V DE VINGANÇA

91RAwxDhg1L

Por Henry Garrit

Numa Inglaterra dominada por uma ditadura assustadoramente crível, temos um agente da anarquia conhecido apenas pela letra “V”, que obviamente é considerado um terrorista pelas autoridades. Estas por sua vez regem um estado machista, racista e homofóbico. V desfere vários golpes contra esse regime. Suas ações incluem desde o simbólico atentado ao Parlamento britânico no dia cinco de novembro, em alusão ao anarquista inglês Guy Fawkes, (personagem real que empresta suas feições à máscara de V;  Fawkes tentou de fato explodir o parlamento inglês em 5 de novembro de 1604) até o sequestro do radialista que dava voz ao “Destino” (a doutrinação propagada pela “Cabeça”, partido que lidera esse regime reacionário e fascista), e a invasão de uma estação de tevê onde ele transmitiu sua própria mensagem no horário nobre.

Nosso “terrorista” tem aos poucos sua história sendo revelada, caminhando junto com sua protegida, Evey Hammond, a quem ele salvou das ruas, acolhendo-a. E é sua relação com Evey que avança a trama, fazendo com que o revolucionário V pudesse transmitir seus ideais à diante.

DavidLloydVendetta2

Com forte influência do romance “1984” de George Orwell, Alan Moore teceu sua narrativa sobre um futuro distópico dominado por um regime opressor e a luta de um indivíduo em tentar abrir os olhos da população sobre seu lugar na sociedade, opondo-se ao seu estado de “ovelhas obedientes”, incapazes de pensar por si próprias ou apavoradas demais para tentar questionar a sua situação.

“Nós tivemos uma sucessão de malversadores, larápios e lunáticos tomando um sem-número de decisões catastróficas. Isso é inegável. Mas quem os elegeu? Você! Você indicou essas pessoas. Você deu a elas o poder para tomarem decisões em seu lugar! Claro que qualquer um está sujeito a se equivocar, mas cometer os mesmos erros fatais, século após século, parece uma atitude deliberada. Você encorajou esses incompetentes, que transformaram sua vida profissional num inferno. Aceitou suas ordens insensatas, sem questionar. Sempre permitiu que enchessem seu espaço de trabalho com máquinas perigosas. Você podia ter detido essa gente. Bastava dizer não. Você não teve orgulho próprio”.

No decorrer da história, ficamos sabendo mais sobre o passado de V, a tortura pela qual foi submetido, os abusos e o roubo de sua dignidade até o dia em que consegue escapar do campo de concentração onde era mantido. Paralelo a isso, também somos apresentados a outros exemplos do uso abusivo da força por parte das autoridades, como a história de Valery, a atriz homossexual que teve sua vida destruída pelo simples fato de amar outras mulheres; sem contar no próprio dia a dia dos outros coadjuvantes que já mostravam seus infernos pessoais com casamentos abusivos, amores frustados, desejos reprimidos, e o constante medo de represálias para quem desobedecesse as normas do governo.

v-de-vinganc3a7a-v-salva-evey

É desconcertante perceber como a ficção nos mostra algo tão possível na vida real, sobre como é fácil convencer as pessoas de que o inimigo é quem os poderosos querem que seja, usando a mídia e os meios de comunicação com táticas de intimidação e discursos de ódio acompanhados de muitas “Fake News” para dominar as massas através do medo. Jogando as pessoas uma contra as outras, enquanto nos bastidores, o verdadeiros manipuladores do poder apenas aumentam cada vez mais seu alcance, calando as vozes de quem tenta se opor a seus desmandos e criando mentiras convenientes e verdades fáceis para conquistar a simpatia de uma população que sem perceber, caminha cegamente para o abate de seus direitos e liberdade.

Por isso é preciso estar sempre vigilante, atento e ciente de toda a movimentação midiática e política que tenta nos arrebanhar a fim de nos tornar escravos de seus próprios interesses. Citando Renato Russo em sua canção sobre a ditadura no Brasil, “1965 (Duas Tribos)”:

Quando querem transformar dignidade em doença, quando querem transformar inteligência em traição, quando querem transformar estupidez em recompensa, quando querem transformar esperança em maldição”.

Apesar de inegavelmente abordar um tema político, V de Vingança não impõe ao leitor nenhum tipo de doutrinação, ao contrário, o convida a utilizar sua liberdade de expressão e exercitar alguns questionamentos sobre o significado e a importância da liberdade do povo e os deveres de seus governos.

Na reta final da trama descobrimos que a verdadeira identidade de V não era algo importante para o desfecho, uma vez que acima de ser um indivíduo, ele incorporou um ideal, o qual se propagou além de sua vida, começando (ou continuando?) um legado passado para Every, que por sua vez o passará adiante.

A Autoridade, quando detecta o caos pela primeira vez em seus calcanhares, fará as coisas mais vis para preservar a fachada de ordem. Mas, como sempre, ordem sem justiça, sem amor ou liberdade, não pode deter a derrocada de seu mundo para o holocausto”. 

Atemporal, a história escrita nos anos 80 continua conversando com a atualidade e assim deverá permanecer ainda por um longo período, enquanto governos movidos por injustiça e impunidade se fizerem presentes dentro de qualquer sociedade que seja.

3245554404_8d6cb599fa

S_FinalCurte FANTASIA e AVENTURA?

IRREALIDADES vai te surpreender ao apresentar mundos sombrios, futuros perigosamente possíveis e aventuras em guerras tecnológicas em planetas distantes!

Prefere TERROR e SUSPENSE?

Então não deixe de conhecer também  AS COISAS NO ESCURO!

Nessa breve coleção de contos, apresento-lhes alguns de meus devaneios e fantasmas, muitas de minhas próprias experiências contadas de forma absurdamente exagerada; e também revelo alguns de meus medos e esperanças.  Vocês sabem… Todas essas coisas que só vemos no escuro.

Adentre esse universo sombrio… se tiver coragem…

Clique para prévia gratuita!
Clique para prévia gratuita!

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s