SEXTA MALDITA! ELA está de volta… Com 13 indivíduos que você não convidaria para sua ceia de natal…

Meephisto-2

Desde os seus primórdios, o Santuário decidiu experimentar o outro lado da moeda, e de tempos em tempos, sempre numa sexta feira sombria,  resolveu se colocar na pele dos vilões, a fim de tentar entender suas motivações e anseios. Não é uma forma de defender a maldade, mas sim procurar compreender suas razões, se é que há algo a ser compreendido. Vários de nossos colaboradores elegem um personagem feito de pura maldade e dão voz a ele, oferecem uma chance para que o seu lado da história seja ouvido. Uma questão de justiça. Mas será que uma viagem dessas, ao interior da maldade, pode ser um trajeto só de ida? O quanto dessas trevas retornam conosco após nos afundarmos em suas entranhas? Há tempos, acreditamos ter ficado livres dela. Realmente achamos que estávamos à salvo de sua influencia e de sua maledicência  Mas ela estava apenas escondida, à espreita, aguardando o momento certo de voltar e nos pegar quando estivéssemos mais desprevenidos. E hoje, em plena SEXTA FEIRA 13, enquanto as mentes mais pueris estão voltadas para as festas de fim de ano, eis que ela retorna com força total! E é por isso que com (nem tanto) orgulho, o Santuário trás até vocês o regresso da SEXTA MALDITA!

Podem correr. Podem se esconder. Mas não podem escapar. 

S_Final

HANNIBAL LECTER

Por Rodrigo Garrit

944585_524468450939581_1852859353_n

Há tantas coisas deliciosas que as pessoas nunca vão provar.

A necessidade humana de simular uma civilização é a mentira mais bem contada da história. Todos fingindo não sermos os monstros, os assassinos, os ladrões e estupradores que somos. Por medo, interesse, arrogância. Não estou julgando, pois eu minto também.  Somos todos iguais. Talvez eu tenha um gosto um pouco mais apurado do que a maioria, e meu paladar seja mais exótico. Ou apenas tenha mais coragem. Mais inteligência. Mais ferocidade. Já fui chamado de gênio. Não nego que possuo um dom. Eu ouço histórias de pessoas desesperadas, entro em suas mentes doentes, mastigo suas mágoas, devoro suas angustias… até mesmo as torno sutilmente mais terríveis. Para deixar o sabor mais marcante. Nossa sociedade é canibal. Alimentamo-nos constantemente uns dos outros. Devoramos diariamente um pedaço de todos aqueles que nos rodeiam, assim como somos devorados também. Alimentar e ser alimentado: tudo é uma questão de ponto de vista. A moralidade não enxerga em vermelho. Mas o vermelho é a cor da vida. Fluindo, esguichando incontrolável, expandindo-se e banhando-me com o néctar da imortalidade. Exigindo que sua delícia não seja desperdiçada. Mas essas não são minhas palavras. Sou apenas um serial killer desastrado, que deixa rastros grosseiros e logo será pego. Sou um mero imitador do Doutor Lecter, um verdadeiro mestre da arte.

Eu sou Hannibal Lecter. Fingindo ser um imitador de mim mesmo. Ele logo será pego, e estará dentro da pele de outra pessoa cuja psique fora previamente devorada por mim. Eu nunca serei pego. Eles já me têm. Sou deles, estou acima deles. As prisões podem ter paredes reais ou imaginárias, eu não vejo diferença. Meu único interesse é na humanidade. Tenho incontrolável fascínio pelo cérebro humano, em todos os sentidos. Não importa quantos tijolos sua moralidade ridícula forje, cercando-nos de ilusória civilidade. Somos todos animais. Estamos no cio. Estamos com fome. E nunca satisfeitos.

Precisamos nos alimentar. S_Final

FENDER TREMOLO

Por Inominável Ser

shot0002

Inomináveis Saudações a todos vós, Mestres e Servos do Santuário!

Muitos consideram Chong Li (Bolo Yeung) como o maior vilão enfrentado por Jean Claude Van Damme em sua vasta filmografia. No entanto, o subestimado Fender Tremolo, interpretado com garra, profundidade e fúria por Vincent Klyn, foi o maior e melhor dos mais perigosos monstros enfrentados pelo ator belga na minha mais inominável opinião.  O filme Cyborg (1989), no qual Fender demonstra isso, comprova toda a malignidade intrínseca e irrefreável do personagem.

Em Cyborg, todo o mundo está devastado, a civilização humana inteira encontra-se dançante e nadante no Caos. Uma praga assola todo o mundo de forma brutal, mas a cura encontra-se precisamente em uma cyborg, Pearl (Dayle Haddon), a qual é feita prisioneira pelos Piratas, a horda de bárbaros cruéis liderada por Fender e responsável pelas atrocidades vistas no filme. Ela estava à procura de Gibson Rickenbacker (Van Damme), um Slinger, tipo de guarda-costas pago, nessa brutal realidade, para proteger os viajantes dos ataques bárbaros da citada gangue. Um ódio infindo por Fender move Gibson na direção do mesmo, o qual quer que o mundo continue como ele encontrou-o ao nascer: destroçado, mutilado, caotizado. Enquanto todos sonham e desejam a cura, o vilão defende a continuidade do pior mundo de todos os possíveis pesadelos imaginados.

