10 heróis que o Feliciano não representa – as minorias étnicas nos quadrinhos

Arquivos do Cadmus

por Venerável Victor “tratador de macacos de todas as cores” Vaughan

Img-de-CapamilesmoralesNo mundo dos quadrinhos, figuras icônicas como Super-Homem, Homem-Aranha, Batman, Capitão América e seus pares fazem parte de uma indelével marca nos mitos dos super heróis e no gênero da arte sequencial. Entretanto, existem outros personagens, talvez muitas vezes não tão conhecidos, que sem dúvida contribuíram para a importância que damos para esse universo.

Esses super seres – na maioria das vezes à sombra de seus pares de etnias europeias – refletem a diversidade que é a verdade e o dia a dia de nosso mundo. Muitos desses vigilantes uniformizados “de cor” inspiraram gerações de leitores, emergindo do brado retumbante de diversos movimentos civis nos Estados Unidos.

Nossos apaixonantes personagens não descendentes da Europa tiveram – e continuam tendo – um impacto significante no modo como enxergamos as minorias dentro da indústria dos quadrinhos. E já se foram os dias em que personagens negros, latinos e asiáticos apenas eram um conveniente adereço de cenário nas páginas de uma revista de heróis. Suas histórias são as nossas histórias!

Listagens sempre serão um olhar subjetivo a critério do autor, e essa não foge à regra. Muitos outros heróis merecem estar aqui, mas por critério seguem os principais representantes das enormes maiorias que tiveram sua revista própria; menos um, adivinhe qual.

1- RAIO NEGRO

1131950-jla4504

Ele foi o primeiro super herói afro-descendente americano a ser o protagonista de sua própria revista, em 1977. Apesar desse marco importante para a indústria de quadrinhos, nessa época a DC estava anos-luz atrás da concorrente, a Marvel, que nessa altura já possuía inúmeros personagens negros em papéis de destaque na editora.

Apesar de seu visual não fugir muito do esteriótipo de super herói negro da época, o Raio Negro foi criado por Tony Isabella para ser muito mais que isso: o modelo de ser humano ideal. Na sua identidade civil ele é um talentosíssimo professor, um medalhista olímpico e um responsável pai de família. Ele é um homem que dedica sua vida a servir e proteger sua comunidade.

Jefferson Pierce é o tipo de homem que te faz querer ser um ser humano melhor.

2- FALCÃO

falcon7

Honestamente esse cara deveria estar em alta conta nessa listagem. Introduzido na revista do Capitão América em 1969 por Stan Lee e Gene Golan e em seguida assumindo o posto de o mais importante e longevo parceiro do Sentinela da Liberdade, ele foi imaginado para brilhar, sendo o primeiro personagem da Marvel a aparecer ostensivamente em um título importante.

O Falcão sempre foi mostrado como o orgulhoso, forte e profissional super herói americano. Ele por exemplo renunciou a sua vaga de Vingador oficial ao descobrir que tinha sido colocado ali pelo governo para cumprir uma cota social. Posteriormente retornou à equipe e reforçou sua importância na comunidade heróica.

Sem poderes significantes para se fiar, pelo menos no início de sua carreira, hoje em dia suas habilidades foram de alguma forma substancialmente aprimoradas, Samuel Wilson é um herói entre heróis.

3- KATANA

Katana_1

Tatsu Yamashiro foi criada por Mike W. Barr e Jim Aparo para a revista”O Bravo e o Audaz”, em 1983. Uma samurai que carrega a legendária espada chamada: Soultaker, forjada no século quatorze e que muitos acreditam ser capaz de capturar o espírito de suas vítimas em sua lâmina e mantê-los aprisionados em um universo próprio.

Na DC Comics, Katana é uma das mais habilidosas e letais combatentes corpo-a-corpo da Terra, e uma personagem reconhecida por seu alto comprometimento com honra e laços familiares. Durante muito tempo foi o coração e alma do grupo de vigilantes inicialmente criado pelo Batman, chamado Os Renegados.  Após o reboot muita coisa mudou em sua origem, de qualquer forma para o bem ou para o mal, as novas alterações em seu passado e motivações pouco tiraram o brilho de sua personalidade.

