PORQUE A NOVA “CAPITÃ MARVEL” VEIO PARA FICAR

_0004_Midgard

por Venerável Victor “o tratador ainda vive” Vaughan

capitaomarvelcapa

Uma opnião pessoal sobre o futuro glorioso de Carol Danvers, entre dezenas de milhares de outras opniões que saem na web…

Capitão Marvel original – criado por Stan Lee e Gene Colan

Carol Danvers tem sido parte do universo Marvel por quase tanto tempo quanto o Capitão Marvel original. Ela estreou em 1968, apenas meses após a primeira aparição do guerreiro Mar-Vell em 1967. De lá para cá a loira teve alguns outros nomes nesses longos anos.

missmarvel
Carol Danvers em sua identidade clássica de “Miss Marvel”

Alguém lembra quando ela se chamou Binária após experimentos que sofreu nas mãos da raça alienígena, Ninhada? Ou quando ela passou a se chamar Warbird durante uma fase da revista Vingadores, não muito antes de ser chutada da equipe por causa do seu vício com álcool, mas apesar disso tudo, na maior parte dos seus trinta e cinco anos desde que foi criada, ela tem sido chamada de Miss Marvel.

Carol teve seu DNA misturado com o Capitão Marvel original após um acidente com um maquinário de guerra Kree e acabou ganhando super poderes ao velho estilo Marvel comics.

Mas como foi que a editora do senhor Stan Lee acabou criando um personagem chamado Capitão Marvel? Por mais estranho que pareça, justamente por causa da DC comics.

Em 1941, a DC entrou na Justiça contra a editora Fawcett comics pelo direito de possuir o personagem Capitão Marvel – sim, aquele que fala: SHAZAM! – alegando que ele era uma cópia descarada do Super-Homem. O caso repercutiu nas cortes Americanas por anos, enquanto isso a Fawcett continuou publicando sem parar as histórias do seu Capitão Marvel.

Finalmente em 1952, a corte de apelações dos Estados Unidos decidiu que o Capitão Marvel era sim uma agressão aos direitos autorais do Super-Homem da DC, ao mesmo tempo em que o mundo descobria que a própria DC comics não possuía o total direito autoral por seu personagem. O que significava que a corte americana não poderia legalmente impedir a Fawcett de publicar seu personagem.

Da esquerda para a direita: Capitão Marvel original, Capitã Marvel (Monica Rambeau), Genis-Vell, Marvel Boy e a nova Capitã Marvel (Carol Danvers)
Da esquerda para a direita: Capitão Marvel original, Capitã Marvel (Monica Rambeau), Genis-Vell, Marvel Boy e a nova Capitã Marvel (Carol Danvers)

No entanto as vendas dos quadrinhos de super heróis estavam em queda no início da década de cinquenta e a Fawcett não estava interessada em continuar pagando por despesas jurídicas, com mais procedimentos dessa corte. Dessa forma a editora optou por parar de publicar não apenas o velho Shazam, mas toda sua linha de super heróis.

O nome Capitão Marvel, portanto ficou disponível e como anos depois, durante a década de sessenta, a recém fundada Marvel comics estava em incrível crescimento mercadológico, era de seu interesse possuir todos os nomes de personagens com “Marvel” no meio.

Então como não poderia deixar de ser, eles registraram o nome. Mas a Marvel não publicava realmente nenhuma revista com um personagem chamado assim, entretanto, quando a DC anunciou que iria publicar o antigo personagem da Fawcett, agora uma marca licenciada por eles, a editora do Super-Homem não poderia mais chamar a revista Capitão Marvel, apesar de que nada a impedia de se chamar: Shazam!

Carol Danvers agora como a nova Capitã Marvel
Carol Danvers agora como a nova Capitã Marvel

Essa foi a razão do porque as duas editoras puderam por muito tempo ter personagens chamados Capitão Marvel e isso colocou a Marvel em um peculiar problema. Direitos de publicação duram por décadas e décadas, mas marcas registradas podem ser perdidas se seus donos não fizerem uso delas. O que significava que a Marvel teria que produzir uma revista chamada Capitão Marvel de tempos em tempos se não quisesse que sua marca expirasse e a DC começasse a publicar sua revista Shazam! Agora com esse nome.

untitled-2-1343431064

A Marvel imediatamente começou a publicar as aventuras do seu Capitão Marvel original durante a década de setenta, ele era um soldado e espião alienígena Kree que se voltou contra sua raça ao se encantar pela humanidade.

