Laerte e seu Overman: O criador, a criatura e o mito!

Por Rodrigo Garrit

ovrEu me lembro de ter caído na gargalhada na primeira vez que li a tirinha do Overman, no jornal “O Dia” (já que sou do Rio de Janeiro), mas originalmente eram publicadas no jornal Folha de São Paulo, e foram mais de 400 tiras lançadas….

ov9

Passei a acompanhar religiosamente, chegava a recortar o jornal e montar meu próprio painel com a “aventuras” do herói.

Eu sempre fui fã do Laerte, o pai dessa criança. Mas, como não ser? O cara é genial numa das coisas mais difíceis que existem: contar uma história em três ou quatro quadros. Laerte Coutinho é um nome consagrado dos quadrinhos brasileiros, sobre quem muito pouco é necessário dizer, pois é muito conhecido do público leitor. No fim da década de 80 publicou tiras e histórias em quadrinhos nas revistas Chiclete com Banana (editada por Angeli), Geraldão (editada por Glauco) e Circo, todas da Editora Circo, que mais tarde lançaria sua própria revista (Piratas do Tietê). Em 1985 lançou seu primeiro livro, “O Tamanho da Coisa”, uma coletânea de suas charges.

Em 2009, Laerte foi convidado para participar do álbum MSP 50 em homenagem aos 50 anos de carreira de Mauricio de Sousa, e criou uma história protagonizada por Franjinha e seu cachorro Bidu. Ele também atuou como roteirista, tendo colaborado em diversos programas da Globo. Escreveu scripts para os programas humorísticos TV Pirata e para as primeiras temporadas de Sai de Baixo. Ainda na área de humor escreveu para o quadro Vida ao Vivo que ia ao ar durante o Fantástico, em 1997, e também contribuiu com os roteiros do programa infantil TV Colosso.

O Overman de Laerte é um super herói brasileiro, apesar do nome em inglês, e é justamente nisso que mora grande parte da graça: ele é uma paródia escrachada de todo o arquétipo heroico das americanas Marvel e DC.  Ele usa uniforme colante, capa, máscara, é super forte e pode voar. E sua vida é uma sucessão de tragédias cômicas que fazem a alegria dos leitores.

A identidade do Overman é um segredo secretíssimo, tanto que nem ele mesmo sabe quem é…

Overman tem um ajudante chamado “Ésquilo” (assim mesmo, com acento), e eles dividem uma vaga de pensão no Ipiranga. É ele quem faz o remendo nos fundilhos do uniforme do herói. Overman passa os dias combatendo o crime (à sua maneira) e vivendo as desventuras de ser essa criatura incrivelmente rodeada de nonsense, mas sem nunca deixar de acreditar que é o maior dos maiores. (Embora tenha algumas crises de auto-estima, mas nada que seu terapeuta não resolva).

Como todo bom herói, Overman tem sua própria galeria de vilões, e entre eles destacam-se, o Maníaco Flatulento, o Passador de Trote, a Louva-Deusa, Grande Rabo e Super Vítima, além de ninguém mais ninguém menos que Space Ghost, embora não seja exatamente um vilão, mas Overman insiste em dizer que teve o design de seu uniforme roubado por este personagem da Hanna-Barbera.

Nas tiras do personagem, vemos que ele é imune ao sexo, exceto nas sextas-feiras, quando o herói sai a noite para aliviar as tensões. E não poupa ninguém! É um perigo!

Em 2003, foi lançado “Overman – o Álbum, o Mito”, pela editora Devir, (48 páginas coloridas), depois de dez anos sem histórias longas inéditas de Laerte.  O álbum reúne as primeiras tiras de Overman, apresentas numa seleção de 150 tiras, agrupadas segundo temas específicos, enfocando o local de moradia do herói, seus inimigos, seus vícios, suas dificuldades pessoais, sua vaidade, entre outros. Muitíssimo divertido, como não poderia deixar de ser… essencial para qualquer fã de bons quadrinhos!

Também chegaram a ser produzidas numa parceria entre a Ancine e o Cartoon Network algumas vinhetas com o personagem que foram exibidas no Adult Swim, e hoje podem ser facilmente encontradas no Youtube.

Saiba mais sobre Overman e os outros personagens do autor no site oficial dele:

http://www.laerte.com.br/

Clique AQUI para curtir nossa página no Facebook! É gratuito e sempre será! ;)

Anúncios

14 comentários sobre “Laerte e seu Overman: O criador, a criatura e o mito!

  1. Eu diria mais, o Santuário merecia ter o Laerte representado aqui!!! rsrsrs 🙂 Um site feito por escritores e desenhistas para desenhistas e escritores não poderia deixar esse cara de fora, diria até que uma vez por mês um quadrinista deveria dar as caras, essa semana foram 2 !!! Adorei a matéria Rodrigo!

    Aqui vai uma dessas animações que você falou, todas são fantásticas!!!

    Curtir

  2. Laerte é maravilhoso, pouco tempo atrás houve um evento aqui no Rio de Janeiro, no Conjunto Cultural da Caixa, em que um famoso cartunista latino faria exposição de seus trabalhos por uma semana e o Laerte iria apenas aparecer em um dado momento para participar de um debate, desses vários dias de atividades, imaginem qual o dia que escolhi para ir lá prestigiar o evento??? 😉

    Curtir

  3. Laerte é fodástico! Eu alucinava pq meu pai recebia o Estadão e vinham as tiras dele. Recortei muitas e guardei numa pasta, que perdi, mas as melhores continuam na minha cabeça (algumas nunca mais achei).

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s