Sua escolha entre outras personagens muito mais reconhecíveis e carismáticas como as ninjas: Psylock e Elektra (que representa a mulher mediterrânea) nessa listagem se dá pelo potencial incomensurável que essa guerreira nipônica parece ter e ao contrário de suas colegas, nunca antes foi aproveitado. Mas que recentemente a DC mostra querer investir, ao lhe dar uma revista própria, um lugar na Liga da Justiça e uma participação fixa ao lado de Batman na nova animação do Cavaleiro das Trevas para a TV.

4- SHANG-CHI, O Mestre do Kung Fu

1852283-chi2

Se você não foi uma criança na década de setenta, provavelmente você vai ter dificuldade em entender a popularidade que esse personagem já possui nessa década. Basta dizer que quando Bruce Lee explodiu nos cinemas de todo o mundo com seus filmes, houve uma explosão da cultura do Kung Fu em diversas mídias. Sempre antenada nos modismos de cada época, a Marvel logo tratou de introduzir Shang-Chi como seu mais novo sucesso mediato.

Tendo criadores de peso como Steve Englehart e Jim Starlin que proporcionaram histórias bem construídas e um visual sensacional não é de se estranhar que tenha se tornado um dos títulos mais rentáveis da editora em 1973. Sem poderes, sem uniforme de herói e sem identidade secreta esse personagem manteve sua revista por exatos dez anos dentro da indústria, apenas pela força de seus roteiros e arte.

Existiam outros artistas marciais dentro do universo de heróis da editora, como o Punho de Ferro, o Tigre Branco e as Filhas do Dragão, mas a Marvel apostou nesse personagem asiático, claro que aproveitando a imagem do grande artista marcial e estrela do cinema ao qual foi inspirado através de intensa disciplina e dedicação ao seu treinamento, Shang-Chi é capaz de derrotar com as mãos nuas inimigos imensamente mais poderosos que ele. Em uma era de heróis que podem mover planetas, ele é sem dúvida um sopro de ar fresco mesmo quarenta anos após sua criação.

5- ICON

icon6

Estreando no mercado de quadrinhos no ano de 1993, a editora Milestone abriu caminho para todo um novo universo de possibilidades dentro da indústria. Criada por um grupo de roteiristas e artistas negros, a Milestone nasceu com o objetivo de acabar com o abismo que existia entre a quantidade de heróis brancos e os demais de outras etnias.

Inicialmente lançaram quatro revistas de grande sucesso nessa década: Icon, Hardware, Blood Syndicate e Static (Super Choque aqui no Brasil) e o resultado foi histórico, nunca antes houveram tantas heróis representando minorias em um mundo totalmente novo onde latinos, negros e orientais não mais estavam ali para cumprir cotas. As histórias eram fortes e inovadoras, com personagens que representavam pela primeira vez todas as etnias e culturas que consumiam quadrinhos de super heróis.

Ao passo que os alienígenas da DC tendem a ser brancos, basta ver a maioria esmagadora dos integrantes da Legião dos Super Heróis, Icon é um alienígena negro e um escravo que lutou na Guerra Civil Americana. Se por um lado infelizmente o selo Milestone foi cancelado, por outro, seus personagens foram incorporados no atual universo DC e fica aqui o desejo que no futuro eles ganhem alguma oportunidade de brilhar novamente.

6- TEMPESTADE

2003827-x_men_month_storm_colored_by_ratkins_d49lqai

Ororo Monroe é a única mulher negra dessa lista (existem muitas outras interessantes, lógico), porém é uma personagem de peso que está em pé de igualdade em importância com qualquer outro personagem masculino aqui. Desde que estreou nas páginas da revista dos X-men em 1975, os mutantes e a Marvel Comics nunca mais foram os mesmos.

Criada pelos grandes Len Wein e Dave Cockrum, ela foi idealizada para a nova equipe multicultural de mutantes do Professor Xavier, na editora que sempre esteve a frente das discussões sobre os problemas sociais. Tempestade por sua parte se tornou uma das X-men mais importantes e vitais, uma mulher forte, de atitudes nobres e ar de nobreza (ela é descendente da realeza do Kenia por parte de sua mãe) e tida como uma deusa na comunidade africana onde cresceu. Uma verdadeira super heroína em todos os sentidos, pois não bastando ser negra e mulher ela nasceu mutante, em um mundo que os teme e odeiam.