O escritor cósmico Jim Starlin roteirizou e desenhou a revista a maior parte do tempo, mas ela nunca fez muito bonito em termos de vendas. Mudança de uniforme, a inclusão do ex amigo do Hulk, Rick Jones, como parceiro, morte de personagens e relançamentos não foram suficientes para criar interesse do público pelo título.

Pelo menos não antes de Starlin matar Mar-Vell na icônica graphic novel: A morte do Capitão Marvel, em 1982, quando o personagem finalmente teve toda sua merecida glória. Usando de um drama tão humano, o câncer, como motor para mostrar ao público sua relação com diversos outros heróis da editora e seu legado ao universo.

Sensibilidade pode ser a razão dessa história sobreviver tão bem ao passar do tempo e a chave de porque diversos leitores antigos e novos reconhecem esse personagem até hoje.

2716684-marvelgraphicnovel01_super
A clássica e melhor história que o primeiro Capitão Marvel já teve

Nesses últimos trinta anos o Capitão Marvel vem tendo participações especiais em diversos títulos da editora, muitas vezes como recordação dos outros heróis, afinal a Marvel tem evitado desvalorizar uma história que um número imenso de fãs até hoje cultuam.

O que significava que a Casa das Ideias teria que colocar algum outro personagem no papel de Capitão Marvel daqui para frente ou republicar antigas histórias – o que ela fez por boa parte da década de oitenta – para manter o direito sobre o nome.

Monica Rambeau, uma  tenente da patrulha portuária de sua cidade, foi criada por Roger Stern e John Romita Jr em 1982 e ganhou superpoderes ao ser bombardeada por uma energia extra-dimensional – tem uma forma mais Marvel de ganhar poderes? – e iria deter o título de Capitã Marvel por aproximadamente treze anos. Ela logo se tornou uma respeitável Vingadora, chegando até a liderar a equipe em certo ponto. Mas por alguma razão, a Marvel nunca comprou o barulho e produziu uma série solo da heroína. Monica apenas teve alguns “one-shots” sendo conhecida por esse nome até que o filho de Mar-Vell – envelhecido artificialmente – o jovem Genis-Vell, ser escolhido para estrelar uma minissérie e tempos depois assumir o nome de Capitão Marvel na metade da década de noventa.

O fato de que inúmeros anúncios ao redor do planeta, introduziam Carol Danvers como a primeira personagem a usar o título de Capitã Marvel, só comprova que infelizmente a senhorita Rambeau – que depois viria a se chamar Fóton e Pulsar – nunca teve todo o impacto na indústria que merecia, ou pelo menos não como uma “Marvel” já que na série “Nextwave” de Warren Ellis e Stuart Immonen, ela realmente era a personagem mais impressionante da equipe.

capascapitainmarvel#1

Já no caso de Genis, criado por Ron Marz e Ron Lim, a princípio adotou o nome de “Legado” e tinha um rabo de cavalo e roupas bufantes – como todo mundo parecia ter na década de noventa, mas quando Peter David estreou sua série solo no final dessa mesma década, todo esse mau gosto foi deixado de lado. No fim de sua revista ele enlouqueceu, destruiu o universo, depois reconstruiu tudo e sua mãe criou uma versão feminina dele, que seria conhecida como sua irmã.

O próximo personagem a se chamar Capitã Marvel foi Phyla-Vell, a irmã de Genis que recebeu do próprio o direito de usar o nome pois esse não se sentia mais digno já que tinha se tornado insano pelo descontrole de sua Consciência Cósmica, mas antes que ela pudesse ter sua própria série, seu codinome foi mudado para Quasar, aliás, alcunha que ela logo depois também perdeu. Talvez Phyla seja a mais azarada dos “Marvels” até hoje, ou não…

Phyla-Vell criada por Peter David e Paul Azaceta
Phyla-Vell criada por Peter David e Paul Azaceta

Em 2007, a Marvel precisava de uma nova revista do Capitão Marvel, então eles fizeram dessa vez um pouco de boa e velha safadeza ao velho estilo Stan Lee. Antes do lançamento da saga Invasão Secreta, a editora anunciou o retorno de Mar-Vell, apenas para revelar na edição que ele retornava, que se tratava na verdade de um transmorfo da raça Skrull, que na época acreditava ser o Capitão Marvel original. Ele lutou contra sua própria espécie por cinco edições e logo em seguida passou o bastão para o próximo herói desempregado a disposição para assumir o manto.

