WOLVERINE: O Velho Logan – Dinossauros e Simbiontes!

_0004_Midgard

4be81e364f8ff

Resenha do encadernado “Wolverine: o Velho Logan” publicado pela Salvat/Panini.

Roteiro de Mark Millar, desenhos de Steve McNiven e arte-final de Dexter Vines, Mark Morales e Jay Leinsten.

1472201_509642762468107_1170486647_n

Por Rodrigo Garrit

A primeira coisa que pensei quando olhei a contra capa do encadernado da Salvat foi: “Sério que isso é mesmo um dinossauro possuído por um simbionte”?

Se é Terra paralela, futuro alternativo ou uma simulação sádica da Sala de Perigo eu não sei; mas o que temos é uma história que se passa cinquenta anos no futuro, em um mundo praticamente sem heróis, controlado por facções malignas de descendentes de heróis e vilões.

Como se chegou a isso? Anos atrás os vilões decidiram se unir mais uma vez contra os heróis, mas desta vez pela visão visceral e  – realista – de Mark Millar, que pensou certo ao imaginar que se levarmos em conta a vantagem numérica, a crueldade e total falta de pudores e respeito pela vida, unidos os criminosos poderiam mesmo vencer. E venceram. As consequências disso, é claro, tiveram repercussões em escala global, mas o foco da narrativa é o que aconteceu com o mutante canadense mais casca grossa da história. Depois que o mundo foi pro inferno, onde se escondeu o Wolverine? E por quê?

Bom não vou dizer exatamente o por quê, mas foi algo dramático e traumatizante mesmo para alguém como ele, acostumado a guerras e perdas. Algo que o abalou de forma tão covarde e contundente que o fez decidir nunca mais lutar, nunca mais ejetar suas garrar de adamantium, nunca mais ferir outro ser humano, mutante ou o que for.

Assim morreu Wolverine. E o que restou foi apenas o velho Logan.

Essa é a sua história.

19904-old-man-logan

Imaginar o amanhã e especular sobre o futuro não é algo novo, faz parte de nossa cultura, e é um anseio humano tentar prever o que está por vir. Mark Millar nos leva à fundo em seu devaneio apocalíptico, sem se preocupar com outras histórias onde a viagem no tempo foi abordada, principalmente Dias de um Futuro Esquecido, onde Wolverine tem uma grande importância. Mas a ausência de Sentinelas não quer dizer que o futuro seja brilhante. Será que, não importa o que aconteça, não importa quanto se tente mudar a história, o futuro do Universo Marvel está fadado ao terror?

Bom tomara que sim, senão não teria graça, teria?

"VENOMSAURUS REX"? Tinha que ser o Mark Millar mesmo...
“VENOMSAURUS REX”? Tinha que ser o Mark Millar mesmo…

Alheio a outras incursões pelo tempo e espaço, a preocupação de Millar não se dá nem mesmo com a continuidade do título mensal do Wolverine, uma vez que esse arco foi publicado originalmente em sua revista de linha e não numa minissérie fechada. Durante toda a narrativa, a única preocupação do autor foi de fato contar uma boa história, e isso, é claro, é muito bom! Quem dera mais autores chutassem a cronologia de vez em quando e nos trouxessem mais histórias desse nível. Sim, eu também gosto de cronologia, cronologia é legal…  mas ela deve servir em benefício à história, não contra ela. Infelizmente essa última opção geralmente prevalece, seja por falta de habilidade dos roteiristas ou pressões editoriais… enfim, estou divagando.

Wolverine: O Velho Logan já surge de forma marcante como uma das grandes histórias na trajetória do personagem, divertida e instigante do começo ao fim, repleta de tragédias e reviravoltas, repleta de ótimas sacadas do autor com os elementos do universo Marvel reinventados para o seu futuro sombrio.

Alguns poucos personagens do passado de Logan aparecem, e de forma muito rápida, mas roubam a cena. Destaque para o Gavião Arqueiro dirigindo o Aranhamóvel e Emma Frost, que mantém sua beleza, vaidade e sarcasmo intactos, pelo menos enquanto puder manipular o que as pessoas podem ver com seus poderes mentais. Também foram muito bem elaboradas as reinterpretações de outros conceitos, o que gerou entre outras uma gangue de Motoqueiros Fantasmas, o uso inusitado da neta de Peter Parker e claro, os filhos do Hulk.

Outra ótima sacada foi a divisão de territórios entre os déspotas. Com uma mapa detalhado ele nos apresentou o território do Doutor Destino, Caveira Vermelha, Magneto (depois usurpado por um novo Rei do Crime) e a àrea dominada pela família Banner e suas aberrações canibais e incestuosas.

Quanto maior o homem...
Quanto maior o homem…

A arte de Steve McNiven (Guerra Civil) é visceral, mantém o patamar de austeridade e violência, retratando de forma muito competente toda a dor e a fúria nos olhos do Logan.

Essa história é prova cabal de que se tratando do Wolverine, não importa que idade tenha, ele ainda é o melhor no que ele faz.

comic_old_man_logan_fan_trailer
Sério que você leu até aqui e não vai deixar nem um comentário? Isso machucaaaaa!!!!!
Anúncios

10 comentários sobre “WOLVERINE: O Velho Logan – Dinossauros e Simbiontes!

    1. Houveram duas coisas que eu não gostei… mas estão muito atreladas a spoilers pesados, e como não achei que prejudicaria o conjunto da obra nem mencionei… será que uma delas é a mesma coisa que você não gostou? Me manda in box no Facebook!

      Curtir

      1. Tive o imenso prazer de ler essa incrivel historia do velho logan através de scan agora tenho a chance de ter em mãos essa hq, realmente vale muito apena ! Essa é pra quem busca uma otima história e ótima arte. Valeu Rodrigo.

        Curtir

  1. Confesso que não estava disposto a adquirir O Velho Logan pela Salvat, mas, depois desse texto, vou dar uma chance a essa HQ. Vlw.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s