Mas ela escolheu enfrentar todas as formas de racismo e preconceito e lutar pelo bem maior da humanidade, mostrando constantemente sua força e caráter como mais uma grande líder dos X-men. Tempestade é uma das personagens femininas mais importantes dos quadrinhos de heróis de todos os tempos. E pra quem gosta da cor, ela é uma inspiração!

7- LANTERNA VERDE – John Stewart

tumblr_m4wwohZR5M1qfxwtoo1_1280

Os Lanternas Verdes representam a força intergalática mantenedora da paz no Universo DC, possuidores de anéis que utilizam da força de vontade presente em todos os seres vivos no cosmo para energizarem seus imensos poderes.

O conceito é apaixonante, para ser um Lanterna Verde o indivíduo deve ser capaz de superar seus maiores medos. E com John Stewart, um ex-fusileiro naval e arquiteto, criado por Dennis O’Neill e Neal Adams em 1972, a DC atingiu um novo patamar na indústria de heróis, ao introduzir um personagem negro, de personalidade forte e capaz de enfrentar seus superiores e desafiar qualquer regra imposta para fazer o que é certo, sempre movido por motivos nobres.

Ele já foi um membro chave da Liga da Justiça e atualmente é um dos personagens mais importantes da franquia dos Lanternas Verdes. Outra coisa que o distingue é o fato raro de se ver um personagem negro – pelo menos dentro da DC e da Marvel – estar entre os heróis mais poderosos dessas editoras. John Stewart também é um dos heróis mais humanos já criados por qualquer empresa. Ele já cometeu diversos erros – alguns que custaram inúmeras vidas, por sinal; já duvidou várias vezes de suas capacidades chegando à beira de uma depressão – e superou tudo isso. Stewart é um homem que acredita em honra e responsabilidade e seu maior mérito é que nunca precisou de um “Tio Ben” para aprender isso.

8- SPAWN – Al Simons

3106259-0648851516-spawn

esse personagem é o anti herói definitivo. Ele é um emissário do Inferno que tem como dever liderar as forças desse reino contra as do Paraíso. Não dá pra ser mais conflituoso que isso. Temperamental e extremamente perigoso, Spawn estreou nos quadrinhos em 1992 como o carro-chefe da nova editora – na época – a então revolucionária e extravagante Image Comics.

Criado, escrito e desenhado por Todd McFarlane, Spawn foi algo que ninguém tinha visto até então. E apesar do tema chave de sua revista ser a guerra entre demônios e anjos, um foco que McFarlane (um notório ateísta) usa como efeito dramático para o título repleto de demônios renegados, anjos mercenários e outras pragas, a única coisa que Spawn quer é estar com sua mulher outra vez.

Particularmente Al Simons odeia o ser que se tornou, e ver sua esposa agora casada com seu ex melhor amigo não ajuda muito. Fora que sua existência é um eterno conflito de vida e morte, preso a um pacto demoníaco que há muito se arrepende, Spawn é um caldeirão de emoções conflitantes tão surpreendentes como o visual de sua revista – principalmente quando é desenhada por seu criador.

O mais interessante disso tudo é que apesar de ser um protagonista negro, de uma revista repleta de personagens de apoio representando outras diversas minorias nos quadrinhos de heróis, sua herança étnica nunca foi usada para defender qualquer causa, ele é apenas mais um cara comum, preso em um mundo fantástico que sofre por suas escolhas e decisões questionáveis, mas que luta para fazer a diferença com os poderes que lhe foram investidos.

9- LUKE CAGE

Avengers_Origins_Luke_Cage_Vol_1_1_Textless

Esse é um dos heróis mais amados da indústria. Um vigilante colorido que estreou em sua própria revista e que na época fazia ainda mais diferença, justamente por seu nível de poder: praticamente invulnerável e com super força, em um universo de heróis negros com habilidades menos surpreendentes. Luke Cage, o herói de aluguel, era quase que o Super-Homem do gueto.

Criado por Archie Goodwin e John Romita (o pai), ele estreou na Marvel em 1972 provavelmente influenciado por diversos filmes da década de setenta com temática negra, Cage muito mais que seus outros colegas de etnia, não fugiu dos esteriótipos que permeavam a construção de suas personalidades: seu visual, atitudes e dialeto próprio provam isso. Felizmente isso foi deixado para trás na última década.