Compreendê-lo de um modo racional é, de todo, tarefa cáustica. Mas, soltando a mente, quebrando correntes morais e infiltrando-se no Ser dele, a visão tida explica-o completamente. Ele nasceu em uma distopia na qual toda lei, toda ordem e toda moralidade, em si mesmas, inexistem. Claro que pessoas benignas ainda nasciam no mundo de Fender, o meio não pode ser uma direta e simplória explicação para toda e qualquer manifestação do que nós, humanos, denominamos como “Mal”; porém, Caóticos Seres, determinados por uma dura consciência e conceitos selvagens, conceitos estes detentores do mais expressivo autoritarismo dos mais anárquicos, como ele, nascem e crescem, em qualquer distopia real ou ficcional, como Arautos da Aniquilação. Filho do Caos, Fender ama a desgraça e a miséria de seu mundo, alimentando-as com toda sorte de torturas, saques, assassinatos, estupros e demais crimes imagináveis. Aniquilador de tudo que encontra pela frente, Fender busca a felicidade proporcionada por um sistema de vida na qual sua meta única é quebrar e destruir tudo o que ainda é ou tenta ser belo no pouco que sobrou da natureza e das construções de seu mundo. Achando-se a cura para a praga que a este detona e restabelecida a ordem social dela advinda, como ele continuaria sendo  livre para fazer o que quiser das pessoas e das coisas, animadas e inanimadas, que ama brutalizar e aterrorizar? Por isso, ele não quer nenhuma mudança, os seus prazeres seriam sufocados e suas sanguinárias festividades, sádicos rituais em honra aos mesmos prazeres, correriam o risco de serem abortados pela resistência conjunta de muitos. E, contra um exército reconstituído em qualquer parte do mundo, nem mesmo sua voz, sua estatura, seu olhar, sua aparência e sua bárbara liderança à frente de seus seguidores igualmente bárbaros seriam capazes de fazer uma oposição à altura.

Mares de sangue, gritos de terror e montanhas de crânios elevadas às alturas mais vastas: este é o eterno atroz desejo maior de Fender Tremolo!

Saudações Inomináveis a todos vós, Mestres e Servos do Santuário!

S_Final

 KRISS DE VALNOR

Por Nuno Amado

Kriss de Valnor 1

Eu sou Kriss de Valnor, sou danada, apaixonada e cruel.

Tenho três paixões, poder, riqueza, e Thorgal!
Thorgal… sempre de volta daquela princesa viking pamonha, e loura.

Eu sou Kriss de Valnor!
Guerreira, linda, e apaixonada…

Conheci Thorgal num torneio de arqueiros… a partir daí as nossas vidas cruzaram-se, entrelaçaram-se sempre numa relação de amor e ódio. Libertei o filho das estrelas, traí o filho das estrelas… tive um filho do filho das estrelas…
Incha cadela loura!
Bem… o facto é que ele estava amnésico nessa altura!

Depois de o conhecer no torneio precisei dele várias vezes. Guerreiro exímio, e com os Deuses do lado deles! E bonito.
Diverti-me muito! Ele lutava por mim! Claro… para lutar por mim eu tinha de fazer chantagem.
Mas eu sou mestre da chantagem e da perfídia. Assim raptei o filho dele e da porca loura mais do que uma vez. Fiz Thorgal viajar até às Américas antes de Cristóvão Colombo apenas para eu receber o prémio.
Bom o prémio dessa vez não foi muito do meu agrado… fui transformada numa velha! Eu poderosa e linda!
Mas o filho mais velho de Thorgal e da escanzelada loura tem poderes mágicos e apesar de ter sido eu a arrastá-los para aquela viagem amaldiçoada, ele devolveu-me a beleza dos meus 20 aninhos… deu-lhe um prémio! Raptei-o outra vez!
Ahahahahahahahahahha
Sou horrível, não sou?

Aproveitei-me de Thorgal ficar sem memória para o convencer que era um pirata sem escrúpulos… e consegui! Fiquei com um homem a quem os Deuses sorriam, um homem com charme e um excelente guerreiro controlado! Convenci-o que era Shaigan, o terrível pirata dos mares do Norte! E sim, com ele dominamos os mares do Norte!

Mas tinha que vir aquela cabra loura para acabar com o paraíso…
Depois daquela família me ter abandonado várias vezes à morte, mais uma vez ficava sem o belo filho das estrelas…
Mas a vingança encontrava-se no meu ventre!

A cara de estúpida da loura quando eu lhe disse que a criança muda era meu filho e de Thorgal!!

Ahahahahhaha

Bem, mas parece que as minhas 7 vidas de gata se tinham acabado… eu estava presa, Aarícia (aquela pamonha loura) também. Tínhamos que escapar! Assim eu sacrifiquei-me para que ela e os seus filhos, mais o meu, pudessem fugir da escravatura!
Claro… com uma condição! Ela teria de criar o meu filho como se fosse dela.
Parece que no fim sou um coração mole… pfff

Mas será que morri mesmo em combate?
Ehehehhe
Têm de esperar para ver…

S_Final

DIENTES MÁGICOS

Por Fabiola Torres

RED DRAGON 4

“Dientes Mágicos” ( Tooth Fairy) del film “Red Dragon”. Este personaje es uno de los seres más fascinantes que he visto, con una complejidad única, tan bien llevada a la pantalla grande por el magistral Ralph Fiennes. Todo en él cautiva, ya que es un hombre educado, inteligente, con un gran conocimiento de arte, un verdadero caballero que combate con su otro yo, él cual aparece en cada luna llena, convirtiéndolo en un ser psicópata, asesino, y cruel. El es el resultado palpable de los abusos emocionales y físicos por parte de una abuela dominante y despiadada, lo que trae consigo que él desarrolle trastornos de personalidad múltiple. Como todo ser humano cometió muchas equivocaciones, ¿pero quién hoy en día está libre de pecado?. Todos somos seres ambiguos, el bien y el mal habita en nosotros esperando su oportunidad para salir aflote. No sólo se puede matar a las personas con armas de fuego o con instrumentos cortantes, en mi opinión las palabras pueden producir el mismo dolor, causar el peor daño colateral en la mente y en el físico de las personas. Las heridas del cuerpo con la ayuda del tiempo sanan, pero las del alma demorán y deben transcurrir algunos años para que cicatrice la herida, para que esta no sangre constantemente con el simple hecho de respirar. Nadie es perfecto, todos fallamos. La vida hay que vivirla sin juzgar a nadie, sin crear expectativas, sin creernos jueces, y sin creernos dioses. La verdad absoluta solo es una fantasía, producto de una gran imaginación creada y elaborada por el hombre para cubrir sus propias equivocaciones.

