Em última análise… Mesmo os deuses têm que morrer! O QUARTO MUNDO de JACK KIRBY!

11

Uma análise da última edição dos “Novos Deuses”, de 1984, escrita e desenhada por Jack Kirby, com arte-final de D. Bruce Berry.

Contém spoilers revelações sobre a profecia final de Apokolips.

Por Rodrigo Garrit

Nada há que tão notavelmente determine o auge de uma civilização, como o conhecimento, nos que a vivem, da esterilidade de todo o esforço, porque nos regem leis implacáveis, que nada revoga nem obstrui. Somos, porventura, servos algemados ao capricho de deuses, mais fortes porém não melhores que nós, subordinados, nós como eles, à regência férrea de um Destino abstracto, superior à justiça e à bondade, alheio ao bem e ao mal”. – Fernando Pessoa

New Gods: ARMAGETTO!

Essa história foi publicada em 1984, depois de um hiato de doze após a edição 11 de New Gods. Ela foi incluída numa coletânea especial em seis partes com a obra original feita pela DC, onde foi solicitado que Kirby finalizasse sua obra.

Embora nesse meio tempo outros autores tenham publicado histórias com os Novos Deuses, algumas lacunas ficaram em aberto… Kalibak e Desaad apareciam normalmente, ignorando-se o fato de que haviam sido mortos. Além disso, Órion chegou a passar por uma duvidosa revisão em seu traje, coisa que também não durou muito.

Nessa história, Kirby meio que continua de onde parou, deixando algumas coisas subjetivas. Por exemplo, Darkseid estava estabelecido na Terra, em busca do segredo da Equação Antivida. Mas essa história já abre com Órion invadindo Apokolips. O que fica nas entrelinhas foi que Darkseid deixou a Terra, e obviamente não obteve sucesso em conseguir a Equação Antivida. Kirby nos poupou desses pormenores e partiu direto para a ação, aproveitando para explicar brilhantemente a ressurreição de Kalibak, Desaad e outros personagens.

A história também levanta outra questão: Kirby parece querer nos fazer um alerta, sobre máquinas tomando o lugar de pessoas, que permitiriam que elas realizassem todos seus desejos, mas em troca roubariam suas emoções. Não será um futuro para o qual estaríamos caminhando? Eu ficaria atento…

Mas essa não foi ainda a versão definitiva do fim dos deuses de Kirby. Em 1985, a DC ainda o solicitaria mais uma vez, pedindo que encerrasse definitivamente sua grandiosa epopeia. Essa história foi publicada na Graphic Novel 4, intitulada “The Hunger Dogs”… a canção final de Jack Kirby e suas criações… e o início de uma nova era para os personagens.

Segundo a lenda…

…um Tubo de Explosão se abre em Apokolips, cuspindo o guerreiro definitivo. Órion chega sem aviso, tão repleto de ódio que amedronta até mesmo os parademônios acostumados com os horrores do lugar. Logo, os “mecanóides” são acionados… gigantes autômatos de metal criados para causar dor, destruição e morte. Efígies dos grandes combatentes que certa vez foram forjados nos poços ardentes de Apokolips. Darkseid programou a nova política da ciência como substituta da vida. Ele crê que as máquinas são o caminho da evolução, privadas das emoções e capazes de realizar o impossível, sem remorso ou hesitação.

O aprimoramento da ciência segundo os parâmetros de Darkseid possibilitou o surgimento de novos horrores através de suas máquinas malignas. O grande arquiteto de intermináveis conspirações que é Darkseid não se permite descanso enquanto seus objetivos não forem alcançados. Tudo que acontece tem um propósito e todas as possibilidades são calculadas para que independente do resultado, sejam favoráveis ao senhor de Apokolips. Mesmo quando parece que foi derrotado, Darkseid vence.

Sua ciência aliada a seu poder quase inconcebível criou um mecanismo capaz de ressuscitar os mortos. Unindo sua poderosa mente ao aparelho, Darkseid é capaz de reconstituir molécula por molécula alguém que tenha sido morto, até mesmo Desaad, que fora atomizado por seu efeito ômega. As chamas da vida vão então se agrupando e se expandindo, até atingir perfeita simetria biológica. Assim, carne e mente são restituídas… ou pelo menos o mais próximo disso que seja possível. Os ressuscitados acordam desorientados e com a memória afetada… como se fossem clones criados sem a necessidade de amostras de DNA, mas apenas das lembranças que Darkseid possuía deles… dessa forma, Desaad, Steppenwolf, Mantis e Kalibak foram ressuscitados. Esse processo de restauração ainda contém alguns enigmas, os quais seriam melhor compreendidos se os ensinamentos de Nova Gênesis fossem permitidos em Apokolips… pois é como se a essência original dos mortos tivesse retornado à Fonte, e seus novos corpos fossem apenas “robôs orgânicos”, dotados das memórias de sua vida passada. Mas afirmar tal absurdo em Apokolips é uma heresia condenável à morte. Darkseid, o deus do mal absoluto se regozija com sua conquista e declara que as máquinas devem muito em breve substituir a fraqueza da vida, onde poucos organismos sobreviventes deverão adorá-las e temê-las.

Mas nem todos os súditos de Darkseid estão felizes e satisfeitos com a gradual substituição da mão de obra orgânica pelas máquinas. Algumas guerreiras, em especial, ainda preferem a emoção do combate e o prazer de duelar até a morte contra seus inimigos. Elas são as Fúrias Femininas, e estão prestes a detonar uma revolução antitecnológica em Apokolips.