Entretanto o que faz dele tão querido pelos fãs é sua personalidade, Luke é um homem da vida real, um cara que você espera encontrar andando pelas ruas ou até já conheceu em algum momento.

Ele paga suas contas usando a única fonte de renda que tem à disposição: seus poderes (quer cenário mais real que isso?) e essa é uma das razões para a longevidade desse herói nos quadrinhos, entre diversos outros personagens negros e brancos criados nas décadas de setenta, oitenta e noventa e que já caíram no esquecimento.

10- PANTERA NEGRA

black-panther

O que pode ser mais fantástico para um personagem do que ser um super herói e monarca de sua própria nação? E não de qualquer paizinho do Terceiro Mundo, a nação de Wakanda está entre umas das mais ricas e avançadas tecnologicente do mundo. Da mesma forma, seu rei está entre um dos homens mais honrados, bravos, habilidosos e inteligentes do planeta. T’Challa é um grande defensor de seu reino além de um dos maiores e mais importantes heróis do planeta. O que mais você esperava de uma criação de Jack Kirby e Stan Lee? Criado inicialmente para a revista Quarteto Fantástico.

O Pantera Negra foi o primeiro grande super herói a estrear nos quadrinhos do gênero, em 1966, estando portanto anos à frente do Falcão, Raio Negro e John Stewart em termos de inovação. E dando crédito ao de Kirby e Lee, ele também é o único herói afro descendente que ostenta “Negro” no nome, em um universo repleto de “Raios Negros”, “Golias Negros” e “Corredores Negros”, que realmente faz sentido ter a palavra atrelada ao seu título.

De fato, sua criação em si já é um grito das minorias: eclodiam nos Estados Unidos, à época, conflitos raciais históricos e contestações da presença maciça de negros entre os soldados enviados para morrer no Vietnã. Neste cenário conturbado, o Movimento dos Panteras Negras (militância armada contra o racismo), ostentava seus punhos cerrados contra as desigualdades, e certamente o surgimento de T`Challa não foi por acaso.

Outra coisa que torna esse Vingador tão especial são suas histórias ao longo do tempo, que sempre foram exemplos de ótimas aventuras e, assim como no caso do Demolidor, sempre coerentes com sua gênese e cronologia. Fato raro de acontecer nessas editoras. T’Challa é um dos mais importantes super heróis de todos os tempos

E você devoto? Qual outro herói não de descendência européia te representa?

Img-de-Capaminorias

S_Final

 

MERCENARY CRUSADE – episódio novo, aqui!

SUPER HERO CON – Site oficial

super-hero-con

Anúncios

55 comentários sobre “10 heróis que o Feliciano não representa – as minorias étnicas nos quadrinhos

  1. Tchalla, o Pantera Negra, surgiu ANTES do movimento Black Panthers nos EUA. Quando o movimento atingiu seu auge, Stan Lee e Jack Kirby até mudaram temporariamente o nome do personagem para Leopardo Negro por não concordarem com a direção violenta do movimento.

    Curtir

  2. O herói negro que me faz ter orgulho de ser afro descendente chama-se HAL HARPER!
    Mas na falta dele, John Stewart e Falcão também são manos da hora. O Sam Wilson, aliás, teve um passado obscuro também, de traficante.

    Curtir

  3. Muito legal a lista VVV! O que mais marcou pra mim foi o John Stewart, por causa do grande desenho da Liga. Eu (como muitos até hoje) o considerava o principal/único lanterna verde terráqueo, até começar a ler quadrinhos. E outra coisa que queria falar: que bela arte essa da capa de Katana #1 ein!!

    Curtir

  4. Eu acho que a lista ficou muito boa! Parabéns! E não tem como, pra mim o melhor sempre será o Spawn! Sou fã desde q assisti ao filme, e depois foi um pequeno passo para os quadrinhos. Kk Considero a Tempestade uma das mais belas heroínas dos quadrinhos, claro dependendo do talento do desenhista, já vi muitas Mulheres Maravilhas mais musculosas q o Conan! kkk

