O Planetary de Warren Ellis, John Cassaday e todos nós!

_0006_Infinitas Terras

1Uma breve análise dos quatro volumes encadernados de Planetary, publicados pela Panini Comics.

Roteiro de Warren Ellis, arte de John Cassaday.

Sem spoilers.

 

planetary

Por Rodrigo Garrit

Um floco de neve

Contém 196.833 facetas bidimensionais entrelaçadas em um plano tridimensional onde

Cada uma dessas facetas representa uma fagulha de realidade a qual contém em seu interior

Todo um universo que por sua vez contém incontáveis universos, como grãos de areia, e dentro de cada grão de areia outros incontáveis universos que

Por sua vez possibilitam a existência de uma infinidade de realidades alternativas constantemente sendo criadas por cada mínimo movimento intencional ou não, cada escolha e ação, cada fenômeno da natureza, ocorrendo de forma aleatória que

Por sua vez pode subscrever uma realidade anterior apagando-a da miríade da realidade e

Forjando uma outra existência que pode ter passado sem que ninguém se lembre dela ou

Um novo universo que ainda não nasceu e virá a substituir a realidade

Em que nos encontramos nesse momento.

Dentro de um

Floco de neve.

???????????

Warren Ellis já escreveu muitas histórias em quadrinhos de qualidade, mas seu Planetary está em um patamar tão acima de tudo que ele e outras pessoas fizeram que é difícil classifica-lo “apenas” como mais uma história em quadrinhos.

Porque Planetary é uma história sobre histórias. Sobre tudo o que a cultura popular, clássica e erudita têm a oferecer. De Tarzan a James Bond. De Sherlock Holmes a John Constantine. Nada é poupado por Ellis, nenhum deus antigo ou entidade superior de dimensões mais elevadas.

O instituto Planetary segue sua busca pela escavação dessas histórias, desvendando os mistérios do universo e nos ensinando sobre ele, aprendendo conosco sobre ele. Pois o leitor está dentro das páginas de Planetary, é um “Ser Ficcional” criado artificialmente e levado até a “realidade” onde vivem Elijah Snow e seus parceiros, sendo deixado à solta depois disso.

Nós somos uma ficção que ganhou vida, e como forma de entretenimento estamos consumindo a história criada por Warren Ellis para o Planetary.

Elijah_Snow_h1

 

Longe de ser uma história de super-heróis, Planetary está repleta de Super-Heróis. De Shazam a Thor, passando pela Liga da Justiça e o Quarteto Fantástico, através das referências precisas de Ellis, que nos narrou sua própria versão extraordinária do nascimento e morte do Superman, Lanterna Verde e Mulher Maravilha. Sem usar esses personagens. Percebem a sutileza necessária para fazer isso?

Não, Planetary não é sobre super-heróis, é sobre arqueologia, uma arqueologia cultural, conceitual, ideológica e até mesmo efêmera, porque não? Afinal, quão efêmero é um floco de neve?

Seu texto nos lembra da fragilidade da existência, da pequenez de nossos egos e da falta de importância de nossa existência em um contexto maior, sem negar o engrandecimento dos valores humanos, os laços de amizade, gratidão… e a quase irrefreável necessidade de vingança contra aqueles que nos fizeram mal, superada apenas pela necessidade constante de provar que também podemos nutrir o altruísmo e atingir a redenção.

Algumas perguntas foram lançadas desde antes das primeiras palavras  serem formuladas pelo homem e persistem até hoje, avançando pelo tempo até onde o limite da existência se permitir acontecer. O que nós representamos dentro de um multiverso além de nada mais que um mero evento passageiro e insignificante? Do que são feitas as almas? O que acontece depois do fim?

Essas perguntas e muitas, muitas outras expedições são desbravadas pela equipe do Planetary, transitando através das décadas por todas as histórias relevantes que erigiram a civilização moderna. Recuperando fragmentos perdidos. Devolvendo a divina chama aos homens. Formulando novas perguntas.

03-500x259

Com toneladas de referências a literatura, artes, magia e ciência (com ênfase na Física Quântica), Planetary é uma leitura não apenas obrigatória para todo fã de quadrinhos, mas uma verdadeira aula de como devem ser as histórias.

John Cassaday contribuiu com sua arte e alma, pois o que se vê retratado em seu traço é vida decodificada numa fusão de imagem e ritmo atravessando tantos níveis narrativos, flertando com tantos estilos diferentes, que é impensável imaginar essa obra realizada com tanta competência e vigor por outro que não ele.

Mesmo sem saber, somos todos membros do Instituto Planetary em algum nível.

E somos mesmo muito estranhos.

Vamos nos manter assim.

planetary-1

S_Final

Clique AQUI para curtir nossa página no Facebook! É gratuito e sempre será! ;)
Clique AQUI para curtir nossa página no Facebook! É gratuito e sempre será! 😉

 Leia também o texto do Venerável Victor Vaughan sobre Planetary clicando AQUI

Anúncios

9 comentários sobre “O Planetary de Warren Ellis, John Cassaday e todos nós!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s