REINO DOS MALDITOS: Eu vejo as coisas mais lindas nos lugares que ninguém nem olha!

monstroResenha de “Reino dos Malditos”, de Ian Edginton (roteiro) e D´Israeli (desenhos).

Este artigo contém spoilers revelações sobre o roteiro.

Por Rodrigo Garrit

S_Final

Aviso: Eu sou um monstro.

Essa é uma história que fala sobre o mal que reside dentro nós. Aquele que nos observa atentamente quando nos olhamos no espelho, escondido em nós, aguardando oportunidades, promovendo pequenas discórdias, manipulando singelos fios até que enfim a gente adormeça, e em nosso sono, esqueçamos por um momento quem somos, ou aquilo que fomos ensinados a ser, libertos dos padrões de moralidade, e enquanto nós descansamos em sono profundo, ele, aquele que aguardou pacientemente sua chance, finalmente desperta.

Todos temos duas porções iguais e equivalentes de bondade e maldade dentro nós, mas qual delas vem verdadeiramente à tona? Todos somos bons, é claro, todos queremos ser bons, o bem sempre vence. Que bom ser do bem. Essa foi a escolha que fizemos. Mas… foi realmente uma escolha? Por que ser bom, por que ser mau?

Fábulas sempre têm um lado sombrio, em todas as suas versões dignas de nota. É preciso confrontar o bem e o mal, não importa se em atitudes do nosso dia a dia, guerras sangrentas ou em histórias para crianças. E qual a vantagem de ser mau? Além da diversão, eu digo. Bem, eu poderia citar a liberdade, a satisfação e o prazer de realizar seus sonhos na medida em que eles surgem na sua cabeça, sem esforço, sem escrúpulos sem demora.

E qual a vantagem de ser bom? “Não vou ser punido, todos vão gostar de mim”. E se eu dissesse que eles NÃO vão gostar de você, mas apenas dizer isso? Se viver essa farsa ridícula é ser bom, eu não entendo mais nada.

Então, quanto tempo você perdeu sendo bonzinho demais, ouvindo promessas demais e nunca chegando a lugar nenhum? E se um dia você tirar, digamos apenas uma “sonequinha” do seu lado mais contido e libertar o leão que existe em você? Imagine as coisas que poderá conquistar… não se importe com ninguém, apenas consigo mesmo. O mundo é seu por direito. Não peça, exija. Não tenha vergonha de pensar em si e apenas em si. Amigos são apenas degraus para conseguir objetivos. No final, ninguém liga. E se o destino final é a solidão, por que se importar em agradar os outros agora? Faça tudo que tenha vontade… minta, engane… enfim, use de todo e qualquer método para chegar onde precisa. Não tenha mais medo. Seja o medo.

Então você não terá mais amigos? Irrelevante.

Terá alguns inimigos? Isso pode ser problema. Acabe com eles antes que pensem contra você. E dai se agora você se sente sozinho? Que falta fazem aquelas gargalhadas? Todos te odeiam? Grande coisa, agora eles admitem. Você desfrutou de realizações que eles nunca vão chegar perto. Realizações materiais, claro, pois a essa altura, você já não é capaz de sentir mais nada. E mesmo toda a riqueza roubada dos idiotas nem parece mais ter tanto valor. Eles te olham torto quando você passa, mas é inveja. Todos queriam ser como você, mas nunca terão essa coragem. Mas você sempre quer mais e sua ganância vai crescer e fazer você passar dos limites. Você vai querer ter mais do que pode e vai se arriscar ao máximo para conseguir o mínimo. Só pelo prazer de ter. Então um dia eles vão te pegar, é inevitável. E você não terá mais amigos para te ajudar, pois há anos você os derrubou, um a um. E vai se achar bom demais para esse mundo, vai tentar suicídio, mas seu egoísmo salvará sua vida no último segundo. Então um dia, algum golpe dará errado. Eles te pegarão e te levarão a um lugar onde ninguém poderá ver você e nem ouvir os seus gritos. E você estará lá mais sozinho do que nunca, encharcado com seu próprio sangue, agonizando uma vida cheia de arrependimentos e sentimentos estraçalhados. Mas nesse último suspiro, você já não será mais você. Seu lado mau cairá em sono profundo e a parte boa que você permitiu que dormisse esse tempo todo, enfim despertará. Mas será tarde demais, é claro… Seu lado bom acordará apenas para que sofra ainda mais e perceba o quanto desperdiçou sua vida.

O que foi, ficou tristinho? Ah, que peninha de você. É hora de morrer meu chapa. Foi um prazer te conhecer. Você tem algum parente? Algum priminho ou irmão? Acho que vou visita-los em seguida… ainda tenho alguns conselhos para dar.