Enquanto isso, Órion segue com seu ferrenho combate às gigantescas máquinas assassinas de Darkseid, causando tremenda destruição, como seria de esperar. Ele sabe que está predestinado a matar seu pai e encerrar o reinado maligno de Darkseid… conforme foi profetizado pela Fonte, e ela nunca falhou. E nada o faria mais feliz do que finalmente cumprir o seu destino, mas hoje outro objetivo permeia sua mente… pois ele soube que sua mãe, Tigra, ainda está viva e sendo feita prisioneira. Na época da troca dos filhos dos líderes dos planetas, ela foi a única voz que ousou questionar a decisão de Darkseid. Por isso, dentro das chamas de ódio que ardem no coração de Órion, também queima o desejo de reaver sua mãe, e nada nesse universo irá ficar em seu caminho.

Órion recebe ajuda de alguns dissidentes de Apokolips… a maioria pessoas do povo, não soldados, mas ainda assim conseguem causar alguma distração que permite a ele se reorganizar para a batalha. Magtron também aparece, mesmo sem ser convidado. Ele dispara um poderosa rajada de energia que quase atinge Órion, mas é desviada devido a proximidade dele com as pessoas inocentes que poderiam se ferir. O objetivo de Magtron era claro: nocautear Órion e leva-lo a força de volta para Nova Gênesis. Órion não fica feliz com a atitude do amigo, mas entende suas intenções. A preocupação de Magtron com Órion é tocante, não fosse isso, sendo o pacifista que é, ele jamais colocaria os pés em Apokolips a não ser que não restasse mais nenhuma alternativa.

Ao mesmo tempo, as Fúrias Femininas se voltam contra a Vovó Bondade, sua antiga disciplinadora, mas são todas subjugadas pelo exército artificial de Darkseid. No entanto, ao invés de mata-las, o comando dado é “disciplinar”.

Órion e Magtron encontram o Centro de Detenção e Automação, uma verdadeira fortaleza e um dos locais mais bem protegidos de Apokolips. E é lá que Tigra está aprisionada. Fica claro que Órion recebe informações de um aliado oculto, que também facilita sua entrada na fortaleza. Um traidor de Apokolips, mas sua identidade não é revelada.

Órion proíbe Magtron de acompanhá-lo no confronto com Darkseid, ordenando que ele volte para Nova Gênesis e viva em paz… uma vez que essa é a sua natureza, ao contrário da dele. Magtron acata o pedido, mas antes de ir, ataca com toda sua força as últimas defesas mecanóides, em alguns casos derretendo os mortíferos  aparelhos e levando-os ao estado de fusão, deixando o caminho livre para Órion encontrar seu pai e cumprir o seu destino, aquela velha profecia anunciada pela Fonte.

Órion percebe estarrecido a obscenidade dos atos de Darkseid ao ressuscitar os mortos, mas não perde tempo remoendo o ocorrido e avança contra seu pai. Ele tenta escapar por uma passagem oculta, mas Órion o persegue, levando a luta até o subterrâneo, próximo aos poços ardentes do planeta. É curioso notar que Darkseid mal se defende, e em nenhum momento emprega a totalidade de seu poder. Ele utiliza uma arma para atacar Órion, e não manifesta o Efeito Ômega. Eles passam por uma câmara onde Órion vê sua mãe, aprisionada. A batalha segue até o ponto em que Órion derruba Darkseid… é chegado o momento de finalmente a profecia se cumprir e Órion realizar o feito pelo qual nasceu.

Então, Darkseid dá o sinal. Vários soldados previamente escondidos surgem e alvejam Órion com seu armamento mais pesado, mirando principalmente em seus órgãos vitais. Ele é fuzilado antes de ter chance de reagir, e cai inerte rumo à lava incandescente que abastece o inferno conhecido como Apokolips.

O plano de Darkseid foi bem sucedido. Não que houvesse alguma dúvida em relação a isso. O boato de que Tigra estava viva, plantado nos ouvidos de Órion para atraí-lo. Um “benfeitor” misterioso guiando seus passos e facilitando sua entrada. Até que ele caísse na armadilha. Mas embora tenha engendrado tudo, Darkseid não sente nenhuma satisfação no resultado. Ele não pôde confrontar Órion diretamente, pois o peso de ser seu pai o impediu de agir abertamente, mesmo em seu coração petrificado. Mas Órion precisava ser retirado do jogo. A profecia precisava ser anulada.

Mas Darkseid não levou em consideração o elemento da dúvida em seus cálculos. Quem viu Órion Morrer? Onde está seu corpo? Terá mesmo sido consumido pelas chamas dos poços flamejantes?

Perguntas que ecoarão pela mente do senhor de Apokolips pelo resto de sua existência imortal.

Pintura de Alex Ross sobre o traço de Jack Kirby.

Leia a mais sobre os Novos Deuses clicando AQUI!

Anúncios

9 comentários sobre “Em última análise… Mesmo os deuses têm que morrer! O QUARTO MUNDO de JACK KIRBY!

    1. Essa história termina desse jeito mesmo, esse foi o último número do título regular da revista dos Novos Deuses, feita após anos de pausa. Mas Kirby finalizaria depois com a Graphic Novel “The Hunger Dogs”, que sob certos aspectos encerra a visão do autor sobre os personagens, muito embora para efeito de continuidade tenha sido desconsiderada para que eles pudessem ter uma sobrevida maior, deixando em aberto a profecia da queda de Darkseid. Atualmente os personagens voltaram a aparecer no título da Mulher Maravilha, Melhores do Mundo (Caçadora e Poderosa) e na revista Terra 2, sem contar é claro com a participação essencial de Darkseid contra a Liga da justiça no título do grupo.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s