*   *   *

*[“Fada dos Dentes” ( Tooth Fairy ) do filme” Dragão Vermelho “. Este personagem é uma das coisas mais fascinantes que já vi, com uma complexidade única, muito bem conduzida para a tela grande pelo magistral Ralph Fiennes. Tudo nele é cativante, porque é culto, inteligente, com um grande conhecimento da arte, um verdadeiro cavalheiro que luta com seu alter ego; que lhe aparece em cada lua cheia, tornando-o um psicopata e cruel assassino.  Ele é o resultado palpável do abuso emocional e físico de uma avó dominadora e implacável, o que desenvolve nele um transtorno de personalidade múltipla. Todo Ser Humano comete muitos erros , mas quem pode dizer que não tem nenhum pecado?  Todos somos seres ambíguos , o bem e o mal habitam dentro de nós à espera de sua chance de vir à tona, mas mesmo que não possamos simplesmente matar pessoas com armas ou instrumentos cortantes,  na minha opinião, as palavras podem produzir a mesma dor, fazendo pior dano colateral na mente do que na nossa forma física. As feridas do corpo podem se curar com a ajuda do tempo, mas as feridas da alma  podem levar anos para cicatrizar e para que esse sangue não nós fira constantemente como simples ato de respirar.  Ninguém é perfeito, todos nós falhamos. A vida é sobre viver sem julgar ninguém, sem criar expectativas , sem juízes para acreditar em nós , e sim para acreditarmos em nós mesmos, sem deuses. A verdade absoluta é apenas uma fantasia, o produto de uma imaginação vívida criada e desenvolvida pelo homem para seus próprios erros].

*Tradução livre.

S_Final

DOUTOR DESTINO

Por Von Dews

doctor_doom-1527482

Bah! Vassalos! Acham que Destino é um mero megalomaníaco em busca de poder… Destino é mais que isso, Destino é um novo horizonte para o mundo… Ou para o fim dele como o temos hoje… E o renascimento de um novo!

Bah! A população deveria ser substituída por Destinobôs, pois só assim obedeceriam as regras corretas de um mundo perfeito. Destino não suporta mediocridades desses vassalos inferiores, sempre preocupados com suas vidas pequenas, seus afazeres menores, sem uma visão maior, como só Destino tem, vivem em suas vidas inferiores, seu dia-a-dia pequeno, nas suas vidas monótonas, empregos monótonos, famílias monótonas. Destino não tem pensamentos assim, Destino almeja algo, não importa se dominação ou um mero sanduíche de carne de lagarto latveriano, Destino está acima da massa burra que não vê o horizonte! Bah! Destino não deseja o fim da humanidade, mas sim, que todos possam ver o mundo como Destino, um meio para um fim, sem mesquinharias ou pensamentos menores, o mundo de Destino é perfeito, é regular, é superior, um mundo sem resquícios do homem selvagem que hoje domina o planeta.

Bah! Vassalos! Talvez o mundo não esteja preparado para Destino, mas Destino está preparado para o mundo, Destino não tolera fraquezas, não tolera ser humilhado, não tolera ser medíocre, mas isso não faz de Destino mau, isso faz de Destino certo! Não há por que deixar os tolos governar, impunes em seus atos vis, Destino não é vil, Destino é justo, Destino deseja a justiça, mas diferente dos heróis americanos, Destino quer a justiça real, a justiça que pune os cretinos no poder atual, os burocráticos que governam com suas leis racistas e injustas, a lei de Destino é outra, a lei de Destino pune, mas favorece!

Bah! A Latvéria não é regida à mão de ferro, e sim, à mão do Destino (que é de ferro, de qualquer maneira)… e este é o destino que toda a Terra deveria ter!

Bah!

Vassalos!

S_Final

VIOLADOR

Por Venerável Victor Vaughan

VIOLADOR

Um vilão da Image que deixaria outros vilões da DC e Marvel, orgulhosos

Há muito tempo que o mestre Stephen King abriu nossos olhos para o fato de que um palhaço, símbolo máximo da alegria e pureza, também poderiam ser  bastante assustadores, com sua obra prima do terror: “It”. Agora imagine um palhaço em especial, na verdade um demônio nascido das profundezas do Inferno, que possui super força, teletransporte, transformismo, fator de cura, telepatia e necromancia… E você achando que o Wolverine é que era um personagem “apelão”.

Esse é o Violador!

O mais velho e poderoso de cinco demônios conhecidos por “Flebíacos” teve como missão ao longo desses inúmeros séculos treinar e supervisionar os novos generais do exército infernal. O herói Spawn é um dos mais recentes desses generais, por acaso.

O Palhaço – como também é conhecido o Violador – detesta Spawn por considerar que deveriam ser os demônios e não os humanos, a desempenhar essas funções de liderança das legiões infernais.

No entanto, apesar de seu vasto poder, capaz até de destruir o herói, é proibido de agir sem as ordens de seu mestre, Malebolgia, que a princípio é o grande chefão da dimensão conhecida por Inferno.

Sob o disfarce de um anão disforme com um senso de humor que deixaria o Coringa orgulhoso, esconde-se essa criatura nefasta, poderosa e incrivelmente cruel. Um dos vilões mais temíveis de todos os tempos. A alcunha de Palhaço é o alter-ego que o demônio assume para poder conviver entre os humanos e sempre que se apodera de um corpo, o rosto da vítima assume o mesmo aspecto de sua marca registrada: a face pintada de azul.

O Violador e o atual Spawn participaram de brutais e humilhantes batalhas para o vilão.  Muitas vezes os combates entre ambos são tanto psicológicos como físicos.

O Palhaço, obtém grande deleite em “trabalhar nos bastidores”, virando do avesso a vida de Al Simmons. Uma das suas manobras favoritas consiste em colocar amigos e aliados de Spawn contra ele, fazendo com que o traiam ou tentem matá-lo. Loki ficaria orgulhoso…

A banda de heavy metal, Iced Earth, compôs a canção “Violate” baseada no Violador, sendo todo o álbum “The Dark Saga” inspirado no universo de Spawn.

Hoje tem marmelada??? Tem Não, não senhor!!!

S_Final

NEGAN

Por Guy Santos

1024px-Negan_Lucille

The Walking Dead.

Alto proclamado de “Salvadores” o grupo liderado por Negan, na verdade se assemelha mais a uma gangue de delinquentes procurando uma forma de tirar vantagem da situação. Negan é um sujeito bastante peculiar, talvez a loucura, que este novo mundo repleto de zumbis, provoca nas pessoas, o tenha tornado uma pessoa terrível, ou talvez Negan sempre tenha sido um louco a espera de alguém para liderar.

