça vai começar! kkkkkkkk
    Cadê o Wolverine que não põe ordem nessa bagaça??? HuaHuahahaha

    Espero que essa série não se perca e deixe ainda mais bagunçado o universo dos X-men. Afinal, imagina a dificuldade de explicar pra Jean toda a sua história de mortes e ressurreições???

    Mas a premissa é interessante sim, devo admitir!
    Ao contrário do que estamos acostumados dessa vez os Days of a Future Past são os nossos dias!!! Pra melhorar só faltou o DeLorean!!! 😉

    Curtir

  17. Quero ver o Hulk me obrigar a comentar algo… se o Hulk é tão fodão assim, ele que venha aqui e esfregue a minha cara no tecladkjhgfgvlsgsdlefreelrmnbaje563445d455gicqswbwekecbjfksddjdkf
    😉

    Hehehe… dessa nova fase da Marvel, meu gibi mais esperado era justamente este… recordo de já deixar clara minha ansiedade com tal já há uns 2 meses quando inquiria nosso camarada VVV se o mesmo faria as resenhas desta HQ. Oras, se o título tem em suas mãos os competentes Bendis e Immonem, nada melhor que fechar o conjunto com excelentes “resenhadores” como o VVVV (igualmente faço questão de lembrar do camarada Witchking lá do BdE).

    Minha espera pela HQ foi mais que compensada. Arte incrível… roteiro excelente do Bendis… proposta mais que interessante dada à HQ. Embora eu não tenha curtido tanto a saga Av x X eu vejo com bons olhos o que saiu dela… esse novo status quo na Marvel (em especial em relação aos mutantes e o destemido líder) é muito promissor.

    Ótima resenha VVV!! Parabéns!!

    Curtir

  18. Tenho várias expectativas para essa nova fase, acho que já estava mais que na hora dos X-men sairem da zona de limbo em que se encontravam.
    Afinal nenhum acontecimento marcante ocorria com os herois. (mortes não marcam mais nada)
    To torcendo pelo Ciclope.
    Victor, mais um texto otimo.

    Curtir

  19. EDITORIAL SANTUÁRIO:

    Segunda: All New X-men #1

    Terça: Cavaleiros Demoníacos

    Quarta: Arrow – episódio #2

    Quinta: O que aconteceria se…

    Sexta: Liga da Justiça

    Sábado: Os Novos Deuses de Jack Kirby

    SANTUÁRIO

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s