PREACHER – RUMO AO SUL

De volta ao jogo!

Depois de passarmos por diversas histórias paralelas que contavam mais sobre o passado de personagens importantes em Preacher, reatamos aqui a busca de Reverendo Jesse Custer por Deus e todos os percalços em seu caminho. Mas ainda temos uma pequena pausa que eu não chamaria exatamente de desvio da rota apesar de ter sido publicada fora do título mensal. Estou falando da edição Preacher Special: Cassidy – Blood an Whiskey, focada no vampírico amigo de Jesse, que revela um pouco mais sobre ele e também avança a história corrente nas edições seguintes de Preacher. Cassidy conhece Eccarius, um legítimo vampiro como ele e os dois começam a trocar informações sobre como cada um decidiu levar esse estilo de vida – ou de morte. Eccarius se mostra um clichê ambulante, tomando para si todo o esteriótipo de uma criatura das trevas, é quase um cosplay de vampiro feito por um vampiro, o que é o extremo oposto de Cassidy. Eccarius apresenta a ele um grupo de góticos denominados Les Enfants du Sang, ligeiramente obcecados pelo vampirismo, e eles começam uma amizade conturbada que evolui para profundas descobertas sobre o caráter de cada um, levando-os a pagar caro pelas consequências de seus atos.  Garth Ennis nos leva como leitores a reavaliar o que pensávamos que sabíamos a respeito de Cassidy, não apenas por isso, mas pelo que viria depois.

Temos vários pontos importantes ocorrendo neste encadernado:

Finalmente temos a volta do Cara de Cu, aquele personagem que só poderia existir mesmo numa HQ escrita por Ennis. Ainda ressentido pela morte de seu pai e culpando Jesse por isso, o jovem busca vingança, mas as coisas meio que deixam de fazer sentido quando eles se encontram e o rapaz descobre uma nova vocação. Ótima forma encontrada de realocar o personagem na história sem forçá-lo a ser uma coisa que ele não poderia.

Cassidy manda mal ao se declarar para a namorada de seu melhor amigo, mas a questão que fica é se ele realmente a ama, ou simplesmente quer ter para si o relacionamento que ele entende como perfeito que existe entre ela e Jesse. Seja como for, o estrago está feito, e mesmo que Tulipa não conte nada para Jesse, as coisas não serão mais as mesmas entre eles.

Herr Starr aparece aqui se recuperando de seu último encontro com Jesse e ainda experimentando perucas para lidar com o fato de que Jesse marcou sua careca fazendo-o parecer um pinto gigante. Garth Ennis sendo Garth Ennis. Cômico, amoral e totalmente insano, um dos melhores vilões dos quadrinhos vai continuar caçando o Reverendo sem nenhum tipo de filtro ou limite.

Jesse, cansado de dar murro em ponta de faca, procura ajuda de um feiticeiro Vodu recomendado por Cassidy, na esperança de que ele possa ser capaz de fazê-lo entrar em contato com a entidade Gênesis que vive dentro dele e assim quem sabe conseguir algumas respostas sobre o paradeiro de Deus. Claro que nada é fácil assim, e o tal feiticeiro não se despediu exatamente da melhor forma possível de Cassidy da última vez, colocando mais uma vez em xeque o caráter do vampiro. Some a isso o fato de que alguns aloprados sem noção – e bem armados – membros dos Les Enfants du Sang estão atrás de Cassidy sedentos de vingança pelo estrago causado por ele. Mas eles não esperavam encontrar Tulipa em seu caminho.

O ritual deixa Jesse em um transe onde ele – de certa forma – consegue o que queria, obtendo valiosas informações sobre Gênesis, o Santo dos Assassinos e a conspiração celestial que os cerca. E isso será de importância fundamental para o futuro.

Mais do que tudo, esse encadernado foi revelador ao se aprofundar na psiquê dos personagens, principalmente Cassidy. É bom quando um escritor trabalha esses nuances de caráter, mostrando que as pessoas não são simplesmente boas ou más, mais uma mistura de sentimentos, experimentações, lealdades, interesses e princípios. Trazer isso para qualquer história, deixa-a muito mais crível, ainda que seja numa sobre um pastor possuído por uma entidade gerada pelo Céu e pelo inferno.

Incisivos como sempre, fazendo pausas pontuais (mas nunca desinteressantes) e sempre avançando a sua história, Garth Ennis e Steve Dillon seguem impecáveis em sua narrativa, deixando as interrogações corretas que esperamos ser respondidas no próximo número.

Se liga no Santuário e não perca nenhuma resenha de PREACHER!

Vol. 1 – A CAMINHO DO TEXAS

Vol. 2 – ATÉ O FIM DO MUNDO

Vol. 3 – ORGULHO AMERICANO

Vol. 4 – HISTÓRIAS ANTIGAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s