Liga da Justiça # 0 – A NOVA história de SHAZAM!

0009_primeira-impressao

picasion.com_6fb6f84bca36d6e9fc8913b3bf47a02fContinuando a série de resenhas do título da Liga da Justiça, este número produzido por Geoff Johns (roteiro), Gary Frank e Ethan Van Silver (arte).

Por Rodrigo Garrit

Contém spoilers revelações de natureza mágica sobre a história.

liga 0

Capitaneando Raios e Trovões!

A busca pelo mago ancião por um campeão à altura ao redor do mundo chega até o jovem Billy Batson, que é testado e reprovado como tantos outros antes dele. Mas Billy tem uma presença de espírito que nenhum outro teve antes, e confronta o mago, afirmando que é impossível encontrar uma pessoa totalmente boa que preencha as suas expectativas. Ele explica que esse ideal de perfeição não faz parte da humanidade, logo seria impossível alcançar tal objetivo. Obcecado por não cometer o mesmo erro do passado ao conceder poder ao Adão Negro, o mago conclui que vem empreendendo uma busca vazia por algo que nunca poderá será encontrado, chegando a conclusão de que Billy está certo.. e decide dar uma chance ao rapaz, entregando seus poderes (e sua maldição) imediatamente para ele, tornando-o o herdeiro de sua missão sagrada e o novo campeão da magia na Terra: SHAZAM!

Com seus últimos resquícios de poder, o mago vai ao encontro da misteriosa Pandora, revelando que ela fora condenada injustamente no passado. A história deixa no ar a ligação pregressa entre ela e os dois outros “condenados” por um antigo concílio de magos, do qual Shazam era o último representante, tendo agora passado essa posição para Billy Batson.

1

A magia está de volta ao lugar certo, com seu nome mágico sendo pronunciado, trepidando e faiscando suas luzes em um mundo cada vez mais cético e desprovido de fantasia. A nova versão de Shazam de Gary Frank e Geoff Johns tenta nos mostrar mais dessa realidade dura, com diálogos e situações bem menos pueris do que as mostradas nas clássicas aventuras do Capitão Marvel e sua família na Era de Ouro dos quadrinhos. Mas a família ainda está presente. Imperfeita, disfuncional… crível. Ainda é a história do garoto órfão que recebeu os dons dos deuses de um mago ancestral, porém atualizada para um público cada vez menos paciente com amenidades e ávido por combates e explosões… não que a história seja apenas isso.

4

O ponto mais fraco da edição foi a história curta de Pandora, apesar dos ótimos desenhos de Ethan Van Silver. Como em todas as suas outras aparições, ela não responde nenhuma questão. Apenas serve como premissa para algo maior idealizado por Johns…

Mas em Shazam, Geoff Johns faz um trabalho primoroso de construção de personagens e aos poucos nos conta um pouco mais sobre cada membro da nova família adotiva de Billy, fazendo-nos pensar onde cada um vai se encaixar quando os trovões começarem a soar.

O trabalho de Gary Frank dispensa comentários, é impecável. Se Johns tem uma preocupação milimétrica ao dar profundidade aos personagens, Frank se iguala a ele com seu traço detalhista e limpo, fabricando rostos com expressões intensas e alguns painéis e cenas de lutas espetaculares.

Sem título

A história de Shazam, reformulada para os Novos 52 vem sendo contada em aventuras curtas desde Liga da Justiça # 07, (no título original americano) mas para este número zero, a edição foi quase que totalmente ocupada pelo campeão de Shazam, sendo que a personagem Pandora foi protagonista da história secundária. Uma decisão lógica, já que a Liga da Justiça já teve seu número zero, por assim dizer, na primeira edição da revista, que mostrava justamente os eventos que levaram a equipe a ser constituída. Aqui no Brasil, as primeiras histórias de Shazam foram todas reunidas pela Panini nessa edição # 0, numa inteligente e prática decisão da editora, para alegria dos fãs do personagem anteriormente conhecido como Capitão Marvel, que estavam preocupados com a publicação dele no país. Mas como resultado disso, a versão brasileira da revista Liga da Justiça publica uma coletânea das histórias curtas do personagem, diferente da Justice League # 0, onde leitores puderam acompanhar já a sequencia dessas aventuras, com mais páginas do Mortal mais Poderoso da Terra na revista. A edição brasileira também traz a edição zero do título do Capitão Átomo, a última antes do cancelamento.