Como? Me desculpe, não consigo entender o que você diz, assim engasgado em tanto sangue. Então é isso maninho. Acabou para você. Mas afinal de contas, o que você esperava?

Eu avisei que era um monstro.

Você acabou de ler um texto inédito de minha modesta autoria, imensamente inspirado pelo universo e conceitos apresentados na obra “Reino dos Malditos”, (Kingdom of the Wicked) de Ian Edginton (Planeta dos MacacosStar Wars e Xena) e arte deslumbrante de D´Israeli, uma HQ emocionante, publicada pela Dark Horse, e lançada no Brasil pela Pixel Media em 2006.

Na trama, um escritor de livros infantis bem sucedido, Chris Grahame, leva sua vida normalmente até que começa a ter fortes dores de cabeça acompanhadas de flashes de um mundo imaginário criado por ele em sua infância, o qual ele batizou de Castrovalva. Mas o que devia ser o paraíso da imaginação inocente de um menino, acaba se revelando como algo mais próximo ao inferno, alimentado por uma mente sádica e doentia. Os personagens de Castrovalva – ou seriam os cidadãos de Castrovalva? – estão a mercê dessa ameaça, e talvez apenas Chris seja capaz de salvá-los… se aceitar reviver essas lembranças de infância e decidir tomar uma atitude. Mas e se eles forem apenas delírios e ele simplesmente estiver louco?

Salvar ou abandonar? Estender as mãos ou dar as costas? Quem conhece de verdade o bem e o mal que guardamos em nosso mais profundo íntimo…  e como escolher entre um ou o outro? É uma escolha?

Não deixe de ter essa obra prima dos quadrinhos em sua estante!

Anúncios

26 comentários sobre “REINO DOS MALDITOS: Eu vejo as coisas mais lindas nos lugares que ninguém nem olha!

    1. Embora muitas histórias (quase todas?) sejam feitas visando apenas o retorno financeiro, ainda existem, graças a Deus, pessoas que realmente amam escrever e desenhar quadrinhos e fazem isso com muita dedicação, nos brindando com alguns excelentes álbuns… esse é um desses casos. Fico feliz que tenha gostado da resenha e tenho certeza que se tiver a oportunidade de ler essa HQ, não vai se arrepender!

      Abraços!

      Curtir

  1. Essa HQ é uma das melhores e mais criativas histórias que li. Muito bem feito o choque entre o lúdico infantil, e o terror adulto no mundo de Castrovalva. E a forma como as duas histórias, a do nosso mundo real, e a do reino da fantasia se mesclam. eu não conhecia o autor, e me surpreendi bastante.

    Curtir

    1. O mesmo aconteceu comigo… te confesso que comprei essa edição meio “no escuro”, mas felizmente não me decepcionou… muito pelo contrário, graças a Deus eu pude ter a oportunidade de ler essa HQ com “H” maiúsculo… é preciso que mais coisas assim sejam feitas…

      Abraços!

      Curtir

      1. Quando eu li a sinopse da contra capa, pensei “me tirem de perto disso!” hahahaha. Sei lá, quem escreveu aquilo tentou vender a revista pra algum fã de Harry Potter, não pra mim. Li emprestado, mas gostei tanto que acabei comprando.
        E, pra outros leitores do Santuário, recomendo procurar na Comix, ou em outras lojas/sites de venda. Na Comix, paguei apenas R$10,00.

        Curtir

  2. Implacavel ! Muito bom texto. Otimo argumento para um comic. Nao conhecia. Vou pesquisar. Os textos desse blog sao muito bons. Um oasis de inteligencia num deserto ideias povoado por nerdszumbis ignorantes e fanaticos. Ser honesto as vezes parece ser “mau”.

    Curtir

  3. Massa, esta obra é mesmo de se ter na coleção. Já li ela, mas não tenho na estante ainda. Estou com outras prioridades no momento, mas ela e O Ladrão da Eternidade que saiu na mesma época por aqui estão na minha lista.

    Curtir

    1. E essa obra de Clive Barker – o grande público o conhece por ser o criador da série de filmes Hellraser, que sou fã até debaixo d´àgua – tem grande chance de ser resenhada em breve aqui no Santuário… grandes chances mesmo…! 😉

      Curtir

  4. Wow!!! Que texto agoniante!!! Comecei a ler despretensiosamente quando de repente… já tava inclinado na frente do computador com a mão na boca!!! o_O Cara, como você consegue fazer isso??? #medo

    Curtir

    1. Muito obrigado! Espero sempre poder fazer boas recomendações, não apenas dos quadrinhos mais difundidos entre o grande público como também de obras menos conhecidas, mas com grande valor artístico. Como diria Marcelo D2, eu vou em busca do quadrinho perfeito, e enquanto não encontro, estou adorando procurar 😉

      Abraços!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s