O novo Capitão Marvel foi o Kree de um universo alternativo, chamado de Noh-Varr, criado em uma série dos anos 2000 do roteirista Grant Morrison, a princípio como Marvel Boy. No início ele era uma espécie de anarquista, meio punk que odiava a humanidade… A Marvel nunca soube realmente o que fazer com ele. Ele sofreu lavagem cerebral, lutou contra Skrulls e até se tornou um Vingador.

Eventualmente após encontrar o morimbundo Skrull que se passava pelo Capitão Marvel original, ele assumiu esse nome e entrou para equipe de Vingadores Sombrios de Norman Osborn, com sua personalidade completamente diferente de quando foi criado, mas abandonou a equipe ao descobrir que estava rodeado de criminosos ali. Após isso – como todos os anteriores – ele perdeu o título de Capitão Marvel e passou a se chamar de Protector. Ele era na verdade um Capitão Marvel que não tinha revista. Mas a Marvel não precisava de uma revista chamada assim?

CaptainMarvel_1_Cover_1_LargeWide

O que nos leva novamente para Carol Danvers, que agora estrela o primeiro título chamado Capitã Marvel desde 2008. Uma série de problemas que outras versões do Capitão Marvel tiveram, a heroína loira não tem.

Ela não possui a aura de personagem “B” ou “C” que o original Mar-Vell possuía. Problema que só foi superado quando ele morreu. Carol recebe agora um grande apoio editorial que Monica Rambeau nunca teve, além de que durante todos esses anos ela provou ser uma personagem muito mais interessante do que Noh-Varr, o Skrull e Phyla jamais foram.

O único Capitão Marvel que realmente durou um bom tempo, Genis, teve a falta de sorte de estrelar uma ótima revista que possuía uma barreira editorial muito grande. Você tinha que conhecer seu pai e a relação anterior dele com Rick Jones para entender muita coisa, fora uma infinidade de detalhes sobre o império Kree, o conceito da “Consciência Cósmica” e muitas outras coisas criadas na década de setenta.

Carol Danvers é uma personagem com uma bagagem própria bastante rica, mas sua atual escritora trabalha com sua revista de tal forma que a única coisa que você precisa saber sobre seu legado é que antes dela houve um outro herói com esse nome.

Tudo isso pode ser algo difícil de equilibrar, quando se tem que ignorar anos de continuidade sem perder o valor de um personagem e nome estabelecido, mas isso tem sido trabalhado muito bem nessa nova série. O que nos resta esperar agora é que essa seja de fato a Capitã Marvel definitiva que a editora tenha daqui por diante.

Mulher, seja a Capitã Marvel que você se identifica!
Mulher, seja a Capitã Marvel que você se identifica!

O que aconteceria se o Capitão Marvel não tivesse morrido? Aqui!

S_Final

Anúncios

51 comentários sobre “PORQUE A NOVA “CAPITÃ MARVEL” VEIO PARA FICAR

  1. Queria que o capitão marvel original tivesse vivo ate hoje ou genis-vell continuase como capitão marvel. Espero que dessa vez a Carol fique com esse nome por um bom tempo no minimo ums 30 anos. A Marvel gosta de trocar nomes como o dr Hank pym vulgo home formiga ………vulgo gigante…………vulgo golias………..vulgo jaqueta amarela……..vulgo o “vespa”……. vulgo agora deve ser outro nome…… Eu prefiro o
    nome original.

    Curtir

  2. Muito bom o artigo! Eu sou quase totalmente leigo em Capitão/Capitã Marvel, só li a história da morte do Mar-Vell, que como você disse foi o que popularizou o personagem. Essa hq nova junto com Gavião Arqueiro e Demolidor, parecem ser as hqs do momento na Marvel, pelo que ando ouvindo.