Negan tem uma amiga, Lucille, mas não pense que Lucille é uma garota indefessa, ela nada mais é que um taco de baseball enrolado por um arame farpado e está sempre à mão para as mais terríveis atrocidades.

Os Salvadores comandam um “sistema de trocas de recursos” entre grupos de sobreviventes, no entanto o sistema não funciona para todos os lados envolvidos, isso nunca importou, pois Negan estava no comando e ninguém o sobrepujava. Até que um novo grupo entrou no sistema e não aceitou ser explorado por Negan e seus capangas, decidiu enfrenta-lo.

S_Final

ELE

Por Rodrigo Broilo

tumblr_m9sgs929BJ1r5gdmyo1_500

Está chegando o Natal! Época de paz, amor, de comércio exacerbado, de incorporações de rituais pagãos na temática cristã, e… Quem era que tava de aniversario, mesmo? Aquele… O gordinho com hipotermia e por isso vive encasacado vestindo vermelho coca-cola… Como chama? Isso mesmo! Jesus! O filho do Paaaaai… O Deus, o Todo Poderoso, o Morgan Freeman da vida real, o Bom, o Justo, o Senhor… E como faltam poucos dias para o filho d’Ele nascer, de novo, e essa é a última vez que as portas do inferno se abrem esse ano, ou seja, última Sexta Maldita… Nada melhor que mencionar o pior inimigo do Paaaaaai… E não estou falando dos humoristas do Pânico… Estou falando do Tinhoso, do Coisa-Ruim, do ‘Sete Peles’, do Cão, do Capiroto, do Demo, do Ardiloso, Do Dono do Washington, do Synteko Gelado, qua nas Spi… bem, deu pra entender…

O Tema de hoje é uma versão do Diabo… (Mas não vamos tratá-lo por esse nome tão pesado e Voldemort’esco…) Estamos falando de… Ele! A versão demoníaca do Encardido no universo das Meninas Super-Poderosas: é conhecido, simplesmente, como… Ele!

Mas porque justo… “Ele!” é o meu “homenageado” dessa última Sexta-Maldita? Por que Ele é um vilão filosófico e interessante desse universo que a nossa (ou pelo menos a minha) geração teve contato entre os anos 90 e 2000.

Ele não só é a representação do Mal, como cristão-ocidentalmente conhecemos, como também é extremamente cômico.  Ele não tem um nome, como o próprio mal não costuma ter. Tem um humor sagaz, planos de dominação mundial extravagantes como a sua personalidade, poderes beirando ao “over-power” e um apurado senso de estética capitalista!

Mas o que mais me encanta n’Ele, é a afronta aos papéis de gênero que Ele faz… Aliás, isso não é só uma característica d’Ele, mas de todo o universo das Meninas Super-Poderosas… Afinal, dado seu próprio nome, Ele é homem: sexo biológico macho. Ele tem até barba, o que é biologicamente uma característica dos machos humanos. E embora socialmente Ele, pela sua personalidade, será comumente tachado de gay, nunca vi sequer uma referência a ser essa a sua sexualidade (exceto no episodio onde ele deixa o Professor Utônio em transe, e para provocar as Meninas Super-Poderosas, lambe delicadamente o rosto do multifacetado Professor). O que Ele faz é mexer com os papeis de gênero, com sua voz fina de Anderson Silva, seus passos de balé, seu salto alto estilo homem masculino do século XV, sua genitália discretamente tampada por um pom-pom vermelho coca-cola, sua bochechas rosadas, seu gosto por higiene e patinhos de borracha, entre outras tantas manifestações que deixariam qualquer Félix achando que dançou pole dance na cruz, não é mesmo meu anjo?

Podemos dizer que Ele é gay? Podemos dizer que Ele é feminino? Que Ele não é “homem”? Ele é na verdade uma incógnita. E eu, particularmente, adoro!

Desde sua vontade de destruir aquelas menininhas que não o deixam brilhar sobre os holofotes como Ele merece, até a sua relação materno-paterno disputada/compartilhada com o Macaco Louco sobre os Meninos Desordeiros, passando pela sua incorporação em um polvinho fofo de pelúcia, Ele é um personagem que ou amaremos odiar, ou quereremos ignorar, pois Ele não só tenta atacar “frágeis” menininhas, mas Ele ataca o Patriarcado , o sexismo, os papéis de gêneros, a misoginia, além de ser um luxo, meu amôrr!

Babado, confusão e gritaria agregando valor na sociedade!

S_Final

HOMEM-PIPA 

Por Gustavo Sleman

hpipa_brave

Dezembro chegou. Pelo comercial da Leader Magazine você já nota que é Natal. As férias chegaram e com elas o tempo de pipa. Pipa, papagaio, pandorga ou raia, não importa como é conhecida em sua região, mas tenha certeza que você verá muitas cobrindo o céu. Mas cuidado, volta e meia elas acompanham um antigo perigo.  Além dos temidos ceróis, ‘linhas chilenas’ e fios elétricos, Charles ‘Chuck’ Brown paira entre as nuvens querendo te cortar. Mas espere aí, você realmente conhece Charles? Quem diabos é este cara que sempre fez Batman tirar a bunda do batsofá? Talvez vocês já o tenham visto na ótima série animada Batman: Os Bravos e Destemidos sendo envolvido na origem do Homem-Borracha, mas por acaso algum de vocês sabem o seu atual paradeiro? Ou melhor, sabem quem ele é? Pois bem, apresento-lhes o Homem-Pipa!

Criador por Bill Finger e Dick Sprang, Charles apareceu pela primeira vez em Batman #133, publicada em Agosto de 1960. O homem que se tornaria Homem-Pipa começou sua vida como jovem menino fascinado por pipas, não muito diferente de vários brasileiros, entretanto, seu fascínio era tanto que elas  a influenciaram a criar um futuro alte-ego . Charles enfrentou Batman e Robin pela primeira vez ajudava diversos criminosos a escapar da prisão usando seus apetrechos tecnólogicos. Entretanto,  o feitiço virou contra o feiticeiro, já que o Cavaleiro das Trevas utilizou um de suas próprias pipas para derrotá-lo. Depois disso, ele enfrentou o mesmo Homem-Morcego diversas vezes, sendo sempre derrotado pelo mesmo truque. Pobre Homem-Pipa…

Depois de tantas batalhas contra a Dupla Dinâmica, Brown decidiu arriscar vôos mais altos ao tentar roubar o Golden Eagle, um inestimável tesouro , apenas para ser confrontado por Zatanna, Gavião Negro e Mulher Gavião. Que facilidade não? Ele foi derrotado ao ser forçado a pousar em uma árvore. Seguindo essa nova derrota, Homem-Pipa nunca mais foi visto até aparecer como residente no país da Zandia, um paraíso para os vilões do Universo DC. Lá, ele até se tornou parte de um time esportivo, além de, é claro, lutar contra as forças super-heróicas que tentaram invadir o país.