    Curtir

  5. Muito bom o artigo. Entretanto, uma coisa que tenho que comentar, o John Stewart jamais foi um personagem importante perante os fãs (ou mesmo no Universo DC) ANTES de suas aparições no desenho Liga da Justiça (mesma coisa, ao menos no Brasil, com os X-Men, que também não eram lá esses sucessos antes do desenho ser veiculado aqui, honrosa exceção para o Wolverine)(Fã “true” dos X-Men, pra mim, era o cara que chegava na banca e dizia: “Me dá uma Xis-Men aí”). Eu faria uma menção honrosa ao estúdio Filmation, que foi pioneiro em criar heróis negros em animações (Blackstar, Astrea dos Space Sentinels, Superstretch and Microwoman)

    Curtir

  6. O novo Nick Fury e o (argh) Aranha Ultimate tambem fazem falta.

    Agora, não acho válido o Spawn nesta lista, porque realmente a herança étnica dele, seja qual fosse, nunca se tornou acessório para a trama da história, e que dirá algo relevante.

    De resto, a lembrança da Milestone foi sensacional. 😀

    Curtir

  7. Uau… O Golias Negro era meu herói preferido, um afro descendente que ficava gigante!!! Ai ai ai, mas o Mark Millar fez o favor de matar em Guerra Civir… Colocaria a Capitã Marvel antiga na lista, a Mônica Rambeau, para mim ela é icônica. 🙂

    Curtir

  8. Como demorou prá postar, leva minha resposta daqui de casa, agora aguenta…….
    Ratificando, o John Stewart estreou em Dezembro de 1971 e não em 72, beleza?
    Faltaram alguns personagens sim (como a Cecilia Reyes, Monica Rambeau, Falcão Negro (do Poder Supremo), Jim Rhodes, Vendaval da Patrulha do Destino, Cyborg, Aço, Blade, Bishop e sua irmã Lasca, Micro Woman e Super Strech e Super Samurai do Super 7, Michonne, Sr. Incrível II, Rapaz invisível da Legião dos Super heróis, Judoka, Solaris, Ninjak, dá prá montar mais umas três matérias!!!), mas estes aqui representam e muito bem!!!! Dos listados aqui escolho a tempestade, por representar muito bem o gene X que sempre foi minha grande queda nos quadrinhos!!!

    Curtir

  9. Bom, não tenho muito o que falar do Texto. Apenas uma curiosidade.
    O Sr. Nicolas Coppola, quando quis seguir carreira de ator, para se desvencilhar da carreira do tio diretor e não ser tratado com privilégios, escolheu o sobrenome Cage, por ser fã do Luke Cage.
    Atualmente acho ele um dos personagens mais interessantes da Marvel, após a reformulação pelo Bendis. Só sinto por achar que nunca vão fazer um filme dos “Heroes for Hire”.

    Curtir

  10. A Bianca citou a ausência dos heróis indígenas. Tropa Alfa e X-Men tem grandes representantes neste grupo.
    Outros heróis, também mutantes, representam os aborígenes australianos: Manifold (Guerreiros Secretos e atuais Vingadores) e seu pai, o baixinho Teleporter.

    Mas gostaria de ressaltar outras minorias que não necessariamente estão incluídas no quesito “etnia” e/ou “cor”.

    Com o reboot, a DC deixou de apresentar duas mulheres que representavam minorias ou grupos que sofrem discriminação e/ou descaso da sociedade/autoridades:

    Batgirl – gostava mais quando ela era Oráculo, a heroína cadeirante que tinha um papel importantíssimo. Agora voltou a ser apenas a versão feminina e jovem do Batman. Uma pena.

    Amanda Waller – a “Nicky Fury de saias” ou “Maria Hill” da DC. Durona, maquiavélica. Mas, além de ser mulher, negra, Amanda era gorda. Ou seja, nada do estereótipo de “mulher gostosa”. Isso no passado, porque agora ela também entrou para a lista de “mulheres gostosas”. Uma pena…

    E eu não poderia deixar passar a oportunidade de falar da nova graphic novel “Metaphase”, que introduz um super-herói com síndrome de down (mesmo que fora das grandes editoras).

    Quantos aos heróis citados por você, espero ansiosa para ver na telona dois filmes Marvel: Heróis de Aluguel (amo a amizade da dupla Rand e Cage) e Pantera Negra.

    Bela matéria, Victor…

    Curtir

  11. Ótima lista, com muitos personagens marcantes(sendo desses, o Pantera Negra meu preferido).
    Mas é importante notar também, que boa parte destes personagens foram criadas para preencher essas “cotas sociais”, e acabam sem muita expressividade.
    Portanto, acho correto dizer que é “motivo de celebração”, um desses dar certo.
    Abraços.