Nesta matéria, resenhamos a história de Shazam publicada em Justice League # 0 nos EUA, e que certamente será publicada em breve no Brasil. Essas primeiras HQs curtas, já foram todas resenhadas aqui no Santuário, e é possível ler ou reler as mesmas clicando nos links abaixo!

P00016

S_Final

Clique AQUI e curta nossa página no Facebook! É gratuito e sempre será! 

Clique nas capas abaixo e leia também as resenhas anteriores!

liga 1 2 3
Liga da Justiça # 01, 02 e 03
liga 4
Liga da Justiça # 04
liga 5
Liga da Justiça # 05
liga 6
Liga da Justiça # 06
liga 7
Liga da Justiça # 07
liga 8
Liga da Justiça # 08

liga 9

Liga da Justiça # 09
lja-10
Liga da Justiça # 10
liga 11
Liga da Justiça # 11
justiceleague_12_thegroup_004
Liga da Justiça # 12

EDITORIAL SANTUÁRIO:

Segunda – Guardiões da Galáxia #4

Terça – Fabulosos X-men #13

Quarta – O Questão!

Quinta – Os animais de estimação heróis!

Sexta – Liga da Justiça # 0!

Sábado – Umas Tiras da Pesada!

Domingo – Superman: O Homem de Aço – Resenha do filme!

TARDIS

Eddie-Murphy

Anúncios

23 comentários sobre “Liga da Justiça # 0 – A NOVA história de SHAZAM!

  1. É uma pena que a carreira de Freedy Freeman como Capitão Marvel não tenha durado muito. Gostei muito dos Desafios de Shazam. A arte e o roteiro são ótimos. E curti a reformulada do Tigre “Dentes de Sabre” Tony.
    Mas como isso agora é passado, o jeito é acompanhar o Shazam da nova geração. Sendo fã do personagem desde o desenho e a série de TV (Filmation rulez!) vou curtí-lo em todas as encarnações. Só falta saber se teremos novamente a Black Mary Marvel.

    Curtir

    1. Valeu Sr. Stark, ainda gosto muito do trabalho do Jerry Ordway com o Capitão Marvel, que recontou sua origem preservando praticamente todos os elementos clássicos… Johns e Frank foram mais ousados, mas acho que acertaram a mão também. Abs!

      Curtir

  2. Eu sou suspeito prá falar sobre o mortal mais poderoso da Terra (quando muleke pirei no seriado dele e dapoderosa Isis, além de adorar o desenho também com o tio Marvel e o Tony. Ahhhhhh até o aTony no traço do Van Sciver ficou demais!!!!!!!). Confesso que dei muita risada na era Giffen. Não acompanhei ele na revista solo e preciso dizer que na época da Sociedade gostava mais do Teth Adam. Enquanto o Bendis afunda a Marvel, o Johns dá umas rateadas mas em outros momentos está inspirado como em Shazam! Ele reinventou a história toda. Não tá esquecendo de ninguém (mesmo com o Adão Negro como vilão nem tudo é perfeito) e com o traço do Frank e do Sciver….o que dizer mais?????? Chuuuuuuuupaaaaaaaaaa Marvel!!!!!!!!

    Curtir

    1. Transformar o Adão Negro em um “herói” na SJA foi uma grande sacada do Johns na época, e o personagem quase convenceu de havia passado para o lado dos anjos, mas sempre foi uma panela de pressão prestes a estourar… e deu no que deu…

      Curtir

  3. Gostei muito da aventura,aquele lance de não ter ninguém perfeito ou puro, como quiser me conquistou.É um roteiro de cinema praticamente.Eu assistia Shazam quando era criança lá nos anos 80.Sou suspeito para falar.Nota 10.

    Curtir

  4. ótima resenha meu amigo!! Eu adorei essa HQ, tanto o roteiro e quanto as ilustrações, pra te fala verdade esse novo visual do Shazam, pra mim está fantástico da pra ver bem também no jogo (Injustice: Gods Among Us) Aguardo por mais ansiosamente!!

    Curtir

  5. Um dos meus personagens favoritos. Faça chuva ou faça sol. Coisa de criança. Gostei muito do novo visual embora não curta chama-lo de Shazam! Excelente texto, Rodrigo!

    Curtir

    1. Também tenho ele como um dos meus personagens favoritos de infância, empatamos! Ainda estou me acostumando ao nome Shazam, apesar de que Capitão Marvel nunca me fez muito sentido…
      Abs!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s