Durante a Crise Infinita , Brown foi vítima da inicitiava da DC na época: acabar com personagens pouco utilizados, obscuros e/ou inúteis. O vilão foi jogado do alto da Torre Wayne pelo Exterminador sem o seu planador-pipa após recusar em participar da Sociedade Secreta de Super-Vilões. Milagrosamente,  Homem-Pipa sobreviveu à queda , sendo capturado ao lado do Sewer King, Squid e Mirage pela Intergangue, que no rastro de consequências deixada pela Crise Infinita estava tentando assumir as organizações criminosas de Gotham. Sua relutância em trabalhar em equipe novamente lhe custou caro. Após recusar a oferta de Bruno Mannheim, o Homem-Pipa foi rapidamente morto e então devorado por Bruno. Um fim mais triste do que ser cortado na mão ou aparado pela rabiola, para um garoto que apenas era apaixonado por pipas.

S_Final

PINGUIM

Por Lexy Soares

batman-returns--the-penguin-wallpapers_25785_1024x768

Um dos vilões clássicos do Batman mais estranhos, em minha opinião, mas que, curiosamente, é um dos mais conhecidos pelos fãs. Ele já passou por várias reformulações ao longo de sua carreira, onde foi desde “mais um dos bat-vilões malucos” até uma versão mais sanguinária, conforme recontado no final dos anos 80.

Nos anos 90, ele sofreu outra reformulação, onde se tornou dono de uma boate, e o Batman não conseguia provas para incriminá-lo de crimes. Assim, o vilão ficou bem parecido com o Rei do Crime da Marvel, e mais interessante. Essa reformulação começou em uma HQ curta, publicada aqui no Brasil em uma edição de “Batman – o Desenho da TV”, onde ele rapta a mulher do comissário Gordon, e, enquanto Batman vaia trás dela, Oswald Chesterfield Cobblepot e James Gordon tem uma conversa sobre o modo de ser do vilão. Ao final, parece que o Pinguim se ressente de ser um mero vilão cheio de manias e vaidades, e depois disso sua aparição seguinte já é como o dono da boate.

E, o que me fez lembrar dessa história? É que ela se passa durante as festividades de fim de ano em Gotham City.

S_Final

EXTERMINADOR

Por Enrico Vargas

1501966_709200479099661_279800090_n

A VIDA DO TEU FILHO, DESDE O FIM, ATÉ O COMEÇO.

Ainda em sua primeira infância Slade Wilson viu sua mãe falecer, seu pai se casando com outra mulher, tendo outro filho e sendo abandonado por estes. Slade viu seu pai se tornar um homem melancólico, apático e abatido por conta de tantas perdas. Slade percebeu muito cedo que aquela situação em que seu pai mergulhou servia como um excelente exemplo de tudo o que ele não queria para si.

Slade cresceu determinado e independente, aos dezesseis anos mentiu ser maior de idade para poder se alistar no exército. Treinou, foi para a guerra e resgatou sozinho um veterano do exercito britânico.
Como o militar mais jovem a ser condecorado na Guerra do Vietnam, Slade Wilson já era praticamente uma lenda quando foi destacado para participar de um programa especial de treinamento que tinha como objetivo formar soldados de elite.
O treinamento se estendeu durante vários meses, período em que Slade conheceu a jovem Capitã Adeline Kane, que a principio serviu como sua instrutora e por quem veio a se apaixonar posteriormente.

Slade Wilson tinha uma biografia impecável e todas as evidências apontavam para um futuro brilhante… o que ele não sabia é que se os acertos o trouxeram até onde ele queria chegar, seus erros o levariam muito além do que ele jamais foi capaz de imaginar.

Assim que soube estar grávida Adeline pediu exoneração do exército para se dedicar integralmente a sua nova condição de “Sra. Wilson”, enquanto Slade dava continuidade a sua ascendente carreira militar.
Logo após o nascimento de seu filho Grant, o sempre ambicioso Slade se oferece como cobaia para experimentos com um antídoto para o “soro da verdade”, que infelizmente resultou em sérios efeitos colaterais, deixando Slade acamado por um longo período.
Após seu reestabelecimento Slade descobre que o experimento ao qual ele se voluntariou era na verdade uma operação de fachada arquitetada pelos seus superiores com a intenção de criar “supersoldados”.
A decepção só não foi maior para Slade por que após sua completa recuperação ele percebeu que sua força e agilidade haviam se ampliado a níveis sobre humanos.
Enfim, o “supersoldado” havia sido criado, mas diante da traição que sofreu por parte do seu amado exército, Slade Wilson decidiu não revelar sua nova condição, negando aos seus superiores o que eles tanto queriam.

Ao saber do sequestro de seu amigo Wintergreen, o mesmo militar britânico que ele havia resgatado vários anos antes, Slade cria uma fantasia assustadora e se lança na selva em missão de resgate. Slade ataca o grupo de rebeldes de forma tão feroz que nem mesmo Wintergreen é capaz de acreditar no que vê!
Quando a operação clandestina chega ao conhecimento da alta cúpula do exercito, Slade é automaticamente exonerado, encerrando dessa forma mais um capítulo em sua conturbada vida.