    Curtir

  12. Não entendo essa perseguição ao Feliciano sendo que ele nem pode votar nenhuma lei e nem criar, ele só preside. Quem inventou a cura gay não foi ele, ele é presidente da comissão, ele apenas preside, não vota e nem cria. E esse lance de cura gay não existe, essa lei a que se referem como “cura gay” apenas ede a anulação de uma lei passada que diz que psicologos nã podem tratar homosexuais nem com a permição destes, a anulação dessa lei permitiria que gays confusos com sua sexualidade procurassem ajuda para se orientar e decidir se são realmente gay ou é só uma fase. Mas não defendo Feliciano, ele realmente exagera as vezes. Mas é, acho que já deveriam ter existidos heróis de outrs etnias nos quadrinhos a muito tempo e é bm realmente ver isso acontecendo. O Homem Aranha do Miles Morales está melhor que o do universo 616.

    Curtir

  13. Legal lembrar das minorias, e principalmente em como as editoras criaram heróis das minorias com um importância social dentro dos universos. Bem interessante. Li poucos, mas gosto da forma como eles são retratados. Uma coisa que esse texto me lembrou, o Dennys Cowan disse certa vez que não gostava do Luke Cage, porque ele, mesmo sendo super poderoso, ainda vivia em um gueto, ele precisava cobrar pelos seus serviços pra poder sobreviver.
    Sempre gostei do John Stewart. Um ótimo Lanterna.
    E outra coisa, não sei como andam as coisas depois de tantas Crises, mas o Raio Negro era irmão do Lucius Fox, ao menos quando da primeira formação do “Batman e os Renegados”

    Curtir

    1. Ah, só uma coisa: faltou o “mais minoria” de todas as minorias: O “Vingador dos Sem Teto”, que aparece em “A Morte do Vigilante”, em um dos DC Especial da Abril. hahahaha

      Curtir

  14. Muito bom mesmo o post! Acho que o Feliciano iria adorar ler e comentar aqui com a gente =P
    Minha deusa, Ororo Monroe *-*
    Parabéns mais uma vez V3! Sempre mandando matérias incontestavelmente ótimas =D

    Curtir

  15. Super curti a listagem!!! Eu colocaria os representantes das nações indígenas da DC e Marvel, Victinho! Hummmm…. Apache, Miragem, as duas índias da equipe “Os Outros” do Aquaman (qual o nome?), o Shaman da Tropa Alfa e sua filha, a Talismã (amava) !!! El Dourado e Chefe apache estão ali em cima, eu vi! 🙂 AHHHHH e o Corvo Manitu e a Aurora (da Liga do Joe Kelly)!!!!

    Curtir

  16. Eu escolho a deusa elementar Ororo Monroe vulgo tempestade, pois além dela ser uma personagem que na minha opinião mais representa a classe afro-feminista americana, seu gene mutante é sem duvida uma verdadeira benção entre as demais sacerdotisas africana. Me veio até em mente agora a imagem dessa divindade usando seus magníficos poderes “EU convoco o poder total da tempestade” hehehehe (X-men A série animada) Criado em 1992.

    Curtir

  17. O que vc tem contra a descendencia européia???? Isso é bullying!!!! Mas gostei muito da matéria, me lembrar do velho e bom mestre do kung fu, agora a editora que não deve ser pronunciada o nome sempre foi a frente desta relação, uma das unicas coisas que acertaram, mas sempre respeitei e admirei muito a cultura indigena e sinto falta disso, mas o meu personagem favorito sem ser europeu é o Hellboy…

    Curtir

  18. Belo post VVV. O falecido Dwayne McDuffie ficaria orgulhoso.

    Não vou escolher nenhum personagem. Já me sinto muito bem representado… POR MIM MESMO. Hehehehehe!!!

    (Se bem que, cearense não pode ser considerado minoria. Eles estão por toda parte.)

    Curtir

  19. EDITORIAL SANTUÁRIO:

    Segunda – Conta Outra!

    Terça – Novíssimos X-men!

    Quarta – Aquaman!

    Quinta – Os dez personagens que representam minorias étnicas na DC e Marvel!

    Sexta – Batman!

    Sábado – Umas Tiras da Pesada!

    Domingo – O Inescrito!
    o

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s