    Curtir

  3. O melhor texto sobre a Miss Marvel que li!Parabéns Venerável!Gosto muito da personagem(lembra muito a Super-girl).”De quebra”,você ainda falou sobre as outras que vestiram o uniforme,a(triste) morte do Capitão Marvel e o novo Capitão Marvel,que agora se chama Protetor!Show!

    Curtir

  4. Maravilhoso texto grande amigo, estou muitoooo feliz por teu retorno, pessoas como vc são poucas, que fazem nosso mundo melhor e mantém viva a chama da fantasia, precisamos demais pessoas como vc, e a morte do capitão marvel, vamos respeitar puta história, das poucas que gosta da editora que não se deve pronunciar o nome, grande abraço para vc e para o fuba…

    Curtir

  5. Só uma coisa prá dizer: KIMOTA!!!!!!!!!!!!!!!KIMOTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!KIMOOOOOOOOOOOOOOTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!Só os nerdvéio entederão!!!!!
    E eu acredito que vou ver o Marvelman fazendo pra com a Carol. Não foi a toa que de uns tempos prá cá rolaram uns boatos sobre ele!!!!! Só peço que por favor não me coloquem ele nas mãos do Bendis!!!!!!! DO BENDIS NÃÃÃÃÃÃOOOOOOO!!!!!

    Curtir

  6. Para começar: BEM VINDO DE VOLTA VICTOR! É muito ter você entre nós de novo… e que bom que voltou com um artigo tão maravilhoso e OTIMISTA (numa época em que falar mal de tudo e todos parece estar na moda e/ou é usado por algumas pessoas para parecerem mais inteligentes). Seu artigo impulsiona a leitura, empolga com a perspectiva de uma nova e rejuvenescida Capitã Marvel que tem toda a tradição do nome unida a um novo fôlego capaz de sustentar um título próprio por anos. Fora que contou a história dos bastidores da disputa judicial entre Marvel e DC pelo nome do Capitão Marvel e elucidou vários pontos pertinentes. Devorei cada sílaba!

    Para complementar essas informações para aqueles que querem saber mais sobre o assunto, faço aos leitores a seguinte sugestão de leitura, clicando no link abaixo onde outros detalhes da disputa pelo nome são esclarecidos, dando mais ênfase aos personagens Shazam e Miracleman/Marvelman:

    https://osantuario.com/2012/07/18/marvelman-ou-miracleman/

    E cá entre nós… esse novo uniforme da Capitã Marvel não lembra bastante o do Marvelman, que diga-se de passagem, agora pertence 100% a Marvel Comics?

    Vejo conexões…

    Curtir

    1. Como disse no “feici”, o visual novo da Capitã Marvel é a mistura do visual do Marvelman com o visual da Miraclewoman.

      A primeira vez que vi a nova Capitã Marvel a Miraclewoman foi a primeira coisa que me veio à mente.

      Curtir

  7. Do ponto de vista de personagem interessante e que traga algo de novo, Monica Rambeau é a ganhadora para mim, seguida de Phyla-Vell, mas essa é antes de tudo uma indústria, então sim, admito que a Carol Danvers vai funcionar sim , sob essa alcunha. Bem-vindo de volta,, Venerável!

    Curtir

  8. Não conhecia todos estes personagens que já usaram o nome de Capitão Marvel, acho que a Carol Danvers vai durar bastante certo tempo com este nome e espero que realmente dure, gostei do novo estilo dela!

    Curtir

  9. Adorei… E que bom ler esse nominho ali em cima de novo ❤

    E eu sempre tive a duvida sobre a Capitã Marvel, Capitão… XD

    Curtir

  10. ÊÊÊÊÊÊ Victor voltou *-*

    Sou leigo em Marvel, mas a primeira vez que comprei a revista do Capitão América, a Capitã Marvel era a Monica e eu gostei demais da personagem. Tempos depois lendo a revista Quarteto Fantástico e Capitão Marvel , eu adorava as histórias mas principalmente por causa do tom de comédia entre o relacionamento da Marlo e Rick Jones…
    Quanto a Carol, é uma personagem que eu gosto… Mas prefiro ainda ela com as longas madeixas da Miss Marvel e seu uniforme antigo. Esse cabelo de Neymar é tão terrivel qto o moicano da Tempestade, ela perdeu toda sensualidade… Parece meio uma lésbica masculinizada… bom, eu acho isso…

    Curtir

  11. Essa Capitã Marvel vai emplacar pelos motivos que você falou, mais o fato dela ser a queridinha de diversos editores e roteiristas da Marvel. O valor histórico dela é inegável, mas a Mônica Rambeau é muito mais interessante como personagem. No entanto, a Carol aparece em outras mídias como Miss Marvel e a Rambeau nunca teve essa oportunidade (não falam até que a Carol vai estar em Vingadores 2???)