A polpuda herança recebida por Adeline proporciona a família Wilson uma vida de extremo glamour. Sempre frequentando festas e figurando nas principais colunas sociais, Slade entra numa espiral descendente de tédio e frustração que nem mesmo o nascimento de seu segundo filho, Joseph, é capaz de amenizar.
Com a intenção de sair daquele estado de letargia, Slade resolve se profissionalizar como caçador e passa a liderar safáris na África. A empreitada acaba por ser muito bem sucedida, e o “Caçador Slade” ganha enorme destaque na mídia.
Por conta de tamanha notoriedade Slade começa a receber propostas de assassinatos encomendados, a ideia de caçar humanos parece bem mais empolgante para Slade do que caçar feras selvagens, por fim, a decisão está tomada…
Coincidindo com o surgimento de uma nova geração de super-heróis (encabeçada pelos jovens Superman, Batman e Mulher-Maravilha), Slade Wilson cria uma sofisticada armadura e passa a se chamar EXTERMINADOR!
Por algum tempo tudo é satisfatório na vida de Slade, sua carreira de mercenário vai de vento em popa e seus safáris continuam ganhando a atenção da mídia. Em casa as afinidades se delineiam; enquanto Grant adota seu pai como modelo, Joseph tem seus dotes artísticos altamente estimulados por Adeline.
Tudo parecia muito bem até que o terrorista conhecido como Chacal sequestra Joseph Wilson e pede informações de um dos clientes de Slade como forma de resgate, altamente vaidoso e egocêntrico Slade se recusa a ceder a chantagem e mesmo conseguindo salvar a vida de seu filho não é rápido o suficiente para impedir que o terrorista corte a garganta do menino, provocando nele uma condição de mudez permanente.
Revoltada com a atitude de seu marido e com a revelação de que ele é um assassino profissional, Adeline tenta mata-lo com um tiro na cabeça, mas graças a seus extraordinários reflexos, ela só consegue atingi-lo no seu olho direito.

Divorciado, Slade da continuidade a sua carreira como Exterminador, até que ele é contratado para a missão de resgatar a Princesa Lilian Worth, com quem acaba tendo um envolvimento romântico.
Após o romance com Lilian, Slade entra numa fase onde relações interpessoais parecem não ter vez, tudo o que resta para Slade é seu trabalho, suas relações comerciais e a devoção de Wintergreen.
Vários anos se passem sem que Slade mantenha contato algum com sua ex esposa e seus filhos, até o dia em que o destino resolve interferir de forma quase cruel.
Slade recusa a oferta de uma organização criminosa chamada H.I.V.E. para executar o grupo de heróis conhecido como Novos Titãs. A mesma oferta é feita para Grant Wilson que além do serviço de execução ainda se submetera a um experimento semelhante ao que seu pai sofreu há anos com a finalidade de receber super-poderes iguais aos do Exterminador.
Grant desenvolve poderes ainda maiores do que os de seu pai, e adota a identidade de DEVASTADOR.
Os caminhos de Exterminador e Devastador se cruzam, até que Slade descobre que Devastador é na verdade o seu filho e percebe que seus poderes recém adquiridos estão causando sérios danos ao seu organismo. Os dois mercenários entram em conflito com os Novos Titãs e a batalha resulta na morte de Grant.
Slade culpa os jovens heróis pela morte de seu filho e em sua honra acaba assumindo o contrato que Grant não cumpriu.

Para colocar em prática seus planos de vingança, Slade conta com a colaboração de Tara Markov, uma sociopata de dezesseis anos de idade, que se infiltra nos Novos Titãs sob a identidade de Terra.
Além de aliados, Slade e Tara acabam se tornando amantes, e quase conseguem derrotar os heróis, não fosse a interferência de Joseph Wilson, que naquela ocasião revela seus poderes mutantes (herança genética dos experimentos sofridos por seu pai no exército) e inicia sua carreira heroica sob a identidade de Jericó.
Tara Markov morre em meio a uma batalha épica, Slade é preso e Joseph é aceito como membro dos Novos Titãs.

Os caminhos de Slade e dos Titãs se cruzam várias vezes até que uma reviravolta acontece… Possuído por uma entidade corrupta de outra dimensão, Joseph se torna líder da Wildbeest Society e passa a caçar todos os membros dos Novos Titãs. Slade agora se vê como aliados dos poucos heróis remanescentes até perceber que seu filho está condenado e que a única maneira de detê-lo é atravessando uma espada em seu ventre.
De uma forma um tanto irônica e amarga a morte de seu primogênito estava vingada, matando seu filho caçula, Slade matou um Titã!

Qualquer um desmoronaria diante de eventos tão trágicos, mas Slade Wilson não é qualquer um!
Slade seguiu sua vida, transitando entre o lado dos mocinhos e dos bandidos, até deixar de ser caçador para se tornar a caça, numa perseguição de proporções globais onde todos os super-heróis do mundo pareciam interessados em captura-lo, culminando na elevação de seus poderes até o nível da imortalidade.
Slade agora havia se tornado indestrutível, Slade não tinha mais nada a perder, Slade havia se tornado o homem mais perigoso do Mundo.

Nos anos que se seguiram Slade testemunhou a morte de Adeline, a ressurreição de seu filho Joseph (duas vezes!), e ainda teve tempo de enfrentar o Batman, derrotar a Liga da Justiça e liderar uma versão anti-heroica dos Novos Titãs.
Slade também viu a identidade de seu filho Grant passando por mais duas pessoas até chegar a sua filha Rose, fruto do seu relacionamento com Lilian Worth.
Rose Wilson, a Devastatdora nº4, já mostrou ser a mais hábil, talentosa, competente e inteligente de todos os filhos de Slade Wilson, e com um histórico familiar como esse, talvez ela seja o único ser humano capaz de escapar da morte pelas mãos de Slade… ou capaz de mata-lo, caso isso seja a coisa certa a ser feita!

Definir Slade Wilson como bom ou mal, herói ou vilão, seria uma tentativa superficial de tentar reduzi-lo a rótulos. Slade é complexo, um personagem completo.
Slade Wilson teve os melhores motivos pra fazer as piores escolhas.
Na vida de Slade Wilson nunca houve lugar pra autopiedade.

S_Final

GREMLINS

Por Weber Carvalho

Gremlins2

“Tell me something, Billy. How come a cute little guy like this 

can turn into a thousand ugly monsters?”