    Claro que o Genis-Vell foi interessante, mas era o Peter David escrevendo, ora!!! Então não conta tanto, tudo o que ele faz com carinho, e esse personagem ele fazia com muito carinho, emplaca, funciona, dura… Mas vamos combinar que realmente tinha uma bagagem imensa de coisas que a gente tinha que saber para entender o personagem, concordo. Isso brochava mesmo…

    Os seguintes??? Deus me livre … Phyla-Vell era a melhor e que se salvava, mas também foi criada por quem???? 😉 Sua sexualidade e personalidade eram ótimas, mas não teve sorte, quem sabe alguém aproveita ela mais pra frente? seria muito bom.

    O tal do Protector, antigo Capitão Marvel (que nunca convenceu) e também antigo Marvel Boy era muito fraco, gente…Até o Mar-Vell skrull era melhor, a Marvel só investiu alguma coisa nele por ser criação do Morrison, bla, bla, bla… Mas gente, o Morrison também cria merda…

    Salve Carol Danvers, a escritora que trabalha ela manda bem sim e salve Venerável, bem-vindo de volta ao mundo digital/nerd , seus seguidores sentiram sua falta.

    Curtir

  12. O problema é que Carol Danvers é uma personagem extremamente antipática e carente de boas histórias. Tentaram fazer dela uma mulher forte, terminaram com uma bêbada que, além de ter dado pra metade da Marvel, teve um romance e foi estuprada pelo próprio filho, além de ter sido violentada (mentalmente) pelo MODOK. Parece que para alguns roteiristas o estupro torna personagens mais profundos. Como se o elemento sexual traumático os tornasse automaticamente “adultos”, e não há nada mais infantil que pensar isso.
    Além das constantes mudanças de personalidade e poderes. De protótipo de mulher forte à louca que acha normal ser raptada, estuprada, dar a luz a uma reencarnação do homem que a estuprou e ir viver com ele em outra dimensão para ser estuprada novamente. De super heroína “padrão” a ser cósmico que canaliza a energia de um buraco branco. No caso é melhor para um leitor novo não saber o que houve com ela antes dessa série. A personagem nunca teve valor real, nunca teve boas histórias, sempre foi só uma boneca inflável para roteiristas violentarem ou pra cumprir uma cota feminina nos Vingadores e a Marvel fingir que tem uma heroína representativa.

    A Monica Rambeau é uma personagem com mais potencial, em especial pelo amplo leque de poderes que por sua vez criam inúmeras possibilidades para histórias inusitadas, mas, talvez por ser negra e os roteiristas e editores temerem acusações de racismo na época, fizeram dela perfeita demais, engessada, e nunca emplacou. Mas isso não é tão ruim. Não mexeram nela o suficiente para estragarem, e aí está boa parte do potencial dela..

    Uma foi estuprada pela editora. Tentaram de tudo e nada deu certo. E não creio que dará, Carol Danver já deu o que tinha que dar (com trocadilho).
    A outra foi blindada. Tem seu potencial adormecido.
    Se bem que com as vendas minúsculas das editoras americanas isso hoje é irrelevante. A Marvel não tem uma grande personagem feminina representativa e isso dificilmente mudará.

    Mesmo a mais representativa personagem feminina dos quadrinhos, que seria a Mulher Maravilha, é uma farsa. Nunca vendeu bem, ninguém nunca ligou pra ela e por um bom tempo a DC só a publicou para não perder os direitos sobre a personagem. Também já tentaram fazer de tudo com ela e nada deu certo. Ela é um nome, um símbolo famoso, mas ninguém liga para o que é publicado com ela. Só na época do Moulton Marston ela chegou perto de vender bem.

    Curtir

    1. Não gostei muito de ver Carol Danvers transformado na Capitã Marvel, apesar de, se formos analisar bem, ela ter sido empurrada nessa direcção mesmo antes de ganhar poderes.