Natal é tempo de alegria, paz, união e… presentes! Lojas e shoppings lotados! Pessoas ansiosas e loucas pra gastar seu 13º! Casas c/ decorações extravagantes e muita iluminação! Ah… esse clima capitalista gostoso que domina a sociedade é predominante há muito tempo! E vemos isso claramente num clássico da Sessão da Tarde: o filme Gremlins de 1984! O filme de Steven Spielberg é uma comédia leve com pitadas de terror que surpreende! Cheio de humor negro, músicas alegres (as risadas dos Gremlins são um destaque à parte) e, claro, uma explícita crítica a sociedade de consumo!

Mogwai pode ser traduzido do mandarim e do cantonês chinês no sentido de monstro ou demônio. Em Gremlins , o Mogwai é um animal pequeno, bonito, que gosta de cantar. Os Peltzers o batizam de Gizmo. Já o Gremlin é uma criatura mitológica de natureza malévola popular na tradição saxã. O nome gremlin vêm do inglês antigo grëmian, que significa “irritar” ou “incomodar”. Também está relacionado com grim, “sinistro”, e no termo alemão, grämen, “confusão”. Eles são conhecidos como travessos, arteiros, custosos, endiabrados! Criaturas capazes de sabotar qualquer tipo de equipamento. A popularidade desses monstrinhos veio de histórias contadas entre os pilotos da Royal Air Force Britânica (Força Aérea Real Britânica) a serviço no Oriente Médio durante a Segunda Guerra Mundial. A existência desses seres seriam uma forma de explicar os frequentes acidentes que aconteciam durante os vôos, as estranhas quedas que ocorriam na ausência de ataques inimigos.

De acordo com os filmes (de 1984 e 1990) os Gremlins apresentam duas fases de vida: a Mogwai, que seria o estágio infantil destes seres, no qual são quase inofensivos, e Gremlins, que são muito perigosos. Diz-se também que existem três coisas que não pode ser feito com um Gremlin ou Mogwai e deve ser evitado a todo custo para que tudo corra bem. A primeira é que a luz não deve ser administrada diretamente sobre eles, pois a odeiam. Nem mesmo a luz do sol, pois correm o risco de serem mortos. A segunda é que eles nunca devem entrar em contato com a água, pois quando isso ocorre com um Mogwai, saem bolas de pelos de suas costas, e assim ele se reproduz, em cópias parecidas, porém, mais travessas. Mas o que jamais se deve fazer a um Mogwai é alimentá-lo depois da meia noite, realizando assim a metamorfose, da fase infantil (Mogwai) para o adulto (Gremlin), encasulando-se em uma pupa, como uma borboleta.

Cheio de referências ao consumo desenfreado e homenagens à pop art o filme diverte gerações desde a década de 1980! Alguns exemplos são os nomes dos filmes exibidos na marquise do cinema de Kingston Falls no longa de 1984: “A Boy’s Life” e “Watch the Skies”. Estes títulos eram os nomes de trabalho de E.T., o Extra-terrestre (1982) e Contatos Imediatos de Terceiro Grau (1977), quando os filmes ainda estavam em produção. Os Gremlins assistem a Branca de Neve e os Sete Anões (1937) no fim do primeiro longa metragem. Quando Rand Peltzer está falando ao telefone da convenção de inventores, pode-se ver ao fundo a máquina do tempo mostrada no filme A Máquina do Tempo (1960). E ao término dos créditos finais do filme, após o fim da música-tema do longa, pode-se ouvir o som das risadas dos Gremlins. Caraca! Isso é tão Marvel!

Mesmo sabendo disso tudo… Quem não ia querer de presente um Mogwai, aquela pequena criatura felpuda que canta suavemente uma melodia? Só não esqueça das 3 regras para cuidar do bichinho: Mantenha-o longe da luz forte; Ele não pode entrar em contato com a água; E não importa o quanto ele chore, o quanto ele suplique, nunca, nunca o alimente após a meia-noite! Fácil, né! Nem tanto… Kkkkkkkkkk

 S_Final

JACK SKELLINGTON

Por Letícia Fiuza

jack

Era uma vez um esqueleto que havia ficado entediado com seu trabalho. Seu nome era Jack Skellington, e vivia em Halloween Town. Todo ano era a mesma coisa, 364 dias de preparação para 1 dia de comemoração. Ele e a população de sua cidade faziam isso há séculos, milênios, nem sabia mais exatamente há quanto tempo estava no comando da preparação e do show. Nada mais o surpreendia ou lhe criava expectativa. Por mais que ele tentasse, criasse sustos e maldições diferentes, tudo sempre terminava do mesmo jeito: Com Jack voltando sozinho para sua sepultura-lar, sentindo-se vazio.

“I am the one hiding under your bed

Teeth ground sharp and eyes glowing red”

Uma bela noite de Halloween, depois da festividade e da grande parada, Jack escapuliu da comemoração e resolveu vagar pelas terras desoladas do vale, com seu coração ansiando por algo que pudesse suprir esse vazio, essa inconformidade. O esqueleto vagou por horas sem rumo até chegar a uma clareira circundada por árvores. Algumas bonitas, outras ressequidas, porém em comum, todas tinham um tipo de portinhola. Jack se espantou. “Ora, ora, algo novo para se desvendar”, pensou. E escolheu uma portinhola com forma de pinheiro. Ao abri-la, avistou um novo mundo. Era branco, frio, claro e barulhento. Ele entrou porta adentro para descobrir o que aquilo reservava. “I am the one hiding under yours stairs Fingers like snakes and spiders in my hair” Todas as casas estavam decoradas, presentes se avolumando abaixo das árvores dentro das casas. Aquela coisa branca cobria todo o lugar. Era fria e fofa, não tinha gosto nenhum, mas era bonita. Pessoas felizes terminando os preparativos para algo grande. Porém, Jack não entendia o que acontecia. Ele não conhecia outros feriados, além do Halloween e toda aquela novidade o deixou curioso, eufórico e muito tentado. Continuou seguindo pelo vilarejo, ainda bisbilhotando aqui e ali, e pode ouvir entre conversas, era época de Natal. E esperavam pelo “Papai Cruel”. Pelo menos foi assim que ele entendeu. Dentro de Jack coisas fervilhavam, ideias, vontades, pensamentos! Era isso que Ele precisava! Ele queria o Natal, poderia ser o Papai Cruel.