      Na primeira revista dela, nos anos 70, foi “vendida” a um público maioritariamente composto por adolescentes do sexo masculino como um ícone feminista… que ora mostrava o umbigo ora usava roupa de cabedal de dominatrix. Nem Chris Claremont, que achava que piloto de avião era trabalho feminino, conseguiu impor respeito pela personagem. E como resultado, saiu aquela trapalhada de história publicada em GHM nº 17.

      Devo confessar que não me preocupei muito em perder o rastro de Carol Danvers quando ela saiu de cena após a sua transformação em Binária. Tornei-me grande fã de Monica Rambeau e ainda hoje acho um desperdício ninguém saber o que fazer com ela, excepto colocá-la a reclamar que “quando eu era líder dos Vingadores, isso não era assim, blá blá blá”.

      Também achei idiota deitarem fora o Genis e a Phyla tão rapidamente. Gostei da Carol quando o Kurt Busiek a trouxe de volta (não tenho problemas com o nome Warbird), mas quando outros escritores continuaram a usá-la fora dos Vingadores, parece forçado.

      Curtir

      1. Não querendo ser político, mas realmente concordo com vocês dois. A não ser que acredito que a Carol deva sim ser a nova Capitã. Já que tiraram o posto da Monica. Aliás… O Jonathan Hickman marcou muito errado em não ter colocado a Monica Rambeau nos Vingadores dele ao invés da tal “Capitã Universo” ….

        Curtir

    2. Acho que se esqueceram de uma coisa,Teve uma época em que Carol sumiu das comics e dos avengers por anos,enquanto Monica Rambeau teve tempo o suficiente pra provar seu valor,tanto ela quanto outras vingadoras.Quando Geoge Peres e Busiek trouxeram ela de volta,é óbvio que uma mulher que foi estuprada,perdeu memória e ligação com emoções,fluxo nos poderes,sem qualquer apoio,é óbvio ter caído no alcool,no qual se levantou repentinamente remostrando seu antigo e novo valor mostrando de looonge que é muuuiiito mais interessante que Monica,Carol é mais do que humana e mulher,tem seus problemas que muitas heroínas queridinhas por aí não tem,Carol é uma mulher sofrida,como diz Logan é mais amável que qualquer um. É um grande erro falar que a mídía está apoiando Carol mais que Monica,pois quem manda é o publico,todo mundo sabe não vendeu,cancela.Discutir o potencial ou compara-lá com outras heroínas é ignorancia pois como o amigo disse ela tem grande bagagem de histórias.Acho mais do que merecido o que vem acontecendo com Carol,pois como mesmo disse ela passou muitos mals momentos enquanto Monica teve sua glória chegando e sendo paparicada pelos avengers e ainda liderando,Carol sim conquistou na raça tudo,nunca foi paparicada sempre foi polemica,Monica fala,xinga,etc,Carol simplesmente age..Carol simplesmente absorve e manipula qualquer tipo de energia que Monica pode se transformar,e alguém aí lembra da minisérie Star Blast,quando Carol era Binária,do encontro das duas?Não foi publicado aki.Acho que está faltando histórias com base em seus poderes cósmicos,tem anos que não vemos a heroína voando em sua forma binária e cósmica,pois como sabemos Carol não perdeu seus poderes cósmicos.

      Curtir

      1. E digo mais,quando ela era Binária,Monica esteve tempo o o suficiente pra ficar nos avengers,mas apareceram heroínas secundárias que se destacaram muto mais,usar desculpa racial sim e desculpa sem base pois Monica sempre foi muito respeitada e paparicada nas revistas marvel ja vi toda a serie dos avengers no qual ela sempre tem aparição vitoriosa,Carol não,perdeu poderes e mostrou que mesmo sem eles é uma personagem com base e fibra,Carol sempre teve momentos de dificuldades como todo ser humano tem diariamente,não expõe glória ou SÓ qualidades como tantas aí.Carol Danvers simplesmente é uma heroína com qualidades e defeitos e nãosó qualidades..

        Curtir

  13. CArol Danvers é das poucas personagens que simpatizo na Marvel!!!… Tem um Q de personagem DC comics… creio que pq tem uma personalidade mais cuidada!!! (acho que os fãs da Marvel vão meter a bala em mim…rs )

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s