“In this town, don’t we love it now?

Everybody’s waiting for the next surprise…”

Voltou imediatamente para Halloween Town a fim de fazer os preparativos! Havia muita coisa a ser feita, os presentes, seu trenó, sua roupa! Tudo tinha que sair devidamente perfeito. E claro, precisava tirar o verdadeiro Papai Cruel de circulação. E assim, durante aqueles dias, os habitantes de Halloween Town mudaram seus afazeres. Todos tiveram tarefas incumbidas e foram postos a orquestrá-las. E Jack sentia-se o mais feliz dos seres! Pobre Papai Noel, estava saindo de sua casa no Polo Norte quando três crianças horrendas o interceptaram e o jogaram dentro de um saco. O sequestro do Papai Noel. Seguiram com o bom velhinho para a terra do Halloween, mas ao invés de entrega-lo para Jack, levaram-no para O Boogieman. E isso era muito, muito ruim. Porém, Jack não sabia disso. Naquele momento, seu grande momento estava para acontecer. “I am the “who” when you call, “who’s there? I am the wind blowing through your hair” Com seu trenó macabro recheado de morcegos com laçarotes, caixa-surpresa com palhaços assustadores e todo tipo de sortilégio que os habitantes da cidade do Halloween consideravam presentes adequados, o esqueleto subiu aos céus ansiando por ver rostinhos felizes por onde passasse… Entretanto, assim que começou sua rota em Christmas Town tudo veio abaixo.

“I am the shadow on the moon at night

Filling your dreams to the brim with frigh”

  As crianças que esperavam por Papai Noel viram o substituto e entraram em pânico. Ao abrirem os presentes, saiam desesperadas de medo e rapidamente, Jack e o Natal se tornaram motivo de medo e assombro. Os risos se transformaram em choro. “Everybody scream, everbody scream!” O Natal estava arruinado. Jack estava arruinado… Todos ali viram Jack como um vilão, o Monstro que roubou a alegria do Natal. Mas Jack agiu de boa fé. Ou teria agido por egoísmo? Por querer mais atenção e se julgar melhor que outros? Em Halloween Town, Jack Skellington era um herói. Amado por monstros, bruxas e fantasmas. No Christmas Town, ele era um monstro horrendo que roubou a alegria das criancinhas.

“Life’s no fun without a good scare,

That’s our job, but we’re not mean”

Jack aprendeu sua lição, cada um tinha seu lugar no mundo e o dele, não era ali. Redimiu-se tendo que salvar o Papai Noel do Bicho Papão e devolveu-o para o Natal a fim de consertar o desastre que tinha se seguido. De certa forma, ele teve sua aventura, seu grande dia de Vilão e Herói. O Halloween tinha que ser preparado. O Natal estava salvo. “Don’t we love it now? Everyone’s waiting for the next surprise.”

Texto baseado no filme “The Nightmare Before Christmas”.

S_Final

Nossos agradecimentos mais que especiais a todos que colaboraram para mais esta Sexta Maldita formada pelos personagens que odiamos amar. Obrigado também a todos os leitores que carinhosamente apelidamos de “devotos” do Santuário, que são a razão por tudo isso acontecer. Continuem conosco e aguardem as grandes mudanças que estão para ocorrer no site.  

Boas festas e fiquem longe de becos escuros à noite…!  😉

  teaser-02

18 comentários sobre “SEXTA MALDITA! ELA está de volta… Com 13 indivíduos que você não convidaria para sua ceia de natal…

  1. Wow, wonderful blog site file format! How much time do you think you’re writing a blog for? you are making posting start looking easy. The complete peek within your website is extremely good, seeing that well because the subject material!

    Curtir

  2. Terríveis Vilões! Assustadores! Não queria enfrentar nenhum deles,especialmente o Homem-pipa…que Vilão!Ainda bem que morreu(será?!).

    Curtir

  3. Erst wenn die Wolken schlafen gehen
    Kann man uns am Himmel sehen
    Wir haben Angst und sind allein

    Gott weiss Ich will kein Engel sein

    Só quando as nuvens vão dormir
    Podemos ser vistos no céu
    Nós estamos angustiados e sozinhos

    Deus sabe que eu quero ser um anjo

    Inomináveis Saudações a todos vós, Mestres e Servos do Santuário!

    Ao som de Engel, do Rammstein, eu posto aqui este comentário de agradecimento pelo meu texto aqui presente. E, igualmente, parabenizo aos demais autores pelo mergulho, sem moralismos ou atenções ao politicamente correto, nas almas tão profundas desses magníficos seres aqui presentes.

    Esses treze Anjos Caídos representam parcelas inegáveis da natureza humana e até mesmo aqueles que se dizem “extremamente bons e caridosos” possuem em si parcelas escondidas n’alma de cada um deles. Olhar para cada um é como olhar para nós mesmos em espelhos distorcidos, espelhos quebradiços, espelhos deformados. E a visão em tais espelhos é mais genuína do que a daqueles que se escondem, por exemplo, com uma Bíblia embaixo do braço, mas, na verdade, são mais pecadores do que aqueles que chamam de “ímpios”.

    Compreender a vilania é compreender-se e afirmar que nem tudo é em tons de cinza, mas todas as cores, até mesmo as desconhecidas, estão em cada um de nós. Mais uma vez, parabenizo a todos nesta Sexta-Feira Maldita de 13 de dezembro de 2013, próximo de mais uma hipocrisia das mais humanas denominada como “Natal”.

    E, amaldiçoado como sou por Inominável Ser, estarei aqui ano que vem na próxima data amaldiçoada!

    Saudações Inomináveis a todos vós, Mestres e Servos do Santuário!

    Curtir

  4. Eu amo odiar essa Maldita!

    É uma honra ver tanta gente boa contribuindo com o Santuário. Queria só deixar uma coisa bem clara, todos esses maravilhosos indivíduos são bem-vindos na minha ceia de Natal na Latvéria e e na Cidade Gorila… E quem escreveu sobre eles também! 🙂

    Ah, tadinho, esse ficou de fora!
    http://www.megacurioso.com.br/datas-comemorativas/40241-krampus-o-anti-papai-noel-que-captura-criancinhas-malvadas.htm?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_campaign=imggrande

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s